iSight do iPhone 6s agora cria vídeos em câmera lenta com qualidade Full HD (1080p)

A Apple não comentou, mas os vídeos em câmera lenta feitos com os novos iPhones ganharam novidades, conforme nos alertou o leitor Miguel Dornaes.

Tudo começou com o iPhone 5s e sua capacidade de fazer esses vídeos em câmera lenta (conhecidos como Slo-Mo) com uma qualidade HD (720p) a 120 quadros por segundo. Com a chegada dos iPhones 6/6 Plus, a Apple melhorou tudo passando a suportar vídeos a 240qps. Ou seja, eles ficaram ainda mais lentos e detalhados, ainda que a qualidade (HD) fosse a mesma.

Agora, com a chegada dos iPhones 6s/6s Plus, a Apple deu um novo passo, permitindo que usuários façam também vídeos em câmera lenta com qualidade Full HD (1080p). O “problema” é que, neste caso, o limite voltou a ser de 120qps, o que não deixa o vídeo tããão lento assim. Então, cabe agora a você decidir se quer mais qualidade no vídeo ou no efeito de lentidão em si.

iPhone 6s gravando um vídeo em 4K

Essa, é claro, não foi a única novidade da nova câmera iSight. Como vocês devem saber, ela agora tem 12 megapixels e grava vídeos (normais, não em câmera lenta) com qualidade 4K — esses e outros detalhes nós cobrimos neste artigo.

Sobre vídeos em 4K, o grande diferencial mesmo de se gravar assim é assistir tudo numa televisão ou num monitor/computador (como o iMac com tela Retina) com essa resolução, já que tudo fica mais nítido e bonito. Agora, se você não trabalha com vídeo e/ou não é uma pessoa muito ligada a essa área, eu tenho que concordar com Michael Hessian (do Gizmodo) e falar que essa novidade pouco importa para você.

Poucas pessoas têm monitores/computadores/TVs com essa resolução. E como não tem quase nenhuma diferença em assistir a vídeos assim no seu MacBook/iMac/iPad/iPhone (afinal, a tela desses produtos não tem pixels suficientes para justificar isso), não há muita finalidade em gravar vídeos assim. Quer ver só? Reproduza o filme abaixo com qualidade máxima e, depois, a 1080p; me diga se você observou muita diferença.

Como disse, os contras são maiores do que os prós. Isso porque cada vídeo feito com essa resolução (também conhecida como Ultra HD) ocupa muito mais espaço do que os vídeos feitos em Full HD. Assim, se você resolver comprar um iPhone 6s/6s Plus de 16GB, rapidamente esgotará o espaço para armazenamento.

Outro ponto que joga contra: a nova Apple TV não conta com suporte a 4K. Ou seja, mesmo você tendo uma TV 4K e adquirindo uma nova Apple TV quando ela for lançada, não poderá assistir aos seus vídeos 4K gravados com seu iPhone 6s/6s Plus e enviados automaticamente para a Fototeca do iCloud. Aliás, ainda que tenha diminuído os preços do armazenamento no iCloud, a Apple continua oferecendo apenas 5GB de espaço gratuito. Se é fácil entupir um iPhone de 16GB com vídeos 4K, imagine “meros” 5GB na nuvem!

Um dos poucos pontos positivos destacado pela Apple? A possibilidade de dar zoom enquanto se está gravando ou reproduzindo um vídeo 4K — sem perda de qualidade. Legal, mas dificilmente alguém fica dando zoom em vídeos assim…

A Apple tradicionalmente aposta em uma tecnologia quando ela está para lá de consolidada no mercado. Foi assim com o NFC (para pagamentos móveis feitos com o Apple Pay), por exemplo; não foi o caso do 4K, já que pouquíssimos provedores de conteúdo criam nessa resolução.

Analisando tudo isso, eu arrisco dizer que a Apple colocou esse recurso no iPhone apenas para acompanhar a onda da concorrência mesmo — algo que ela não costuma fazer com tanta frequência.

[via iClarified]

Posts relacionados

Comentários