★ Muitos de vocês se interessam por jogos; já pensaram em criar um?

INFORME PUBLICITÁRIO

Apesar do momento econômico atual do Brasil, o setor de jogos não para de crescer, gerando milhares de oportunidades a uma velocidade alucinante! Nos últimos cinco anos a indústria teve crescimento entre 9-15%, movimentando mais de R$1 bilhão no ano passado (2014), número que nos leva ao patamar de quarto maior mercado do mundo.

Além dos números não pararem de crescer, outra grande vantagem que o mercado oferece é a possiblidade de se ganhar em dólar. Com a recente alta da moeda, jogos publicados para celular viram um bom aumento da receita, já que eles podem ser vendidos para o mundo todo através de lojas de apps que cobram em dólar. Apesar destes números, atualmente existem somente cerca de 200 empresas de pequeno porte desenvolvendo jogos no país. É mais do que hora de mudarmos isso!

Para quem desejar fazer jogos no Brasil, os últimos anos têm sido bastante propícios e a expectativa é que continue melhorando. A popularização de diversas game engines (softwares utilizados para desenvolvimento de jogos) e o início da representação delas no Brasil têm facilitado bastante a vida de quem está começando. Além disso, estão ocorrendo cada vez mais eventos e debates para popularizar e trazer conhecimento ao mercado.

Como Empreender com Jogos no Brasil?

Um belo exemplo desses eventos é o Hangouts On Air que acontecerá amanhã (terça-feira, 20/10) ao vivo, às 20 horas (pelo horário de verão de Brasília) sobre como empreender com jogos no Brasil. Neste evento online, o Raphael Dias (do Produção de Jogos) convidou três grandes especialistas para falarem sobre empreendedorismo na área e discutirem o mercado de jogos no Brasil! Ainda é possível se inscrever para assistir online e fazer perguntas ao vivo! Basta se cadastrar aqui.

este outro Hangouts On Air, que aconteceu na semana passada, é uma lição repleta de dicas para aqueles que se interessam pela área de desenvolvimento de jogos e querem saber sobre transição de carreira, ouvir cases de sucesso e aprender com quem já passou por essa situação. É uma ótima oportunidade de ouvir de grandes destaques na indústria como Pérsis Duaik (ex-economista), Alexandre Kikuchi e Thiago Adamo (ex-analistas de TI), e Erick Passos (cientista da computação) como foi sua transição até trabalharem com o que amam: criação de jogos. Eles também compartilharam por que decidiram arriscar no setor depois de terem uma carreira estabelecida em outra área.

Conclusão, oportunidades e movimentação financeira não faltam na indústria de jogos brasileira. Nos eventos citados, alguns participantes fizeram mudanças mais bruscas, enquanto outros se planejaram mais para conseguirem trabalhar exclusivamente com jogos. Você verá que não existe idade para mudar de área para trabalhar com o que gosta, e muito menos uma maneira correta de fazer isso.

É isso aí, mais uma vez, não se esqueçam de se inscrever e participar do webnário de amanhã (20/10) sobre como empreender com jogos no Brasil. Com certeza esse evento também guarda grandes lições e inúmeras dicas pra quem quer saber mais ou até mesmo se aventurar na indústria de jogos!

Nos vemos lá!

Posts relacionados

Comentários