Review: roteador RT-AC68U, da ASUS, compartilha duas redes simultaneamente — até mesmo de um modem 4G

Nas últimas semanas, recebi da ASUS e estive testando uma das suas opções mais completas no mundo dos roteadores. O RT-AC68U já está disponível no mercado brasileiro há algum tempo, mas continua sendo um dos modelos à venda no país com mais recursos especializados, como o excelente suporte a duas redes (mais sobre ele à frente).

Por outro lado, o preço sugerido de R$1.800 pode assustar os consumidores que procuram um equipamento do tipo e estão acostumados com a tradicional faixa de preço de R$200-400. E aí, será que vale a pena o investimento tão mais alto num equipamento que, na teoria, faz a mesma coisa?

Roteador ASUS RT-AC68U

Descobriremos a seguir.

Design

À primeira vista, o AC68U não faz feio. Ele é relativamente maior que roteadores “comuns”, mas seu design verticalizado não deixa em nada a desejar, com boa parte da superfície frontal tomada por um painel texturizado que reflete a luz de uma forma bem elegante. As luzes de status — que são várias — brilham no ponto certo, sem prejudicar a visibilidade mas ao mesmo tempo sem ofuscar as vistas. Na parte de trás, as entradas Ethernet são iluminadas, facilitando (e muito) a vida dos noctívagos que precisam conectar algum equipamento por fio.

Roteador ASUS RT-AC68U

As três antenas na parte de cima são rosqueáveis e, apesar de tomarem um bom espaço vertical, são essenciais no funcionamento a contento do roteador e devem estar sempre conectadas quando ele estiver ligado. Dá pra movê-las para todas as direções, o que facilita um pouco a vida daqueles que não dispõem de muito espaço.

Uma adição interessante aqui é o botão “LED On/Off”, que simplesmente liga ou desliga todas as luzes do roteador sem interromper o seu funcionamento. Pode parecer pouco útil, mas quebra um galho e tanto — e economiza um pouquinho de energia — quando a ideia é escondê-lo num móvel onde estas luzes não serão aproveitadas de qualquer forma. Aliás, falando em esconder o roteador num móvel, se este for o seu intuito, não encontrarás problemas: o design esbelto do AC68U permite que ele caiba em (quase) qualquer lugar.

Configuração inicial

O manual de instruções do AC68U explica muito bem o simples processo de configuração do equipamento — ou ao menos como deveria ser: conectar o aparelho ao modem, à fonte de energia e ligá-lo; usar algum dispositivo com Wi-Fi (computador, tablet, smartphone) para conectar-se à rede recém-criada pelo roteador; e, uma vez conectado, acessar as configurações do equipamento por meio de qualquer navegador para deixar tudo funcionando.

Configuração inicial do roteador ASUS

Na prática, infelizmente, as coisas não fluíram tão facilmente assim. Ao ligar o roteador, me deparei com uma rede com senha — e nenhuma das mencionadas no manual de instruções funcionou. Com isso, tive que apelar para a força bruta para configurá-lo: depois de procurar bastante, achei um cabo Ethernet no fundo de uma gaveta (a caixa do AC68U vem com um destes, mas ele já estava sendo usado para conectar o roteador ao modem, naturalmente) e conectei o equipamento ao meu MacBook Pro. Só então pude acessar o endereço MAC do roteador e fazer a configuração.

A partir daí, só elogios. O AC68U detectou automaticamente o meu tipo de conexão, realizando todo o processo de configuração basicamente sozinho; minha única intervenção foi escolher as senhas das redes configuradas — digo redes, no plural, porque um dos recursos do AC68U é a transmissão Dual-WAN, ou seja, em duas bandas (2,4GHz e 5GHz), que são estabelecidas separadamente — ou juntas, dependendo da sua vontade —, cada uma com seu nome, senha e configurações específicas.

É possível configurar duas redes através da mesma linha, usar uma das portas LAN como WAN secundária (no caso de você ter dois planos de banda larga em casa, não precisa mais ter dois roteadores) ou ainda usar uma das portas USB para conectar um modem 3G/4G e roteá-lo — mais sobre isso à frente.

Funcionamento

Aqui, cabem alguns esclarecimentos: eu moro num apartamento daqueles grandes, antigos, com paredes espessas — ou seja, o pesadelo de qualquer roteador. Até a chegada do AC68U, usei sempre o equipamento fornecido pela própria companhia de internet, ou seja, um modem-roteador dos mais básicos. Isso significava um sinal ruim, por vezes inexistente, em alguns cômodos mais distantes da casa.

O equipamento testado aqui, por outro lado, vangloria-se de ser “o roteador mais rápido do mundo”, com velocidades equiparáveis àquelas obtidas por cabos! Tudo isso por causa da combinação de um chipset Wi-Fi Broadcom BCM4709, um processador dual-core ARM Cortex A9 de 800MHz e 256MB de memória, que transmite os dados numa velocidade máxima de largura de banda combinada de 1.900Mbps, sendo 1.300Mbps para a rede 802.11ac (a mais moderna) e 600Mbps para a 802.11n.

Mas pouco interessam os números e especificações — e sim a experiência, certo? Neste ponto, posso dizer que trocar um modem-roteador basicão pelo AC68U foi figurativamente equivalente a colocar um óculos pela primeira vez num míope. As coisas simplesmente fluíram em outro nível: o Netflix não caiu do 4K em momento algum, o FileZilla passou a realizar as tarefas mais rapidamente e até o modo online de Mario Kart 8, no Wii U — notório pelos atrasos e falhas de comunicação — foi jogado perfeitamente, sem lags ou quedas.

O teste de fogo do roteador, entretanto, foi em relação ao alcance. Na minha “banda larga” de 15Mbps, pegar uma velocidade razoável do lado do equipamento é fácil, mas mover-se a cômodos mais afastados da casa prova-se um suplício. Então foi exatamente o que fiz: testei as velocidades recebidas por um iPhone 5c em ambas as redes (a do AC68U e a do modem-roteador básico da Vivo), na varanda da suíte, o cômodo mais afastado onde, no geral, a internet quase nunca chega. Resultado: onde o meu roteador de sempre marcou míseros 0,88Mbps, o AC68U chegou a impressionantes 14,56Mbps. Em outras palavras, o bichinho superou as diversas paredes de tijolos como se fossem vento. Incrível!

Recursos

Este é outro ponto em que o AC68U brilha: a quantidade de recursos apresentados pelo equipamento é simplesmente acachapante. O meu favorito deles reside nas portas USB traseiras do aparelho (uma delas 3.0): além da possibilidade de conectar impressoras e discos rígidos externos para acesso em rede — o que funcionou perfeitamente e sem o mínimo de configuração —, a melhor parte é a possibilidade de espetar um modem 3G/4G USB lá e usar o aparelho para rotear esta conexão sem nem mesmo desligar a sua internet principal.

A tela de configurações do roteador apresenta outra série de recursos. Lá, é possível visualizar e editar todos os aparelhos conectados na(s) rede(s), bem como bloquear o acesso de dispositivos específicos, limitar a velocidade e estabelecer um compartilhamento de arquivos por meio de um dispositivo USB conectado. Também há o recurso do Controle Parental, que permite ao usuário selecionar determinados dispositivos — o tablet do filho, por exemplo — e estabelecer horários de acesso, fora dos quais o aparelho fica impossibilitado de se conectar. Seria interessante aqui ver também um bloqueio a determinados sites e não apenas baseado em tempo, mas é uma possibilidade interessante de qualquer forma.

Movendo para o lado do hardware, as quatro portas Gigabit Ethernet na traseira do AC68U permitem o estabelecimento de uma rede de altíssima velocidade para os computadores conectados por fio. As portas USB, quando ocupadas por um dispositivo de armazenamento, como um HDD externo, podem ser utilizadas da melhor forma com o AiDisk, um programinha da ASUS que permite o compartilhamento/streaming de arquivos por uma interface FTP que funcionou perfeitamente nos meus testes — inclusive no iOS e Android.

Finalmentes

O AC68U é, como auto-afirma, o roteador mais rápido do mundo? Não sei, não testei todos os roteadores do mundo para comprovar. Mas posso afirmar com absoluta segurança que é um dos mais velozes, ao menos, e muito mais que isso: seus recursos incomparáveis em relação à concorrência o colocam num nível completamente diferente em termos de qualidades gerais.

Roteador ASUS RT-AC68U

Claro que, com isso, duas questões podem ser levantadas. A primeira é, obviamente, o preço: a ASUS sugere o valor de R$1.800 para o AC68U — muito, muito acima da maioria dos equipamentos do segmento — em compensação, mais barato que os R$2.100 que a Apple cobra pelo AirPort Extreme. A consequente segunda questão seria se os usuários comuns, domésticos, necessitam de tantos recursos e velocidade. Então, vale a pena?

A resposta não é tão simples, mas em termos gerais, se você, usuário básico, estiver procurando apenas uma forma de rotear sua conexão de internet num apartamento não muito grande, posso dizer que não — um roteador de R$300-500 dará resultados bem semelhantes.

Por outro lado, se você tiver condições, morar num apartamento grande ou numa casa, trabalhar em casa (como eu), assinar dois serviços de banda larga e/ou se for um entusiasta de recursos para tirar proveito da miríade deles apresentados pelo AC68U, o roteador da ASUS é uma das melhores compras que se pode fazer no segmento — quiçá a melhor.

Posts relacionados

Comentários