Adweek lista 100 líderes em áreas como marketing, mídia e tecnologia; Tim Cook fica em 3º lugar

Mark Zuckerberg na capa da Adweek

A Adweek divulgou nesta semana a Power List 2016 (algo como “Lista dos Poderosos de 2016”) com os nomes de 100 líderes em áreas como marketing, mídia e tecnologia.

Para montar a segunda edição anual da Power List da Adweek, foram considerados os perfis e resultados globais dos titãs corporativos, levando em conta critérios como o valor da empresa, a receita e crescimento da receita, o desempenho do mercado, o alcance e a afinidade do consumidor, a sua posição entre os rivais, o número de empregados supervisionados, as aquisições e parcerias importantes, os prêmios e o zumbido na mídia.

O Top 5 ficou assim: Mark Zuckerberg (#1, CEO do Facebook), Larry Page (#2, CEO e cofundador da Alphabet1), Tim Cook (#3, CEO da Apple), Robert Iger (#4, CEO e presidente da Disney) e A.G. Leaflet (#5, CEO e presidente da Procter & Gamble).

Eis o que a publicação fala sobre o chefão da Maçã:

Ultimamente, a reputação brilhante da Apple tem sido manchada. Depois de quatro anos de crescimento dinâmico desde que Cook (55 anos) assumiu o lugar do lendário cofundador Steve Jobs, a Apple começou a performar abaixo do seu grupo no Vale do Silício e as ações da gigante de tecnologia caíram em conformidade. Depois de se tornar a primeira corporação dos EUA a chegar a US$700 bilhões em capitalização de mercado, o valor da empresa recentemente mergulhou abaixo dos US$500 bilhões, e a Apple encontra-se agora em um batalha com a Alphabet para o primeiro lugar no S&P 500. Os maiores culpados? Vendas mais lentas do iPhone e uma estreia decepcionante do relógio da Apple. Alguns dizem que a correção [para esses problemas] está muito atrasada — e culpam Cook pelo deslize. Na verdade, ele está fazendo incursões que poderiam abrir novos fluxos de receita. Um exemplo: um investimento recente de US$1 bilhão no serviço de caronas/transporte Didi Chuxing, o “Uber da China”. Outro: o aplicativo da Apple Music para Android foi lançado em novembro e, sem dúvida, foi o maior impulso da empresa em uma plataforma rival. Comerciais para o app estrelado por Taylor Swift se tornaram virais, exibindo uma publicidade culturalmente suculenta que estava faltando na Apple ultimamente. (Apesar de a Apple ter ganhado dois Grand Clios, um para a sua campanha “Galeria Mundial”, de iPhones, e outro para “O Jogo Antes do Jogo” da sua unidade Beats by Dre.)

A lista conta ainda com diversos outros nomes do setor de tecnologia — afinal, estamos falando de um ranking com 100 posições. Aos interessados, vale passar por lá.

[via Apple World Today]

Posts relacionados

Comentários