Apple lança dois novos programas para gerar energia limpa na China

Nesta semana nós comentamos que Tim Cook agora faz parte de um grupo de CEOs que se juntaram para melhorar as condições ambientais na China. Pois agora a Apple mostrou que não está de brincadeira por lá.

Em um comunicado para a imprensa, a Apple informou que lançou dois novos programas no país destinados a reduzir a emissão de carbono de suas parceiras na China. Os programas irão evitar mais de 20 milhões de toneladas de poluição de gás de efeito estufa no país entre agora e 2020, o que de acordo com a empresa é equivalente a tirar quase 4 milhões de automóveis das estradas chinesas por ano.

O CEO da Apple deu a seguinte declaração sobre o assunto:

A mudança climática é um dos grandes desafios do nosso tempo e a hora de agir é agora. A transição para uma nova economia verde exige inovação, ambição e propósito. Acreditamos apaixonadamente em deixar o mundo melhor do que o encontramos e espero que muitos outros fornecedores, parceiros e outras empresas se juntem a nós neste importante esforço.

O primeiro programa da Apple envolve a expansão significativa dos seus investimentos em energia limpa na China. A Apple planeja construir mais de 200 megawatts de projetos de energia solar nas regiões norte, leste e sul da China, o que produzirá o equivalente à energia utilizada por mais de de 265 mil casas chinesas em um ano e começará a compensar a energia utilizada na cadeia de fornecimento da Apple.

Já o segundo consiste em lançar uma nova iniciativa para impulsionar seus parceiros de fabricação a se tornarem mais eficientes na utilização de energia limpa em suas operações de fabricação. A Apple fará parcerias com fornecedores na China para instalar mais de 2 gigawatts de energia limpa nova nos próximos anos.

Paralelamente, a Maçã também compartilhará as melhores práticas na aquisição de energia limpa e na construção projetos de energia renovável de alta qualidade, fornecendo assistência a alguns fornecedores em áreas como auditorias de eficiência energética, orientações regulamentares e construção de parcerias fortes para levar novos projetos de energia limpa à China.

Como parte do programa, a Foxconn (uma das principais parceiras da Apple) construirá uma usina solar de 400 megawatts, começando na província de Henan, em 2018. A Foxconn se comprometeu em gerar energia limpa na mesma quantidade que a sua fábrica de Zhengzhou consome na produção de iPhones.

Eis a declaração de Terry Gou, fundador e CEO do Foxconn Technology Group:

Estamos muito animados em embarcar nesta iniciativa com a Apple. Nossas empresas compartilham uma visão para promover sustentabilidade e espero que este projeto de energia renovável sirva como um catalisador para a continuação dos esforços para promover um ecossistema mais verde além da nossa indústria. A sustentabilidade é um pilar fundamental na estratégia da Foxconn e estamos comprometidos a investir na fabricação verde.

Agora, por fim, a declaração de Lisa Jackson (vice-presidente de iniciativas ambientas, políticas e sociais da Apple):

Ser responsável, proteger o ar e a água, e conduzir energia limpa estão no centro do compromisso da Apple com a China. Esses projetos vão além das operações da Apple na China para ajudar nossos fornecedores a adotar energia limpa e renovável.

A Apple também anunciou que seu projeto de energia solar de 40 megawatts na província de Sichuan está agora completo. Essas instalações solares produzem mais do que a quantidade total de eletricidade usada pelos escritórios e pelas lojas da Apple no país, o que faz a empresa ser totalmente verde na China — ao menos em relação às suas próprias operações.

De acordo com o comunicado, a Apple já tomou medidas significativas para proteger o meio ambiente através da transição de combustíveis fósseis para energia limpa. Hoje, a empresa está alimentando 100% das suas operações na China e os EUA, e mais de 87% de suas operações em todo o mundo com energia renovável.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários