Apple não consegue recuperar iPhone de adolescente desaparecido, mas oferece esperanças

Nós já contamos por aqui a trágica história de Perry Cohen e Austin Stephanos, dois adolescentes de 14 anos que desapareceram no mar da Flórida depois de saírem para pescar em junho de 2015. Em março deste ano o barco dos meninos foi achado e, dentro dele, estava o iPhone 6 de Austin que ficou 8 meses submerso em água salgada. O aparelho foi enviado à Apple em abril para que tentassem repará-lo a fim de retirar dele alguma informação.

iPhone submerso de menino desaparecido

Segundo a WPBF 25 — afiliada da ABC News —, a equipe da Maçã precisou então desmontar o celular, limpar cada componente e fazer um relatório químico. Infelizmente, mesmo que tenham trabalhado “dia e noite” para repará-lo, não conseguiram retirar nenhum dado. Por meio do seu advogado, Michael Pike, Blu Stephanos agradeceu à Apple por todo o “trabalho duro” e expressou sua vontade de ficar com o iPhone como uma lembrança do seu filho, mesmo que o aparelho esteja inoperante.

Mas, ao que parece, o embate entre as famílias vai retornar. Isso porque Pamela Cohen, mãe de Perry, quer continuar com a busca por informações em consideração à “memória do seu filho”. Ela relatou que a Apple teria dito que poderia entregar o telefone a outros especialistas na área, os quais continuariam o trabalho — isto é, caso as famílias autorizassem. Pamela ainda tem esperanças: “Nós esperamos trabalhar em conjunto à família de Austin nesta transição. Nós não vamos desistir da possibilidade de o iPhone ser evidência até que todas as opções possíveis tenham sido procuradas.”

[via MacRumors]

Posts relacionados

Comentários