Tim Cook responde à popularidade crescente de Chromebooks chamando-os de “máquinas de teste”

Há décadas a Apple é conhecida por ter uma participação forte no setor acadêmico, especialmente nos Estados Unidos. Todavia, de alguns anos para cá ela tem perdido bastante força para os Chromebooks do Google.

Conforme noticiamos, a Apple esta semana mais uma vez está participando do evento Hora do Código e o BuzzFeed teve a oportunidade de se encontrar com Tim Cook na Apple Store, Upper East Side em Nova York. O foco do papo foi justamente essa rivalidade recente entre Chromebooks e iPads em salas de aula.

O CEO da Apple foi um tanto reativo, chamando os Chromebooks de “máquinas de teste” e que os produtos da Maçã já são soluções completas (bem resolvidas) focadas em aprendizado. Os Chromebooks custam no geral a metade do preço de iPads e já têm teclado embutido, porém requerem conexão constante com a internet e são limitados quanto ao uso de softwares personalizados para escolas.

O Mashable também falou com Cook e obteve a seguinte declaração: “Eu não sou fã de ensinar para provas. Acho que criatividade é muito importante. Treinar a mente a pensar é muito importante. Ensinar para testes, para mim, é memorização demais. Num mundo onde você tem toda a informação bem aqui [disse Cook apontando para um iPhone], a sua habilidade de memorizar em que ano uma guerra foi vencida, esse tipo de coisa, não é muito relevante. […] A sala de aula do futuro é de resolução de problemas, de criar e aprender a como se expressar.”

Cook também acredita que programação deveria ser uma matéria obrigatória em escolas (mesmo públicas), que o sistema de educação dos EUA precisa ser reinventado. E a Apple tem investido bastante nisso, começando principalmente pelas instituições mais carentes.

[dica do Robson Pinheiro]

Posts relacionados

Comentários