Viúva de Steve Jobs tentou impedir o lançamento do filme estrelado por Michael Fassbender

O filme “Steve Jobs” estreará nos Estados Unidos nesta sexta-feira, dia 9 de outubro. Roteirizado por Aaron Sorkin, dirigido por Danny Boyle e estrelado por Michael Fassbender, este parece — ao menos por enquanto — ser o principal filme que retratará o cofundador da Apple. E isso causou preocupação tanto na viúva de Jobs quanto em amigos próximos, de acordo com o Wall Street Journal. O motivo? Para eles, o que se mostra no filme não é verdade e denigre bastante a imagem de Jobs.

Bill Campbell, amigo pessoal de Jobs e um antigo membro do conselho de administração da Apple, disse que “uma geração inteira pensará nele de uma forma diferente se eles verem um filme que o descreve de forma negativa”, complementando que “se eles querem fazer um drama, não deveriam fazê-lo às custas de outra pessoa. Ele não está aqui para se defender.”

O descontentamento de Laurene Powell Jobs é tamanho que ela tentou até mesmo impedir que a produção continuasse — sem sucesso. Para ela, não apenas este mas alguns filmes recentes (como por exemplo, “Steve Jobs: Man in the Machine”) que retratam Jobs simplesmente ignoram as realizações dele, pintando o ex-chefão da Apple como uma pessoa cruel e desumana.

Estamos falando de um filme baseado na biografia autorizada de Steve Jobs, escrita por Walter Isaacson. Foi o próprio Jobs quem escolheu Isaacson para ser o autor do livro, porém — e infelizmente — não resistiu à batalha contra o câncer e faleceu antes mesmo de ver a obra ser lançada.

É difícil dizer se Jobs gostaria ou não do resultado final; todavia, familiares e amigos (incluindo atuais executivos da Apple) não gostaram do que viram e, até por isso, sentiram a necessidade de colaborar com um outro livro chamado “Becoming Steve Jobs”.

Pessoas ligadas ao filme “Steve Jobs” chegaram a oferecer algum tipo de papel para Laurene no desenvolvimento dele, mas ela recusou. Segundo o produtor Scott Rudin, a viúva de Jobs negou-se a discutir qualquer coisa no roteiro de Sorkin que a incomodava, apesar dos repetidos pedidos dele. Ela apenas falava o quanto não gostou do livro e que qualquer filme com base nele não poderia ser preciso.

Levando isso em consideração, dá para entender por que familiares e amigos próximos de Jobs não foram muito com a cara desse novo filme. Por outro lado, defendendo a produção, temos Steve Wozniak (cofundador da Apple ao lado de Jobs).

Woz, que recebeu US$200.000 para ser consultor da produção, disse que entende que o filme não retrata com precisão os eventos reais e que é mais sobre a personalidade de Jobs. Para ele, o filme fez um ótimo trabalho.

Em entrevista ao Re/code, Andy Hertzfeld (um dos designers envolvidos na criação do Macintosh, interpretado por Michael Stuhlbarg) disse que o filme se desvia da realidade em todos os momentos e que quase nada nele é como realmente aconteceu. Mas que no final isso não importa, já que o objetivo do filme é entreter, inspirar e mexer com o público — e não retratar a realidade exata. Mais do que isso, o filme tenta — e algumas vezes consegue — explorar e expor as verdades mais profundas por trás da personalidade e do comportamento incomum de Jobs.

Hertzfeld chegou a discutir com Sorkin sobre o quão importante é retratar as coisas como elas aconteceram, mas o roteirista bateu na tecla de que não se trata de um documentário e que veracidade é algo secundário nesse tipo de consideração artística. No final das contas Hertzfeld concordou com ele e disse que, embora seja difícil julgar o filme já que ele participou de tudo na vida real, a coisa como um todo está brilhantemente escrita e realizada, com muito humor e sentimento.

Talvez até como uma resposta a isso tudo, a Apple cedeu à ABC um vídeo mostrando Jobs em momentos “descontraídos” dentro da empresa, em reuniões com sua equipe de executivos.

Entre as cenas temos Jobs pedindo para que a sua equipe entrasse nas lojas da Apple e abraçasse os empregados; agradecendo o empenho das pessoas envolvidas na criação do iPhone um dia antes de ele ser lançado; e tentando explicar por que ainda usava uma calça jeans para lá de detonada. 😛

Numa nota relacionada, Woz e o ator Seth Rogen (que fez o papel dele no filme) participaram de um quadro do The Tonight Show chamado “True Confessions”) e falaram um pouco sobre as possíveis histórias verdadeiras. A de Woz envolve um assalto a mão armada com Jobs, enquanto saíam de uma pizzaria:

Veja o vídeo acima para saber o que foi roubado e se a história é mesmo verdadeira.

[via 9to5Mac: 1, 2, 3]

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários