“Apple Car”: em entrevista, Tim Cook fala abertamente sobre o mercado de automóveis

Aproveitando a ocasião (a Apple foi eleita pela nona vez seguida a empresa mais admirada do mundo pela Fortune), a publicação resolveu entrevistar Tim Cook para falar da Apple como um todo.

Publicidade

Cook falou sobre o último trimestre financeiro da Apple (ele não se importa com as críticas/dúvidas principalmente relacionadas à desaceleração de vendas dos iPhones, apenas se a empresa está fazendo aquilo que é o foco/norte dela: os melhores produtos para enriquecer a vida de consumidores), crise (para muitos, um período de oportunidade; Cook mesmo enfatizou o fato de empresas ficarem mais baratas para possíveis aquisições, abrindo espaço para gerar mais inovações dentro da Apple), do mix de produtos da Apple e da dependência do iPhone (para Cook, não importa muito isso desde que a Apple esteja fazendo os melhores produtos; prova disso é que já são hoje mais de 1 bilhão de dispositivos Apple por aí e o faturamento dos serviços da empresa não para de crescer), entre outras coisas.

Mas a entrevista ficou mesmo interessante quando Adam Lashinsky questionou Cook sobre o “Apple Car”. O jornalista perguntou por que o CEO simplesmente não confirma logo que a empresa está trabalhando num projeto de carro já que até mesmo existe uma lista na Wikipédia com nomes de pessoas ligadas ao setor automotivo que estão trabalhando na Maçã.

O executivo disse então que não faria isso pois “a grande coisa sobre estar aqui [nesta situação] é que estamos curiosos”. Ele continuou “Nós exploramos tecnologias e exploramos produtos. E estamos sempre pensando em maneiras de como a Apple pode fazer grandes produtos de que as pessoas gostam, como ajudá-los de alguma forma. E nós não entramos em muitas categorias, como você sabe. Editamos muito. Nós falamos sobre um monte de coisas e fazemos menos. Debatemos muitas coisas e fazemos muito menos.”

Publicidade

Sobre investir muito dinheiro em algo que não necessariamente se transformará em um produto, Cook respondeu que poderia, sim, fazer isso, mas que a empresa não precisa gastar tanto para explorar novos produtos/mercados.

Mas quando começamos a gastar grandes quantidades de dinheiro, estamos empenhados nesse ponto. Porém nós exploramos as coisas com equipes de pessoas. E isso é uma parte de ser curioso. Parte de explorar tecnologias e escolher o caminho certo a ponto de estar tão familiarizado com ele que você pode ver maneiras nas quais ele pode ser usado. Nós nunca fomos [preocupados] em ser os primeiros. Pensamos em ser sempre os melhores. Então, vamos explorar muitas coisas diferentes, muitas tecnologias diferentes. E no começo pode ser que não saibamos como será o produto. E depois, vamos enxergar que essa tecnologia muito legal permite que, talvez, as coisas que estamos fazendo hoje se tornem algo maior, talvez algo novo. Mas uma vez que começamos a gastar rios de dinheiro — como quando começamos os gastos com ferramentas e coisas assim — estamos comprometidos.

Lashinsky perguntou então se investir em milhares de pessoas (empregados de uma determinada área para exploração de um mercado) e em ferramentas era a mesma coisa em termos de desperdício de dinheiro. Para Cook, não. São coisas completamente diferentes — no caso de o negócio/produto não ir à frente e não ser lançado.

Continuando o papo sobre o mercado automotivo, Lashinsky quis saber se Cook acredita na ideia de uma fábrica (como uma Foxconn da vida) montar carros para uma determinada empresa. Ou seja, se as montadoras de hoje poderiam terceirizar suas produções, como acontece atualmente com smartphones, tablets, computadores e praticamente tudo o que vemos por aí.

Publicidade

Para Cook esse cenário é, sim, possível. Apesar de a indústria automotiva ter nascido com essa característica de fabricar os seus próprios carros, Cook não vê nenhum empecilho, nenhuma razão fundamental para uma possível terceirização vir a ocorrer.

Na entrevista Cook também fala que o Apple Pay se expandirá ainda mais nos EUA (em quantidade de lojas que aceitam o serviço), que o futuro campus “espaçonave” deverá ficar pronto no início de 2017 e que eles estão conversando com a família de Steve Jobs para honrá-lo de alguma forma no novo espaço.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…