Ações da Apple entram no seu maior ritmo de queda em 18 anos [atualizado]

AAPL em 3 de maio de 2016

Agora há pouco, falamos de uma entrevista que Tim Cook concedeu ontem à noite e que pode vir a animar um pouquinho os investidores da Apple. Mas o fato é que, da divulgação dos seus últimos resultados financeiros para cá, a AAPL entrou no seu maior ritmo de queda em 18 anos (desde 1998, quando registrou oito quedas seguidas).

As ações da Maçã fecharam a terça-feira passada (26/4) valendo US$104,35. Ontem, o pregão da NASDAQ encerrou-se com elas cotadas a US$93,64 — uma despencada de mais de 10% em poucos dias, porém elas já vinham caindo consecutivamente desde 20 de abril (quando valiam US$107,13). Em 14 de abril, atingiram um pico recente (não histórico) de US$112,10.

Para uma empresa do tamanho da Apple, isso significa dezenas de bilhões de dólares em valor de mercado (market cap) que evaporaram-se simplesmente porque os analistas de Wall Street não confiaram nas previsões de resultados que a Apple havia dado em janeiro. Ainda assim, ela continua sendo a mais valiosa do mundo — agora em US$512,91 bilhões.

Neste momento, pré-abertura dos pregões da NASDAQ, a AAPL opera em leve alta de 0,2%.

Atualização · 03/05/2016 às 18:56

E a sequência de quedas realmente foi interrompida. A AAPL fechou esta terça-feira com alta de 1,64%, cotada a US$95,18. O valor de mercado da Apple foi a US$521,34 bilhões.

Posts relacionados

Comentários