Bebê para de respirar e mãe usa a Siri para pedir socorro enquanto reanimava a criança

Giana, a criança que foi "salva pela Siri"

Quando Stacey Gleeson viu a sua filha de apenas um ano sem respirar, o primeiro pensamento da mãe foi ligar para a emergência. Mas ao carregar a criança para tentar reanimá-la e ligar a luz do quarto, seu iPhone escorregou da mão. Desesperada com a situação, Stacey gritou para ativar a Siri e deu instruções para a assistente pedir ajuda, conseguindo assim falar com o serviço do hospital pelo viva-voz enquanto fazia a reanimação cardiorrespiratória.

Assim que a ambulância chegou, a criança — que estava com uma infecção no peito e bronquiolite — já estava respirando novamente. Após um exame completo para diagnosticar se Giana estava recuperada do susto, a pequena foi liberada novamente para os braços da mãe. Todos os segundos foram vitais para que a pequena Giana saísse dessa sem efeitos colaterais.

Parece história de cinema, mas o fato aconteceu na Austrália, em março, e a história só veio à tona agora após Stacey contatar a Apple para agradecer. “Eu tinha o iPhone apenas desde o início do ano”, contou ela ao Australian 7 News.

Lançada junto do iPhone 4s, a Siri (que revolucionou a interação com o iPhone e abriu caminho para as assistentes virtuais do gênero) evoluiu e foi comemorada por aqui quando aprendeu a falar português. Atualmente, além de estar interagindo de uma forma mais completa com o iOS e alguns apps, ela pode ser ativada sem as mãos por quem tem os modelos 6s, 6s Plus ou SE1.

“Eu já tinha brincado com a Siri, era algo divertido. Agora esse recurso fica ligado o tempo todo e eu nunca mais vou desligá-lo”, explicou a mãe à rede de notícias australiana.

De acordo com o site 9to5Mac, a Apple apresentou um pedido de patente para um novo aplicativo, uma espécie de “Botão do Pânico”, projetado para uso quando o dono do aparelho está em perigo ou se sentir ameaçado. Apesar de já existirem apps de terceiros semelhantes, eles só podem ser acionados a partir da tela inicial deles. Provavelmente, a criação da Apple será mais fácil de ser ativada (sem a necessidade de entrar em um app ou até mesmo pela Siri) já que a empresa pode interagir com áreas do sistema operacional às quais desenvolvedores não têm acesso.

[via Fortune]

Posts relacionados

Comentários