Fãs de Monument Valley vão adorar o jogo Mekorama

Se você, assim como eu, chorou ficou triste quando zerou o lindíssimo Monument Valley, vai ficar feliz em saber que a mesma mecânica de jogo está sendo adotada por muitos jogos por aí. Com uma apresentação muito parecida, o cativante Mekorama (“Mechanical diorama”) se apropria dessa mecânica e vai muito além.


Ícone do app Mekorama

Mekorama

de Martin Magni

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 1.1 (9.4 MB)
Requer o iOS 6.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Screenshot do app MekoramaScreenshot do app MekoramaScreenshot do app MekoramaScreenshot do app MekoramaScreenshot do app Mekorama

Peço desculpas de antemão pelo uso exacerbado de diminutivos nesta resenha, mas não consegui me conter diante deste joguinho fofinho.

Mekorama é um jogo quebra-cabeça com um cenário 3D cujo objetivo é levar o cambaleante robozinho de volta para casa. Para isso, você precisa ir de um ponto a outro, passando por mecanismos que dificultam facilitam seu movimento pela fase.

Apesar de a atmosfera, os sons e o visual lembrarem Monument Valley, ele consegue encantar e se destacar por alguns fatores. Antes mesmo de iniciar o jogo, você percebe o modo cuidadoso e incrível com que as fases foram organizadas. Isto é, cada fase é um cartãozinho guardado em um tipo de catálogo que possui cinco páginas diferentes. Ao selecionar um cartão, a fase escolhida pula na tela, revelando seu número, nome e — pasmem — código QR. Para quê? Bem, o genial criador Martin Magni achou que seria interessante que cada fase tivesse seu código de compartilhamento. Todos podem acessar uma fase específica apenas escaneando o código de uma imagem, do celular de alguém ou baixando a imagem. Não é legal?

Junto do código QR, a funcionalidade que mais me faz querer dar um abraço no Magni é a de criação de fases. Sim, você leu corretamente: criação de fases. Qualquer ser humano portando um aparelho com iOS ou Android pode criar fases e compartilhá-las através de códigos em redes sociais, por email, etc. O próprio Magni já disponibiliza a fase “bônus” chamada Pinball Delusion para nos inspirar.

Outro fator que me chamou a atenção foi o desengonçado robozinho principal. Ele é basicamente a versão 3D do Odd, personagem do jogo pago Odd Bot Out feito pelo mesmo criador. Não existe muita “ação” no jogo, basta você tocar em um lugar e o robozinho vai andando desajeitadamente até esse ponto — mas é tão engraçadinha a maneira com que ele faz isso que achei válido citar.

Após descrever as maravilhas proporcionadas pelo game, você me pergunta: quanto custa? Por mais inacreditável que possa ser, Magni decidiu adotar a tática “pague o quanto você quiser”. Isso significa que, se você quiser jogá-lo gratuitamente pelo resto de sua vida, você pode. Mas, se quiser contribuir, pode escolher dentre os variados valores a partir de US$1. E, como Magni escreveu: “Se você não pode pagar mas gostou do jogo, escreva uma resenha!”

Não sei o que vem a partir de hoje, mas por mim pode fechar a conta de 2016 porque esse jogo é apaixonantemente maravilhoso!

Ah: se isso tudo não for suficiente para fazer com que você o baixe, talvez a recomendação do próprio Phil Schiller (chefão de marketing da Apple) lhe convença. 😉

[via Cult of Mac]

Posts relacionados

Comentários