Por que a nova case com bateria da Apple é mais “inteligente” que as outras

Bateria é, sem dúvida, o calcanhar de Aquiles de muitos aparelhos eletrônicos atualmente. Quando estamos falando de MacBooks e iPads, a coisa melhora. Mas quando o assunto é o smartphone da Apple, aí a coisa complica (especialmente os iPhones “não-Plus”).

Dificilmente um usuário que utiliza muito um iPhone 6/6s consegue chegar ao final do dia com alguma bateria. É bastante comum esse tipo de pessoa ter que recarregar o iPhone em algum momento à tarde, seja no automóvel, no trabalho, com alguma bateria externa… Pensando nisso e sabendo que esses acessórios vendem aos montes, a Apple foi lá e criou a Smart Battery Case.

iPhone 6s Smart Battery Case - Charcoal Gray

Não entrarei no mérito do visual da capa pois isso já foi amplamente discutido nos comentários deste artigo e no MacMagazine no Ar #160. O que quero discutir, aqui, é como — aparentemente — a Apple conseguiu de fato criar algo diferente do que temos visto por aí em termos de tecnologia/utilização.

Normalmente, as cases com bateria contam com um interruptor pelo qual podemos ligar/desligar a bateria externa que alimenta o iPhone. A princípio isso é legal pois você pode controlar exatamente o momento em que quer recarregar o aparelho, correto? Pois é aí que entra o pulo do gato da Smart Battery Case.

Ela não conta com nenhum interruptor desses, muito menos LEDs indicando o nível da bateria1 (tanto o nível de bateria da case quando do iPhone são mostrados pelo iOS, na Tela Bloqueada ou na Central de Notificações). Ou seja, levando em conta que a case está com 100% de bateria, ao encaixar o iPhone nela ele automaticamente passará a ser recarregado. Ou não.

Jesse Hollington (editor sênior do iLounge) compartilhou algo interessante e que parece mesmo ser o caso da Smart Battery Case. De acordo com ele, a ideia da case não é recarregar o iPhone e sim servir como uma fonte de alimentação/energia para ele. Parece a mesma coisa, né? Mas não é.

Pense numa case de bateria comum. Normalmente, é assim que uma pessoa a utiliza:

  1. Recarrega a case e o iPhone em casa.
  2. Ao sair de casa, a case está com o interruptor desligado — afinal o iPhone está com 100% de bateria.
  3. Utiliza o iPhone até a bateria se aproximar do zero.
  4. Liga a bateria externa da case para recarregar o iPhone.
  5. A case então perde a bateria ao mesmo tempo em que o iPhone vai ganhando.
  6. Ao chegar em casa, tanto a case quanto o iPhone são recarregados novamente — e no dia seguinte o ciclo se repete.

Pois agora pense em como a Smart Battery Case funciona:

  1. Tanto a case quanto o iPhone são recarregados em casa.
  2. Ao desplugar a case/iPhone da energia e sair de casa, o iPhone continuará com 100% de bateria, sendo alimentado pela bateria da case.
  3. Quando a bateria da case termina, aí sim a do iPhone passa a ser utilizada.
  4. Ao chegar em casa, a dupla case/iPhone é novamente recarregada à noite — e o ciclo se repete no dia seguinte.

Reparou que existe um passo a menos no caso da Smart Battery Case? Pois é, e ele é muito importante pois envolve ciclos de bateria. Basicamente, ao utilizar a Smart Battery Case, você está fazendo apenas um ciclo de recarga por dia pois ao sair de casa e utilizar primeiro a bateria da case, é como se o iPhone ainda estivesse ligado à tomada.

Já no caso de uma case com bateria tradicional, o iPhone é recarregado duas vezes ao dia (pela bateria da case e em casa), provavelmente chegando bem próximo a completar dois ciclos diários.

A analogia de Hollington é perfeita, veja só:

Pense nisso desta maneira: usando uma case com bateria para iPhone simplesmente como um backup, ao ser ligada quando a bateria do seu iPhone fica fraca, é semelhante a ter dois copos de água, mas apenas beber pelo primeiro — quando esse copo está vazio, em vez de pegar o segundo, você despeja [a água] do segundo copo de volta no primeiro. Não faz muito sentido, não é?

Levando em conta que as baterias dos iPhones são projetadas para reter até 80% da sua capacidade original por 500 ciclos completos de carga, isso pode fazer uma baita diferença. É claro que as cases de bateria tradicionais também podem funcionar como a da Apple, afinal é só deixar o interruptor sempre ligado — assim, ao sair de casa pela manhã, a mesma lógica da Smart Battery Case é seguida. A diferença é que a case da Apple não dá opção para que o usuário faça algo diferente disso, a não ser tirando o iPhone da case e colocando no meio do dia (coisa que eu não imagino muitas pessoas fazendo).

Para completar, ainda tem o “problema” que a Smart Battery Case resolve e que, até então, ninguém imaginava de fato ser um problema: a presença de antenas extras para aprimorar a qualidade do sinal celular já que as tradicionais cases com bateria — ao menos de acordo com a Apple — podem gerar algum tipo de perda de sinal.

Interessante…

Posts relacionados

Comentários