Surgem raros casos de usuários demonstrando reações no pulso causadas pelo Apple Watch

Não é algo muito comum, mas certas pessoas simplesmente não se dão bem com relógios, pulseiras, colares e afins. Com a chegada do seu primeiro dispositivo “vestível” (wearable), o Watch, a Apple agora está mais suscetível a casos do tipo.

Em um artigo de suporte (ainda indisponível em português) sobre como usar o Watch, a Apple afirma que faz uma seleção cuidadosa de todos os materiais utilizados em seus produtos. No caso do relógio, ela afirma ter se certificado de inclusive ir além do que mandam órgãos regulamentadores. Ainda assim, a empresa reconhece que “um pequeno número de pessoas” pode apresentar reações a certos materiais.

E, de fato, um ou outro caso já começou a pintar em redes sociais:

https://twitter.com/Dinalli/status/615155158704607234

A Apple destaca dois materiais em específico que podem causar problemas:

  • Níquel: está presente no Apple Watch, no Apple Watch Sport cinza espacial, nas partes de aço inoxidável de algumas pulseiras e nos ímãs do relógio e das pulseiras.
  • Metacrílicos: traços (de adesivos) estão presentes na case do Apple Watch, na pulseira de elo milanês, na pulseira de fecho moderno e na pulseira de couro.

Além dos raros casos em que o mero contato prolongado desses materiais pode causar alergia, a Apple afirma que usuários devem atentar-se para o ajuste correto no uso do relógio. Se você deixá-lo muito folgado não só as leituras dos sensores serão prejudicadas, como a movimentação excessiva da pulseira na pele poderá causar irritação; da mesma maneira, não é recomendável deixar a pulseira apertada demais. O ideal é que ela fique justa, mas confortável.

Também é recomendável que o usuário mantenha sempre o seu relógio e a pulseira (além da sua própria pele) limpos, visto que resíduos de sujeira ou até produtos como sabão, protetor solar, hidratantes, etc. podem causar irritações na pele em uso prolongado, ainda mais quando misturados com suor.

Aos que enfrentarem problemas do tipo, o ideal é suspender o uso do Apple Watch e consultar um médico.

[dica do Eduardo Marinho, via Daily Mail Online]

Posts relacionados

Comentários