Ranking do LinkedIn coloca a Apple como a empresa global que mais atrai e retém talentos

Tim Cook abrindo a porta de uma Apple Store

Já divulgamos aqui no site alguns rankings compilados pelo LinkedIn falando sobre as empresas mais desejadas para se trabalhar. Hoje, trazemos mais um.

Publicidade

Utilizando uma metodologia própria (com base nos dados da própria rede), o LinkedIn criou o ranking “Top Attractors – Where the World Wants to Work Now” (algo como “Principais Atraentes – Onde o Mundo Quer Trabalhar Agora”), no qual lista as 40 melhores empresas do mundo quando o assunto é atrair e reter talentos. Há, porém, sete diferentes listas: uma global e outras seis focadas em diferentes países (Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Brasil, França e Índia).

Globalmente falando a Apple está muito bem posicionada, ocupando a primeiríssima posição — seguida de perto por outras gigantes do setor tecnológico como Salesforce, Facebook, Google e Amazon. Eis o que o LinkedIn fala da empresa:

No ano passado, a Apple introduziu um novo benefício, distribuindo ações restritas para a maioria dos seus mais de 100.000 empregados. Isso não é incomum no mundo da tecnologia, mas é quase inédito no varejo — os trabalhadores que agora compõem 30% do staff da Apple. Não surpreendentemente, a Apple tem uma retenção muito alta na Apple Stores: 81%, de acordo com a chefe de varejo Angela Ahrendts. Mas são os produtos “transformadores” da Apple que representam a “essência da satisfação do empregado”, disse a chefe de RH Denise Young Smith. Enquanto o CEO Tim Cook brinca que a Apple tem “mais segredos aqui do que a CIA”, ex-empregados exaltam no LinkedIn os colegas de trabalho talentosos e a grande flexibilidade. A diversidade da companhia, também: ela contratou 11.000 mulheres durante um período recente de 12 meses, um aumento de 65%.

Já nos EUA a Apple pula para a quarta posição, fincando atrás de Google, Salesforce e Facebook. No Reino Unido, as empresas de tecnologia não ocupam as primeiras posições (apenas o Google está entre as cinco primeiras). Este cenário se repete na Austrália, no Brasil e na França; na Índia, Amazon e Google estão no Top 5.

Publicidade

Confira os Top 10 dos rankings:

Global

  1. Apple
  2. Salesforce
  3. Facebook
  4. Google
  5. Amazon
  6. Microsoft
  7. Uber
  8. Unilever
  9. Coca-Cola
  10. Johnson & Johnson

Estados Unidos

  1. Google
  2. Salesforce
  3. Facebook
  4. Apple
  5. Amazon
  6. Uber
  7. Microsoft
  8. Tesla
  9. Twitter
  10. Airbnb

Reino Unido

  1. John Lewis
  2. Virgin Media
  3. Harrods
  4. Google
  5. PA Consulting Group
  6. ASOS
  7. KPMG
  8. Jaguar Land Rover
  9. Amazon
  10. Burberry

Austrália

  1. KPMG
  2. PwC
  3. Commonwealth Bank
  4. Coles
  5. Deloitte
  6. Westpac
  7. Qantas Airlines
  8. Lion
  9. UGL Limited
  10. CPB Contractors

Brasil

  1. TAM LATAM
  2. GPA
  3. BRF Brasil
  4. Ambev
  5. Brasil Kirin
  6. TOTVS
  7. Whirlpool Latin America
  8. Kroton
  9. JBS
  10. Bunge

França

  1. LVMH
  2. Hermès
  3. Chanel
  4. Engie
  5. L’Oréal
  6. Cartier
  7. Thales
  8. Danone
  9. AXA
  10. BNP Paribas

Índia

  1. Flipkart
  2. Amazon
  3. Capgemini
  4. Google
  5. KPMG
  6. Deloitte
  7. Adobe
  8. HCL Technologies
  9. Housing.com
  10. Ola

Mesmo ocupando a primeira posição no ranking global, é curioso ver que a Apple não está listada no Top 25 em nenhum outro país com exceção, é claro, dos EUA.

Para ver os rankigns completos, não deixe de visitar o LinkedIn.

Publicidade

[via Cult of Mac]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…