Com a ajuda do iPad, tatuador projeta como vão ficar os desenhos da sua clientela

Além de apresentar as novidades do universo Apple, um dos pontos mais interessantes de escrever para o MacMagazine é poder mostrar como a tecnologia, aliada à criatividade, melhora a vida das pessoas. Muitas vezes parece que as ideias estão esperando alguém descobri-las, como no exemplo de Fred Giovannitti, tatuador de Las Vegas. Por meio do aplicativo Procreate no iPad Pro e um Apple Pencil, o artista simula como o desenho escolhido vai ficar no corpo da sua clientela.

Nem pense que essa tecnologia serve para agilizar o processo, tornando ele impessoal. Muito pelo contrário: Giovannitti tem um ritual que o ajuda a desenvolver seu trabalho e satisfazer seus clientes. Primeiro ele fotografa a região do corpo escolhida para a tatuagem; em seguida, a imagem é carregada no iPad para ser transformada em esboços do desenho enquanto ele entrevista a pessoa, extraindo o máximo de informações que o ajudarão na técnica.

Guardados no tablet, esses esboços são expostos para os clientes terem noção de como vai ficar o produto final, ou seja, trata-se de um trabalho colaborativo. Em entrevista ao BuzzFeed, o tatuador afirmou que começa o seu interrogatório pedindo para a pessoa contar por que quer se tatuar, “acaba sendo uma parte da história do cliente em vez de algo inspirado na moda”. Ainda segundo Giovannitti, “eles ficam muito animados ao ver o que é desenvolvido. Geralmente é muito mais complexo e detalhado do que eles esperavam”.

A única queixa fica por conta da tampa da caneta: “É minúscula! Eles deveriam encontrar algo que deslize ou um adaptador na parte superior. A possibilidade de perdê-la me deixa muito nervoso”, desabafou Giovannitti. Fica aí a dica para a Apple, que muitas vezes se preocupa mais com o design do que com a funcionalidade do produto. 😉

Para quem quiser conhecer mais o trabalho do artista, é só acessar o Instagram dele.

[dica do Ariel Marques]

Posts relacionados

Comentários