Conhecendo mais sobre o Apple Pencil

Junto ao lançamento do iPad Pro, a Apple realizou um rumor de longa data: uma caneta um lápis (stylus), chamado de Apple Pencil.

iPad Pro deitado e de lado com mão segurando o Apple Pencil

Falamos bem rapidamente dele neste post sobre novos acessórios e também discutimos um pouco sobre a novidade no nosso último podcast, mas vale um post mais aprofundado sobre este acessório que será vendido à parte pela Apple, por US$100 nos Estados Unidos.

A companhia o descreve inicialmente da seguinte forma:

Investimos muito tempo criando o Apple Pencil para você não perder tempo quando a precisão é indispensável. Assim, expandimos a versatilidade do Multi-Touch a novos níveis. A tecnologia por dentro dele é completamente diferente de tudo que já projetamos. Mesmo assim, vai parecer que você sempre usou o Apple Pencil. Ele faz vários efeitos com a precisão de um único pixel, para você ter a liberdade criativa que nunca teve.

Jony Ive, é claro, narra um vídeo de apresentação:

https://www.youtube.com/watch?v=iicnVez5U7M

Algumas características do Apple Pencil:

  • Respostas ultrarrápidas, com baixa latência;
  • Leitura de sinal do lápis a 240 vezes por segundo;
  • Sensores de pressão medem diversas intensidades de força;
  • Dois sensores de inclinação calculam orientação e ângulo da mão;
  • Bateria com autonomia de 12 horas.

Sobre este último ponto, isto aqui me deixou embasbacado:

Recarga da bateria do Apple Pencil

É isso mesmo: para não prejudicar a produtividade de ninguém, a Apple embutiu no Pencil uma tecnologia que lhe dá 30 minutos de autonomia com apenas 15 segundos (SEGUNDOS!) de recarga. Pô, Apple, custava ter levado algo similar ao iPhone? ¬¬ A recarga é feita pelo conector Lightning escondido na ponta do lápis, conectado ao próprio iPad Pro.

Vale lembrar, aqui, que o Apple Pencil não é para qualquer um (o que não deixa de ser uma boa “desculpa” para a Apple não colocá-lo na caixa do iPad Pro). A tecnologia Multi-Touch para dedos continua presente como nunca na touchscreen do iPad Pro, mas agora a Apple embutiu no tablet uma camada extra que lhe permite ser usado como uma mesa digitalizadora tais como as famosas da Wacom. Aliás, por falar nisso, Linda Dong — designer que já trabalhou na Apple — escreveu um artigo que se resume à seguinte frase: “A [Wacom] Cintiq é uma bosta em comparação [ao iPad Pro com o Apple Pencil].” Ui…

Para quem não curte muito os vídeos oficiais da Apple, este aqui do AppleInsider dá uma ótima noção do potencial da coisa:

Tanto o Apple Pencil quanto o iPad Pro chegarão ao mercado em novembro.

Posts relacionados

Comentários