Apple abre a News, sua plataforma de notícias, para todos os veículos (nos EUA, no Canadá e na Austrália)

Esta semana está sendo bastante importante para a News, plataforma de notícias da Apple. Além de ganhar uma nova opção de publicidade e de a Apple estar investigando meios para permitir que veículos com conteúdos pagos possam utilizar a plataforma assim como os que disponibilizam tudo de graça (como nós, do MacMagazine), ela agora está liberada para todo e qualquer veículo que queira publicar seu conteúdo por lá.

Publicidade

Plataforma online do News, da Apple

Explico: quando foi lançada (por enquanto apenas nos Estados Unidos, no Canadá e na Austrália), apenas alguns poucos veículos tiveram acesso à plataforma em sua totalidade. Usuários podem, por exemplo, adicionar o MM ao feed de notícias do News, mas nós aqui ainda não temos acesso à plataforma (ferramentas de edição) para deixar os posts da forma que gostaríamos.

Agora, conforme informou a WIRED (que é uma das que estão dentro da plataforma desde o começo, junto de outras cerca de 99), as ferramenta de edição para publicação de conteúdo no News estão abertas para todos — nos países onde o aplicativo já está ativo, é claro.

Publicidade

Paralelamente, a Apple anunciou também um novo painel de análises para que editores possam visualizar as respectivas métricas relacionadas aos seus conteúdos disponibilizados na plataforma — até então, nenhum desses veículos que estão atualmente dentro do News sabem, por exemplo, quantas pessoas leram seus artigos.

Em uma nota relacionada, a Apple também achou que agora — até mesmo por conta dessas novidades — é o momento para começar a dar destaque ao News.

Anúncio do News, da Apple

Anúncio do News, da Apple

Por isso, conforme disse o Re/code, ela está com uma campanha offline e online que traz o seguinte título: “All the [categoria da notícia] news you want. All in one place.” (algo como “Todas as notícias de [categoria da notícia] que você quer. Todas em um único lugar.”

Agora é torcer para o News ser também expandido logo para outros países — incluindo Brasil e Portugal, é claro.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…