Eddy Cue afirma que a Apple não está tentando criar programas de TV ou competir com a Netflix

Eddy Cue, vice-presidente sênior de software e serviços para internet da Apple, deu uma bela entrevista para o Hollywood Reporter, cobrindo uma série de assuntos relacionados às áreas de conteúdo, música, streaming e tudo mais — e, em uma tacada só, desmentiu uma série de rumores que estão cercando a Apple há algum tempo.

Eddy Cue e Jimmy Iovine na Code Conference 2014

A entrevista começou com Cue afirmando que, mesmo que todos amem o conteúdo produzido por Hollywood, “nós nem sempre amamos a forma com que ele foi trazido até nós; portanto, o que nós [da Apple] podemos fazer é tornar mais fácil que os consumidores […] tenham acesso a esse conteúdo de uma forma bem mais fácil”.

Quando questionado o porquê de as pessoas não estarem felizes com os serviços de TV por assinatura, ele afirmou:

Elas não estão ganhando os recursos que querem. O fato de que eu tenho que configurar as coisas que eu desejo que sejam gravadas é estúpido. E guias de canais — eu chego em casa e quero assistir a um jogo de basquete do Duke; por que eu tenho que sair caçando o canal em que ele está passando? Por que eu não posso simplesmente dizer “Eu quero assistir ao jogo do Duke.” Ou, melhor ainda, por que o sistema já não sabe disso? “Aqui está o jogo do Duke.” Estas capacidades técnicas já existem hoje. Elas só não existem na televisão.

Cue declarou ainda que existe uma grande oportunidade nesse espaço, porque as pessoas querem assistir a tudo não só nas suas TVs, mas também “nos seus telefones e nos seus iPads”.

Depois, foi abordado o assunto do conteúdo original que estaria sendo produzido pela Apple para as suas plataformas. Quanto a isso, Cue afirmou:

Nós só estamos entrando na área de conteúdo com projetos que estão realmente conectados aos nossos produtos. No momento, isso significa o Apple Music. De resto, a ideia é dar aos talentos a plataforma que os permite ser criativos de novas maneiras.

Perguntado se a Apple aceitaria produzir um programa de TV com uma grande estrela de Hollywood, Cue foi direto:

Provavelmente não neste momento. Não entramos no negócio de criar ou fazer programas de TV. Se vemos isso como uma coisa que complemente aquilo que estamos fazendo no Apple Music ou como algo que seria inovador para a nossa plataforma, poderíamos ajudá-los e guiá-los e fazer sugestões. Mas não estamos tentando competir com a Netflix ou a Comcast1.

É nesse campo que, segundo Cue, cai a série “Planet of the Apps”, de Ben Silverman, que a Apple está produzindo. “Nós sentimos que tinham coisas que ele queria fazer no programa que seriam melhores — ou apenas possíveis — com a nossa ajuda.” Em relação à misteriosa série de Dr. Dre, ele afirmou que “não há nada para anunciar, então não tenho nada para falar sobre nesse momento”.

Quando perguntado se a Apple tem planos de comprar um estúdio de Hollywood, Cue disse:

Essa é a melhor coisa da Apple; somos muito focados nas coisas que sabemos fazer muito bem e não tentamos nos estender para áreas que não conhecemos muito ou nas quais não temos muita expertise. […] Não que nós nunca faremos nada, mas eu não sei por que nós compraríamos um estúdio. Gostamos do fato de estarmos trabalhando com todos eles.

Embora essa parte tenha ficado de fora do corpo da entrevista, o texto que a precede afirma que Cue não quis comentar sobre a possível compra do TIDAL pela Apple — ou seja, pode ser que tenha coisa aí. A entrevista completa inclui ainda uma comparação do executivo entre o Apple Music e o Spotify, bem como (vagas) declarações sobre uma possível compra da Time Warner pela Maçã e pelo que Cue deseja ser lembrado na Apple.

Vale a pena conferir!

[via MacStories]

Posts relacionados

Comentários