Adolescentes desaparecem no mar e Apple ajudará família a tentar recuperar dados de iPhone submerso

A imprensa americana está acompanhando desde julho de 2015 uma história muito triste: dois jovens de 14 anos desapareceram ao irem pescar no mar de Palm Beach, na Flórida. Para nós, esta história chega através do iPhone 6 de um dos meninos, cujos dados podem significar uma ponta de esperança e conforto para as famílias.

Meninos desaparecidos na Flórida

Como de costume, os adolescentes Perry Cohen (esquerda) e Austin Stephanos (direita) saíram para pescar no dia 24 de julho de 2015. Infelizmente, diferentemente das outras vezes, eles não retornaram mais. Mesmo com as buscas intensas da Guarda Costeira local e da família desde então, somente em março deste ano o barco de 5 metros foi encontrado naufragado por uma embarcação norueguesa a 160km de Bermudas (aproximadamente 1.600km de onde os meninos foram vistos pela última vez). Em um dos compartimentos do barco estava o iPhone 6 de Austin.

Iphone submerso de menino desaparecido

Assim que o aparelho foi resgatado, a Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida o enviou para o pai de Austin, que o guardou como uma lembrança de seu filho. Porém, a mãe de Perry (Pamela Cohen) desejava que o telefone fosse entregue como evidência no caso do desaparecimento pois, segundo ela, seu filho tinha ligado para sua família no último dia em que foi visto. Para isso, Pamela entrou com uma ação para que o celular fosse enviado para o Estado, mas nenhuma investigação foi feita. Depois do consentimento das duas famílias, o telefone foi enviado à Apple, que consentiu em tentar retirar alguma informação do dispositivo — segundo afirma o advogado da família Stephanos.

Como o telefone ficou oito meses submerso em água salgada, ele está bastante danificado e ainda é incerto se há possibilidade de recuperar algum dado. Um especialista em TI já tentou verificar se havia algum backup no iCloud, mas descobriram que esse recurso nunca foi ativado. Também não se sabe se ele é protegido por senha, portanto não se pode afirmar qual será a medida tomada pela Maçã. Mesmo assim, as comparações com outros casos de desbloqueio de iPhone — como o de San Bernardino — não cessam de aparecer.

Ainda que as possibilidades de encontrar algo no iPhone sejam pequenas1, as famílias continuam esperançosas em achar fotos, vídeos, textos ou histórico de ligações que poderão servir como evidências para ajudar no caso.

[via MacRumors]

Posts relacionados

Comentários