Mais informações e detalhes sobre os iPhones 6s/6s Plus, Apple TV, iPad Pro e mini 4

Foram muitas, as novidades apresentadas pela Apple anteontem. Dificilmente vemos tantos anúncios sendo feitos em um único evento especial, como aconteceu. Então é normal as informações irem aparecendo conforme curiosos vão fuçando o site da empresa atrás de detalhes sobre os produtos.

Apple TV

Já comentamos algumas coisas sobre a nova Apple TV, mas uma que ficou faltando e que surpreendeu (negativamente falando) foi a especificação Bluetooth.

Caixa da Apple TV

A nova caixinha preta da Apple conta com o Bluetooth 4.0, e não o 4.2 (mais rápido, eficiente, seguro, etc.) presente no iPad Pro, no iPad mini 4 e nos iPhones 6s/6s Plus (todos lançados juntos). Por quê? Difícil dizer, ainda mais levando em conta a ideia de que essa set-top box poderá se tornar o nosso hub doméstico.

Como curiosidade, foram encontrados metadados no site da Apple que faziam referência ao nome “Apple TV 2”. Ou seja, a Apple deve ter cogitado chamar o produto assim (como vem fazendo com iPads e iPhones), mas decidiu chamar apenas de Apple TV mesmo — ainda que a set-top box de terceira geração continue à venda; ou seja, teremos duas gerações de Apple TVs sendo comercializadas com o mesmo nome.

iPad Pro

O iPad Pro é gigante! Mas isso não quer dizer que a bateria dele seja (38,5WHr contra 42,5Whr dos iPads de terceira e quarta gerações, já descontinuados pela Apple mas que tinham apenas 9,7 polegadas). Ou seja, utilizando o carregador de 12W que acompanha o iPad Pro, o tablet deve demorar cerca de 4 horas e 30 minutos para ser recarregado por completo. Além disso, você poderá recarregar esse “iPadão” com as famosas baterias externas.

Caixa do iPad Pro

A falta do 3D Touch nos iPads é algo que eu não consegui entender até agora. É bem comum vermos a Apple introduzindo uma nova tecnologia e expandido tudo um ano depois. O 3D Touch é uma novidade, mas totalmente derivada do Force Touch, já presente nos Apple Watches.

Para mim, era claro que a tecnologia chegaria também aos iPads — os rumores davam isso como certo —, mas não foi isso que vimos. Talvez por entender que, no iPhone, o usuário segura o aparelho de uma forma mais propícia ao movimento de pressionar a tela, coisa que no iPad não é tão natural; mas vai saber… eu não duvido nada que no ano que vem os iPads incorporem a tecnologia, o que deixaria claro que a Apple apenas não tomou essa decisão agora de forma totalmente planejada.

O A9X, novíssimo processador que equipa o tablet profissional da Apple, conta com uma novidade interessante. Veja o que a Apple fala sobre ele:

Controlador de armazenamento. O herói desconhecido do desempenho super-rápido.

O chip A9X processa os dados tão rápido que exigiu uma nova arquitetura de memória. Por isso, o iPad Pro tem um controlador de armazenamento reformulado, que proporciona um desempenho melhor que o de alguns computadores. A velocidade de leitura e gravação ficou muito maior, para abrir rápido até os arquivos mais pesados. Por exemplo, o enorme filme 4K que você acabou de editar ou todas as imagens RAW importadas da sua câmera HD.

Isso, é claro, sem falar dos tradicionais ganhos em performance — 1,8x o desempenho de CPU (central processing unit, ou unidade central de processamento) e 2x o desempenho de GPU (graphics processing unit, ou unidade de processamento gráfico) se comparado ao iPad Air 2 (processador A8X) — e nos supostos 4GB de RAM.

iPad mini 4

Durante o evento, a Apple comentou que o iPad mini 4 era basicamente uma miniatura do iPad Air 2. Isso é verdade em alguns pontos, mas em outros, não.

Caixa do iPad mini 4

Ambos contam com uma tela totalmente laminada e com revestimento antirreflexo (coisa que o iPad mini 3 não tinha). As câmeras FaceTime HD e iSight também estão agora equivalentes, com a frontal ganhando o recurso modo contínuo (várias fotos seguidas com intervalos bem pequenos) e a iSight, pela primeira vez, tendo 8 megapixels num modelo de iPad mini. Wi-Fi (802.11a/b/g/n/ac), MIMO, Bluetooth 4.2 e barômetro também estão presentes tanto no iPad mini 4 quanto no Air 2.

O coração do tablet, porém, não é o mesmo. Enquanto o Air 2 conta com o processador A8X, o mini 4 tem o A8. Sem dúvida há ótimos ganhos em relação ao A7 utilizado no iPad mini 3, mas muito provavelmente por conta da tela menor (ainda que tenha a mesma resolução) a Apple achou melhor não utilizar o A8X nele.

A bateria, é claro, também não é a mesma. Mas o que pega, aqui, é que não é nem mesmo equiparada à utilizada no mini 3 (19,1WHr contra 23,8WHr). De acordo com a Apple, porém, ela aguenta a mesmíssima coisa devido às otimizações do chip A8.

iPhones 6s/6s Plus

Também já falamos aqui da possível bateria menor (não necessariamente quer dizer que elas vão durar menos do que seus antecessores) dos novos iPhones, mas há ainda outros detalhes interessantes sobre eles.

Pesos e dimensões dos iPhones

Já sabemos também que os novos iPhones são maiores/mais espessos1 do que os agora “antigos” 6/6 Plus — basicamente 0,1-0,2mm maiores para todos os lados. Eu diria que isso é praticamente imperceptível. A diferença de peso, por outro lado, pode ser mais perceptível (14 gramas a mais do iPhone 6s e 20g a mais do 6s Plus).

Caixa do iPhone 6s

Jeremy Horwitz disse que esse aumento de peso poderia ter sido gerado por esse novo alumínio serie 7000, utilizado na estrutura do aparelho. Mas já vimos que, mesmo sendo mais resistente, essa nova estrutura não adicionou peso à carcaça. Então, muito provavelmente esse ganho de peso veio mesmo dos novos componentes internos (Taptic Engine, 3D Touch, etc.).

A nova iSight (câmera traseira) ganhou um upgrade, passando de 8 para 12 megapixels. Isso a Apple comentou, mas outros detalhes ela preferiu não mencionar, como a manutenção da abertura (ƒ/2.2) e a redução do tamanho dos pixels de 1,5µ para 1,22µ (quanto maior o pixel, mais luz ele absorve e melhor a foto fica). Muito provavelmente a Apple compensa essa perda de alguma forma, como por exemplo com uma grande “redução de ruído” — teremos que comparar as fotos tiradas por iPhones 6 e 6s para saber.

A câmera agora também é capaz de fazer vídeos com resolução 4K, o que ao meu ver é uma incoerência com duas outras escolhas feitas pela Apple: a de não oferecer suporte à 4K na nova Apple TV; e de continuar comercializando iPhones 6s/6s Plus de 16GB. Ora, 60 segundos de filmagem em 4K (a 30 quadros por segundo) geram um vídeo2 de 375MB, conforme Marques Brownlee mostrou neste vídeo. Levando em conta que você tem 12GB disponíveis assim que tira o iPhone da caixa, poderia filmar “apenas” 32 minutos de vídeo nessa resolução para entupir o aparelho.

Por essas e outras que, ao meu ver, se a Apple vende iPhones de 16GB, deveria oferecer minimamente 50GB de espaço gratuito no iCloud. Mas isso é assunto para um outro artigo, vamos voltar aos detalhes dos produtos. 😉

Continuando na câmera iSight, apenas o modelo Plus continua com o diferencial de contar com estabilização óptica de imagem. A novidade, agora, é que essa estabilização também é utilizada na gravação de vídeos, algo que nem mesmo o iPhone 6 Plus faz — apenas o 6s Plus.

·   ·   ·

Mais detalhes como esses deverão surgir, principalmente quando começarmos a colocar as mãos nos novos aparelhos. 😉

[via 9to5Mac: 1, 2; AppleInsider]

Posts relacionados

Comentários