“Break this Safe” não é só um viciante joguinho pro Apple Watch — é uma verdadeira prova de conceito

O processo construtivo de uma nova categoria de produtos vai muito além do lançamento da sua primeira geração; ele continua por anos e anos, tentativas e erros, até que se chegue a um estágio de amadurecimento em que torna-se, com sorte, parte essencial (ou mesmo obsessiva) da vida moderna. Em relação ao Apple Watch, especificamente, o consenso entre os especialistas e usuários é que trata-se de um bom produto, mas prejudicado pelas limitações e deficiências inerentes a todos os devices de primeira geração — pense no primeiro iPhone ou iPad e você saberá do que eu estou falando.

O resultado disso é uma série de aplicativos fracos, pouco úteis ou lentos/bugados. De fato, no reloginho, a maioria dos usuários prefere ficar apenas com os apps nativos, mais refinados e integrados com o iPhone e sua experiência de usuário. Um designer, entretanto, pretende mudar este paradigma, e a sua arma é um simples porém exasperante joguinho chamado “Break this Safe”, exclusivo pro Apple Watch.


Ícone do app Break this Safe: A free game for your Apple Watch

Break this Safe: A free game for your Apple Watch

de Rafael Conde

Compatível com iPhonesCompatível com Apple Watches
Versão 1.0.1 (20 MB)
Requer o iOS 9.2 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

O jogo consiste em desafios curtos, de 30 segundos no máximo, nos quais o usuário deve acertar a sequência de códigos daquelas famosas roletas giratórias que selam cofres antigos. Para controlar a roleta, gira-se a Digital Crown do relógio. “Pistas” da proximidade do código são dadas através de vibrações no pulso do jogador.

"Break this Safe" em Apple WatchesSe parece simples, é porque é, de fato, mas só na superfície: o processo de construção do app não poderia ser mais diferente disso. O designer e programador português Rafael Conde, autor do jogo, publicou um estudo de caso completo no seu site oficial, detalhando a ideia original — curiosamente obtida enquanto ele assistia à excelente série “Sense8”, do Netflix — e os percalços de desenvolver uma aplicação com tantas nuances num aparelho com poder de processamento tão baixo e de sistema tão simplista.

Segundo Conde, é impossível girar imagens no Apple Watch, o que o obrigou a criar 100 imagens diferentes para cada uma das posições da roleta; depois disso, foi necessário editar e comprimir essas imagens ao máximo para não sobrecarregar o relógio. Também foi necessário incluir uma recomendação ao jogador de ligar o modo silencioso do gadget durante o jogo, já que cada uma das vibrações do Taptic Engine é indissociável de um som de notificação.

Estes são só alguns dos relatos no estudo de caso do designer, que vale muito a pena ser lido. E se você tem um Apple Watch, baixe o joguinho, que é gratuito (com a opção de doações através de In-App Purchases) e divirta-se. 🙂

[dica do @grigio]

Posts relacionados

Comentários