Jony Ive fala sobre os desafios tecnológicos e as oportunidades que surgem com o Apple Pencil

Dar entrevistas. Essa é nova onda entre os executivos do alto escalação da Apple. Tim Cook, Eddy Cue, Phil Schiller… chegou a vez de Jony Ive ser o centro das atenções por conta da chegada de um acessório amplamente conhecido por nós, mas que até então a Apple nunca havia criado: uma stylus (mais especificamente, um lápis).

iPad Pro deitado e de lado com mão segurando o Apple Pencil

Além do Apple Pencil, temos também a chegada do Smart Keyboard. Mas há de convir que a curiosidade em torno do lápis da Apple é maior não apenas pelo aspecto criativo do produto como pela tecnologia envolvida e pela polêmica por conta de Steve Jobs ter rejeitado uma stylus ao apresentar o iPhone em 2007 — deixando claro que o contexto era completamente diferente, já que o ex-CEO da Apple estava se referindo à principal forma de interagirmos em uma tela de smartphone (dia-a-dia) e não sobre um acessório especialmente criado para que pessoas da área consigam realizar coisas que, com a ponta do dedo, seria impossível (ou muito difícil).

A entrevista para o The Telegraph contou brevemente a história de um dos designers mais famosos do mundo e dos desafios de se criar algo completamente tecnológico, porém feito para replicar justamente uma ação que nós, humanos, estamos acostumados a fazer há bastante tempo.

Nós esperamos que, se você está acostumado a passar muito tempo usando pincéis, lápis e canetas, você sentirá isso [o Apple Pencil] como uma extensão mais natural dessa experiência — você estará familiarizado. Tivemos um desafio tecnológico significativo para atingir esse grau de comportamento muito simples e natural.

[…] Muitos de nós, na equipe de design, trabalhamos juntos por 20 anos ou mais. Nós sempre desenhamos em nossos cadernos, e pela primeira vez — apesar de termos flertado com algumas alternativas há anos — eu estou vendo as pessoas começando a usar o iPad e o Apple Pencil. Nossa experiência pessoal tem sido de que definitivamente há recursos e oportunidades agora que você tem um ambiente muito mais natural e intuitivo para trabalhar, claramente existem coisas que você pode fazer desenhando e escrevendo no iPad que nunca poderia sonhar em fazer no mundo analógico.

A ideia de Ive é que as pessoas se surpreendam ao utilizar o Apple Pencil, já que, de acordo com ele, todas as styli que já utilizamos até hoje são “uma representação pobre no mundo analógico”.

Esse é o tipo de coisa que só teremos como comprovar depois de colocar as mãos em uma e estar por um bom tempo — especialmente quem é da área, é claro. Os primeiros feedbacks que vimos por aí realmente estão elogiando o lápis como um todo, mas isso não quer dizer que todos os aspectos do acessórios agradaram. Ive chegou a comentar um desses pontos: o fato de ter que “espetar” a caneta no próprio conector Lightning do iPad Pro para recarregar o acessório.

“Nós não gostamos de ter que carregar vários dispositivos e gerenciá-los, então uma das coisas na qual trabalhamos arduamente foi o processo de recarregamento.”

Recarga da bateria do Apple Pencil

Ainda que demore cerca de 15 segundos para você poder utilizar o lápis por 30 minutos, definitivamente esse processo de carregamento não é algo intuitivo. Menos mal que na caixa do acessório existe um adaptador Lightning para facilitar as coisas. Mas ao meu ver, a Apple deixou passar uma boa oportunidade de resolver dois problemas de uma vez só: imagine se ela tivesse criado um sistema de carregamento no qual, ao prendermos o Apple Pencil no iPad Pro (na lateral dele mesmo, com ímãs), automaticamente o acessório começaria a ser recarregado por indução? Além de ter um lugar fixo para guardar o lápis ele quase sempre estaria com a bateria cheia (já que, enquanto não estivesse em uso, estaria ali, guardado e recarregando).

Outro ponto que chegou a incomodar alguns foi a falta de uma “borracha” na ponta superior do Apple Pencil, algo que é comum vermos em acessórios do tipo. Este ponto, porém, não foi abordado por Ive na entrevista.

Por mais que executivos da Apple estejam conversando muito mais com a imprensa do que antes, o diretor de design da Maçã ainda é, sem dúvidas, uma das pessoas mais reservadas desse círculo. Não é tão comum o vermos conversando com jornalistas assim, então é sempre bom ler e entender um pouco mais a visão do designer que atualmente comanda boa parte da Apple.

Apple Pencil

O Apple Pencil já está à venda no Brasil por R$749, com previsão de entrega entre 4 e 6 semanas.

[via MacRumors]

Posts relacionados

Comentários