Em declaração ao New York Times, Dr. Dre e Apple pedem desculpas pelo passado violento do rapper

Depois de 16 anos, Dr. Dre voltou a lançar um álbum. Trata-se de “Compton”, trilha sonora oficial do filme “Straight Outta Compton” (que conta a história dos rappers Eazy-E, Dr. Dre, Ice Cube, MC Ren e DJ Yella, do N.W.A).

Apple e Beats entraram na onda do lançamento; enquanto a Maçã promoveu intensamente o álbum no Apple Music (o lançamento foi exclusivo na iTunes Store e no serviço de streaming, onde o álbum chegou a ser reproduzido 25 milhões de vezes), a Beats criou fones especiais para o filme.

Fones da Beats

“Straight Outta Compton” estreou nos EUA em primeiro lugar, mas também chamou atenção por outro motivo: o filme biográfico, que contou com a colaboração de Dr. Dre em sua produção, está sendo criticado por omitir antigas alegações de que o rapper e agora empregado da Apple abusou fisicamente de mulheres.

Dr. Dre vinha evitando tocar no assunto, mas hoje ele e a Apple resolveram falar ao New York Times.

Dr. Dre no lançamento do filme "Straight Outta Compton"
Dr. Dre no lançamento do filme “Straight Outta Compton”

Eis a declaração dele:

Vinte e cinco anos atrás eu era um jovem que bebia muito, sem cabeça e sem uma estrutura real em minha vida. No entanto, nada disso serve de desculpa para o que eu fiz. Eu estou casado há 19 anos e todos os dias trabalho para ser um homem melhor para a minha família, em busca de orientação ao longo do caminho. Estou fazendo tudo o que eu posso para que nunca mais seja aquele homem novamente. Peço desculpas para as mulheres que eu machuquei. Lamento profundamente o que fiz e sei que isso causou um impacto profundo em todas as nossas vidas.

Agora, a da Apple:

Dre se desculpou pelos erros que ele cometeu no passado e disse que não é mais a mesma pessoa que era há 25 anos. Nós acreditamos em sua sinceridade e, após trabalhar com ele um ano e meio, temos todas as razões para acreditar que ele mudou.

Aos interessados, o NYT traz todos os detalhes das histórias envolvendo Dr. Dre, Dee Barnes (jornalista), Michel’le (cantora e ex-namorada do rapper) e Tairrie B (ex-companheira de gravadora) — como elas foram abusadas e como a mídia social as ajudou a se conectarem com outras pessoas e compartilharem suas histórias.

Em uma coletiva de “Straight Outta Compton” realizada neste mês, o diretor do filme (F. Gary Gray) foi perguntado por que a história de Barnes1 foi omitida. De acordo com ele, os cineastas tinham falado sobre isso no início (a cena apareceu em um script inicial), mas eles acabaram decidindo que o filme não era sobre histórias paralelas. Ainda segundo o diretor, daria para fazer cinco filmes diferentes sobre o grupo N.W.A., mas eles acabaram optando por contar a história dessa forma.

[via 9to5Mac]

Posts relacionados

Comentários