Polícia de Los Angeles consegue hackear iPhone 5s de mulher assassinada

Sabe aquela ideia de que, do jeito que as coisas vão, 2016 ficará marcado como o ano em que os governos e serviços de inteligência do mundo se convenceram de vez que os smartphones guardam informações extremamente pessoais (e às vezes incriminadoras) e resolveram se meter de vez no ramo de invasão dos aparelhinhos? Pois isso, ao menos na minha opinião, já pode ser considerado como a mais pura verdade.

April Jace e Michael Jace

Eis a mais nova história compartilhada pelo Los Angeles Times: o ator Michael Jace1 foi acusado de assassinar a sua esposa, April Jace, com um tiro a queima roupa no dia 19 de maio de 2014, após uma discussão por mensagens de texto. O advogado de defesa do ator conseguiu fazer com que a sentença do ator fosse postergada utilizando o argumento de que o telefone dela (um iPhone 5s) deveria ser exaustivamente investigado a fim de provar que ela estava tendo um caso extraconjugal.

Desde então a polícia de LA vem tentando hackear o iPhone sem sucesso. Em janeiro de 2015, um técnico da Apple foi ordenado por um juiz para ajudar a tentar extrair os dados — em vão, já que nada foi conseguido. Uma segunda tentativa, feita pelo escritório do procurador do distrito de LA, acabou deixando o aparelho “desativado” — pouco tempo depois, autoridades tentaram inspecionar novamente o iPhone, mas ele nem sequer ligava, segundo consta nos mandados de busca.

Entretanto, em 18 de março de 2016 (período que bate com o famoso caso Apple vs. FBI no qual o bureau conseguiu acessar as informações do iPhone 5c de um terrorista), o detetive Connie Zach afirmou que a polícia encontrou um especialista no assunto capaz de passar por cima das funções bloqueadas do iPhone 5s em questão e ter acesso às informações desejadas. O mandado de busca, porém, não detalhou o método utilizado pela polícia para invadir o telefone nem revelou a identidade do perito. Também não está claro qual é a versão do iOS instalada no iPhone 5s de April Jace.

Michael Jace não tem nenhuma prisão em seu histórico, contudo, o jornal californiano informou que, nos papéis do divórcio de seu primeiro casamento, há citações de ameaças e violência doméstica — sua ex-mulher, Jennifer Biiterman, alegou em um documento de 1997 que Jace ameaçou matá-la se eles entrassem em uma guerra sobre os direitos de o pai de visitar seu filho.

[via MacRumors]

Posts relacionados

Comentários