Vendas do iPhone no Brasil sofrem queda de 40%; Apple fica com menos de 5% do mercado

Alerta vermelho para a Apple Brasil. Uma reportagem da Folha de S.Paulo traz números nada animadores para a Maçã verde e amarela e, especialmente, para o seu filho preferido, o iPhone.

Citando dados da firma de consultoria Gartner, a matéria afirma que as vendas de iPhones no Brasil no primeiro trimestre de 2016 caíram abismais 40% em relação ao mesmo período do ano passado — foram apenas 498 mil smartphones da Apple comercializados no início deste ano. De todas as fabricantes, a única que perdeu mais que a Maçã foi a LG, com uma queda de 58,4%.

Gráfico de vendas de smartphones no Brasil
Fonte: Folha/Gartner

É bom notar que o mercado de smartphones como um todo caiu neste início de 2016: foi uma queda de 25% no geral, com 10,6 milhões de unidades vendidas no total no primeiro trimestre deste ano.

No fim das contas, quem se deu melhor nessa história foi a Samsung, que caiu “apenas” 15% e, com isso, aumentou ainda mais o seu market share no Brasil — agora em 42%. A Apple, por outro lado, cai para um índice que há muito tempo não era visto em terras tupiniquins: detém menos de 5% do mercado nacional de smartphones. Esse índice é ainda mais surpreendente quando se percebe que o segmento de telefones inteligentes que mais cresce no país é justamente aquele em que a Apple tem mais atuação: o dos acima de R$3.000 — estes representam 5,3% dos aparelhos vendidos no primeiro trimestre de 2016, contra 1,7% no mesmo período do ano passado.

Diego Silva, analista de mercado da Gartner, acredita que os números do mercado de smartphones voltem a crescer no segundo trimestre, e a Apple deverá ir junto, principalmente por conta do lançamento do iPhone SE. Vamos ver se os resultados melhores se concretizarão — depois disso e da queda de vendas no mundo todo, a Apple certamente está precisando de uma injeção de ânimo.

[dica do Kloeckner]

Posts relacionados

Comentários

188 comments

  1. Não entendo essas estatísticas..As vendas despencam, ai quando tem uma “promoção”, acaba tudo em 1 dia..

  2. Só acho complicado não segmentar essa pesquisa. A Samsung tem 1000 modelos, desde os mais baratos até os concorrentes diretos do iPhone. Em Market Share, obviamente, ela sempre será maior.

  3. Tudo bem @Hades666:disqus, mas a forma como a Gartner apresenta os números é a mesma coisa de comparar o número de emplacamentos de BMW com os da Fiat.

  4. Não vamos falar que é o fim da Apple no Brasil.
    Em praticamente todos os setores desse país as vendas caíram 40% com a crise.

  5. Aumenta a venda de aparelhos acima de R$ 3 mil e a venda do iPhone cai? A Apple tá vacilando por aqui.

  6. @jailsonleocadio:disqus mas os números apresentados na pesquisa não demonstram apenas os aparelhos acima de R$ 3000. Por isso que insisto, me cheira mais a uma notícia para gerar clique na Folha do que qualquer coisa.

  7. @disqus_JtoAIKp6D5:disqus É claro que é preciso mais detalhes pra se tirar conclusões, mas tipo: houve aumento na venda de aparelhos na faixa de valor do iPhone, porém houve queda nos números de venda da Apple; ou seja, tá vacilando pra concorrência no nicho de mercado dela, não dos aparelhos mais baratos.

  8. Isso só mostra uma coisa. Que para a Apple o Brasil não é nada. Quem vai investir num país que só tem corrupção? Tem que cobrar mesmo.

  9. Lembro quando tive meu primeiro smart ( Motorola Defy), existiam dois seguimentos de Smartphone :

    Os muitos ruins porém baratos,e os muito bons porém caros (IPhone 4 e Galaxy S3 ),ah e o conceito de caro na época era R$1799.
    Hoje em dia devido a evolução rápida do segmento,você compra um Moto G 4 PLUS por R$1300 (Octacore,2gb,Android Puro,Tela Full HD e 32GB)
    Ai pergunto,será que é realmente uma novidade as pessoas já não estarem mais pagando tão caro por um celular que já não se diferencia por performance mas sim por marca?

  10. Mas esse é o ponto. Se a pesquisa mostra o global, não apenas os aparelhos acima dos 3000, como podemos chegar a conclusão de que a Apple está perdendo mercado? A notícia falou o tempo todo de A, depois mostrou os números de A+B+C.

  11. É extremamente natural comparar BMW com FIAT, GM, Mercedes-Benz porque se trata de score de números absolutos de emplacamentos. Da mesma forma é natural saber os quantos telefones um fabricante vende no total. No caso da Apple, vendeu muito menos que no ano passado, e é essa a informação mais relevante da pesquisa. Procure saber.

  12. @cpaixao:disqus ai que você se engana. Do ano passado para cá houve um significativo aumento no valor dos iPhones aqui no Brasil. Se a Apple estiver vendendo mais do que no ano passado não há motivos para preocupação e sim para comemoração. Vender mais não significa lucro maior, deve-se analisar as margens totais.

  13. Aqui em casa até o momento só eu. Saí da Maçã para meu primeiro Android, foi um S7 Edge. A minha esposa é questão de tempo, ela tem um iPhone 6S e nunca foi satisfeita com a câmera do mesmo.

  14. Acho é bom. Tenho Iphone, Mac, Ipad, Watch, mas acho os preços da Apple abusivos, especialmente no Brasil. Tem que vender pouco mesmo para baixarem a bola.

  15. Bom reparar também o número de assaltos que nós brasileiros sofremos todos os dias nas ruas desse país. Vale a pena pagar tão caro (ainda que houvesse segurança)?

  16. @disqus_JtoAIKp6D5:disqus Sim, entendo o que vc está falando. Mas nem precisamos considerar os números da concorrência: o público-alvo da Apple cresceu, já que a venda de smartphones mais caros cresceu, certo? Isso a pesquisa disse. Porém esse contigente não foi alcançado pela Apple, a venda existiu e foi pra concorrência. Nem precisamos considerar a venda de aparelho mais barato, que com certeza foi o que puxou o número de vendas para baixo, já que são os que mais vendem.

  17. o tombo da Apple foi maior que as das outras…. principalmente por conta dos preços absurdos.

    SE ela tivesse modelos mais baratos (tipo, 1000 a 2000 reais), não exisitiria isso.

  18. Exato, para ser “justo” deveria ter apenas as vendas dos Galaxy S e Note que são os concorrentes dos iPhones.

  19. Fora que no mundo….

    No mundo o iPhone também não viveu seu melhor momento no início deste ano. Segundo dados da Apple, foram vendidas 51,2 milhões de unidades do aparelho no mundo, uma queda de 16% em relação ao mesmo período do ano passado (61,8 milhões).

  20. Não temos como afirmar isso. As vendar cairam para a Apple, mas neste segmento podem ter caido para a Samsung tbm. Só com os números segmentados podemos afirmar qualquer coisa…

  21. Direto da reportagem da Folha

    “O resultado da companhia liderada por Tim Cook, que divulga nesta terça-feira (26) seu balanço global para o segundo trimestre, surpreende porque no Brasil ela atua no segmento de smartphones que mais ganha mercado no país, o de smartphones mais caros, de mais de R$ 3.000.

    De acordo com a consultoria IDC, no primeiro trimestre do ano passado esses aparelhos representaram 1,7% de todos os smartphones vendidos, índice que cresceu para 5,3% agora. Isso acontece, de acordo com a empresa, pelo aumento dos preços desses aparelhos e também porque o consumidor está ficando mais experiente (65% dos usuários já têm um celular inteligente, então querem algo mais avançado na hora de trocá-lo).”

    Só que o gráfico é geral, para todos os setores.

  22. Marcelo, a reportagem falou em números gerais. Depois é que falou sobre os acima de 3000..

    SURPRESA

    O resultado da companhia liderada por Tim Cook, que divulga nesta terça-feira (26) seu balanço global para o segundo trimestre, surpreende porque no Brasil ela atua no segmento de smartphones que mais ganha mercado no país, o de smartphones mais caros, de mais de R$ 3.000.

    De acordo com a consultoria IDC, no primeiro trimestre do ano passado esses aparelhos representaram 1,7% de todos os smartphones vendidos, índice que cresceu para 5,3% agora. Isso acontece, de acordo com a empresa, pelo aumento dos preços desses aparelhos e também porque o consumidor está ficando mais experiente (65% dos usuários já têm um celular inteligente, então querem algo mais avançado na hora de trocá-lo).

  23. Me incluo nessa… Abandonei um iPhone 6 (tinha iPhone desde o 3G) por um S7 Edge. Aguardarei o iPhone do ano que vem, pois parece que este ano ficará na mesmice.

  24. @disqus_JtoAIKp6D5:disqus Alguém vendeu mais ou mais alguém passou a vender nesse mercado mais caro. Tem que ser uma dessas duas opções, já que houve aumento no volume de venda.

  25. É, eu li a reportagem da Folha. Mas eu queria mesmo era saber qual a participação da Apple nesta fatia específica do mercado.

  26. Está precisando de uma injeção de semancol e baixar o preço para uma valor próximo ao da concorrência, simplesmente outros fabricantes estão agora no mesmo nível da Apple em vários sentidos, elas podem até lançar os produtos com preço muito próximo aos da Apple, mas que caem rapidamente e de forma expressiva após o lançamento, já a Apple segura o mesmo preço do lançamento por muito mais tempo, baixando somente quando lança um novo modelo.

    Outro fator é a migração para os chineses do tipo “bom e barato”.

    Ou a Apple sai do marasmo reinventa o iPhone (muito difícil, toda a industria está nessa), ou baixa o preço para continuar vendendo “mais do mesmo”.

  27. caro pra kct, eles aumentaram o valor de tudo qdo o dolar tava a 4 e agora?!?! Aqui eu nao compro nada da Apple

  28. É isso mesmo. malemá você consegue tudo o que precisa de um celular num android bem mais barato do que o iPhone.

  29. Sou apaixonado pelo meu iPhone.. mas é aquele ditado né:

    “Quando o dinheiro sai pela porta, o amor sai pela janela”

  30. Fala sério, se o iphone vier como estão dizendo os rumores, a apple vai provar uma queda e das grandes, pq processador pouco mais rápido não faz diferença alguma nos apps que usamos no dia a dia, câmera tbm sempre são mudanças muito sutis. Vou esperar e comparar esse ano, Iphone 7 e Galaxy Note 7 que vem aí semana que vem, e pra falar a verdade estou muito mais entusiasmado com o note do que com esse iphone que anda dando as caras em videos e fotos.

  31. Fato: muitos gostariam de ter um Apple, mas o que impede é o preço.

    Aproveitando esse fator, a concorrência passou a utilizar uma estratégia: melhorar os produtos (e principalmente o SO, com o Android puro), e colocar as mesmas funções antes presentes nos iDevices. Não teve outra. Muita gente migrou para os outros aparelhos, por causa do alto valor e porque existem opções melhores no mercado.

    Se a Apple não se ajustar ao mercado brasileiro, pode já começar a pensar em ‘abandonar’ o navio aqui (já estamos abandonados por eles mesmos, principalmente no suporte), pois o mercado é quem dita as regras, não uma empresa que acha que qualquer um vá pagar 3000 num telefone que fica desatualizado em pouco mais de 1 ano, ou que vira um peso de papel com sistemas que dizem ser ‘melhorias’, e que na verdade, intencionalmente, travam o aparelho.

    A cada aumento de dólar, é desculpa para aumentar preço. Ajuste do IPI, aumentam-se os preços.
    Só que todos os aumentos são muito e muito acima mesmo do que se reajusta de fato.

    Fora que a margem de mais de 300% de lucro por cada aparelho que a Apple ganha, fazendo com que em uma conversão de dólar para real, seja praticamente de 10X (lá fora 399, aqui 3999) ….

    Francamente… eu tô é gostando disso. E nessa onda, vão os fanboys também.

  32. eu vejo coerência. Quando vc vende um determinado produto, mas …. por algum motivo vc resolve não querer vender mais este produto para um grupo de pessoas, o que vc faz ??? Fala abertamente: não quero vender para voce !!!! ou vai aumentando o preço gradativamente kkkkkk …. sem falar que os 3 primeiros do top 10 na europa, são ching ling kkkkkk, esse processo no brasil vai demorar um pouco, todavia, existem vários modelos com 1/3 do valor e serviços equivalentes. sem falar que equipamentos pela metade do preço oferece um serviço superior. UMA DICA: AMANTES DA APPLE : NAO COMPRE O X FORCE KKKKKKK

  33. Mas a pesquisa fala que o valor é o da casa dos 3 MIL
    E a Samsung está vendendo esse valor, que é o mesmo do Iphone, ou até mais caro.

  34. 500 mil aparelhos com “ticket” médio de R$ 2.000 dá 1 bilhão de reais em um semestre. Me desculpem, mas tem muito #%& que sustenta esses preços revoltantes. #BoicoteAppleBrasil

  35. Apple lovers arrumando um jeito de dizer que os dados estão “errados” ou “injustos”.
    Na minha casa todos tinham iPhone: esposa, sogra, sogro, pais. Agora, só a sogra (e é um iphone 4). Todos os outros migraram para o Android. Motivo: preço. Inclusive eu, que sou fã da Apple e tive iPhone desde o primeiro até o 5S, agora tenho um Moto X Force.
    Muitos usuários Apple estão descobrindo que o Android faz tudo que um iPhone faz e é mais barato.
    Minha próxima vítima é o iPad. Desse jeito, o “upgrade” será para um Galaxy S2.

  36. Eu acho que você não entendeu a minha msg, mas tudo bem ¯_(ツ)_/¯
    A coisa está feia pra pra todo mundo, exceto Samsung.

  37. cara eu fiquei tentado pra pegar o s7 edge versão das olimpíadas e abandonar meu 6s plus, mas vou aguardar o lançamento do Note 7.

  38. Isso vai servir como uma nova desculpa para alguma melhoria que apple traga no IOS que certamente não será implementada aqui no Brasil. “Ah, com um mercado tão pequeno, não vale a pena investir!” Lembrando aqui do tempo que se esperou pela Siri em português ou pelo Mapas…

  39. ng compra na Apple Brasil, isso só quer dizer que todo mundo está comprando de alguém que vende ou trazendo de fora!

  40. Sinceramente? Não sei onde que o mercado no Brasil é pequeno. O Pais é gigante, a quantidade de gente é gigante, o Brasil fica apenas a trás dos EUA em consumo até de artigos de LUXO.
    Se o preço fosse + baixo, duvido que veríamos essa reportagem hoje.

  41. Não entendo a inconformidade dos fanboys com a pesquisa. Para alguns à mesma não é correta, pois, eles pegam as vendas totais e não de aparelhos acima de R$ 3.000,00. Rapa, o esquema é caro pra kcte, por mais que vocês gostem da empresa, tem que assumir que os valores praticados por ela são surreais. As vendas caíram e pronto!

  42. Também acho que esse smart será top, pena que também chegará por um valor alto, mas, ainda assim será mais barato que um 6S Plus 64 ou 128 GB

  43. No artigo fala q o segmento de celular acima de R$3.000 aumentou, de 1 para 5% do total ao inves de diminuir como o geral. Então tem mais gente comprando celular caro sim, e não é da apple

  44. Carlos, vendi meu iPad Mini retina e comprei um Galaxy Note 10.1 Edição 2014 por R$ 900.
    Nunca imaginei que seria feliz com um Tablet Android da Samsung, cansei de pagar pelas coisas caras da Apple…

    Recentemente troquei meu iPhone 5 por um Moto G3 Turbo e também não sinto saudade do iPhone…

  45. Comparando que hoje é possível comprar um Galaxy S7 (um modelo high end) com o mesmo valor de um iPhone SE (modelo low end da Apple) dá pra entender esses números. Espero que isso seja uma demonstração de que não aguentamos mais figurar na lista dos países com os iPhones mais caros do mundo. Dois caminhos: 1- deixar de vender os iPhones no Brasil de forma oficial ou 2- baixar os preços.
    Enquanto isso eu continuo bastante satisfeito com meu Lumia 930 de 700 Temers, que para e-mail, internet e whatsapp (o que eu preciso) atende super bem. Volto a ter um iPhone quando o valor voltar a ser pagável.

  46. Ótima notícia. Quero ver o corpo técnico da Apple provar que tem competência para retomar o mercado que parece perder no mundo inteiro. Dinheiro não falta, já competência… não sei não? Gosto muito do cozinheiro na logistica e organização geral mas o acho fraco em tecnologia. Sinto que não é o cara que sonha com produtos e está antenado full time. Posso estar enganado.

  47. Eles segmentaram de certa maneira qnd falaram que o segmento caro, de +R$3000 aumentou o market share q era de 1.7% pra 5%, logo subindo a quantidade absoluta mesmo o mercado vendendo menos celulares no geral.. a maior parte da apple são dessa categoria, e caiu 40% e se aumentou a quantidade vendida nessa faixa então as outras foram responsaveis pelo aumento da onde da pra se imaginar que a maior parte é da samsung.
    Mesmo q hipoteticamente a apple fosse a unica q vendeu desse 1.7% no ano passado e não tivesse caido nada, soh a aumento de vendas pro 5% ja seria mais q a apple vendeu no segmento de luxo.

  48. falou, qnd comentou que as vendas de aparelhos de preço maior q R$3000 aumentaram (de 1.7 pra 5% do total) contrariando as outras faixas, e se contar q os da apple q praticamente só concorre nesse segmento diminuiram, então quer dizer q os outros q foram responsaveis, e considerando q das outras a samsung eh a unica com aparelhos com boa popularidade nesse segmento, fica claro q as vendas de Galaxy S e Note caros que estão com aumento de vendas violentas

  49. as vendas de celulares acima de R$3.000 aumentaram consideravelmente, enq o mercado no geral encolheu… Brasileiro não ta é comprando iphone caro mas estão comprando outros celulares caros

  50. Não é o que estão vendendo mais e sim o que tiverem maior bom crescimento, mas ainda assim um crescimento pequeno em comparação aos Smartphones mais baratos

  51. Desde de quando essa sua afirmação é critério de definição de pesquisa de mercado? O objeto da pesquisa são os volumes de vendas e não a venda por segmento. Estude mais pesquisa de mercado.

  52. Olha, sempre tive iPhone… mas meu último foi o 4S, que ficou comigo até ano passado (vendi e o bicho continua funcionando).
    Devo contar qual é a realidade, triste realidade (pra quem gosta de produtos Apple): Ela não liga pro Brasil.

    Semana passada comprei numa promoção o Galaxy S7 por 2 mil (com nota fiscal na fast shop).
    Primeiro: O aparelho é a prova de agua, tem entrada pra cartão de memória, 32 GB e suporta carregamento sem fio.

    Segundo: Vou ganhar de brinde um Gear VR (não vou usar, vou vender (: ) e uma bateria externa que custa 200 contos por ai. Vou poder usar o Samsung Pay no Brasil, afinal o mesmo já está disponível.

    Sem dúvidas eu prefiro um iPhone. Mas com 2 mil a Apple não me dá nenhum brinde e me deixa com apenas 16GB de espaço interno.

  53. Grande parte? O que significa isso e a qual porcentagem equivale? Além disso, mostre como vc tem certeza desse dado.

  54. Fixar no valor nem é a questão. O problema é que o celular de 3k da Samsung é o S7, um high end, enquanto o iPhone SE, o low end da Apple, custa 2,7k. Ninguém em sã consciência pagaria quase 3k em um low end.
    Na Apple, para estar “dentro da realidade”, o iPhone 6S Plus de 16 GB deveria estar próximo dos 3k.

  55. Foi uma promoção repentina na fast shop, era necessário comprar dois S7 por 4 mil. Mas com menos de uma semana já vendi 1 fácil por 2200… Se eu botar no papel tudo: 4 brindes (2 Gear VR, 2 baterias externas) + 200 de lucro que eu tive… esse S7 vai me sair por mil reais

  56. Não vejo o SE como low end. Ele tem as principais especificações do 6s (de importante só tem a menos a cam frontal, já que Touch ID é bem meeeh). Forçando muito a barra vc pode considerá-lo um mid-end (forçando muito).

  57. Do ponto de vista de tamanho de tela, preço, ausência do 3D Touch e Touch ID de primeira geração ainda, mesmo com CPU atual, ele seria um low end no padrão Apple: aparelho excelente, com boa performance, mas pertencente à linha mais básica, de entrada, dos iPhones. É nesse espírito que eu coloco ele como um low end.

  58. Quem gasta nessa faixa em um celular já não esta fazendo escolha apenas pelo preço, do tipo não vai pegar um aparelho que não gosta tanto por uma diferenca de uns 20% no valor. Se aparelhos da samsung estão vendendo bem mais na faixa de R$3.000 então da pra imaginar q os iphones top não estão tendo tanto atrativo em relação ao concorrente como antes.
    Pela queda gigante da apple e aumento grande nesse segmento de preço não creio q um 6S Plus com preço do s7 edge seria suficiente pra inverter isso não

  59. O low-end da Apple no Brasil é o 5s. O SE forçando a barra seria um mid-end. Na minha opinião, é um high-end em tamanho menor.

  60. Eu usei iPhone por 5 anos, a dois meses troquei por um ZenPhone 2 e estou muito satisfeito
    Não tem como encarar esses preços da Apple mais, não vale o custo benefício

  61. Com Samsung S6 custando 2mil a Apple vai é perder cada vez mais mercado, se quiser competir terá que baixar o preço. SE a 2.700 é piada.

  62. A participação dessa faixa era 1.7% do total e a apple caiu, sendo q a grande parte dos celulares dela são dessa faixa..
    Se hipoteticamente a apple tinha 100% do mercado dessa faixa ano passado tinha 1.7% do total, e a não ser q ela tenha aumentado nessa faixa do ano passado pra ca, que acho improvável sendo que caiu 40% no geral, o aumento de 1.7% pra 5.3% foi praticamente das outras, se entenda Samsung, que soh de aumento nessa faixa deve ter sido maior do q o total do trimestre da apple

  63. Acho que muitas das pessoas que compram iPhone aqui compram através de revendedores, que compram o iPhone nos EUA ou em outro lugar e revendem aqui por um preço mais barato do que o praticado no varejo, além de quem compra em viagens internacionais, essas pessoas certamente não apareceriam nessa pesquisa (mas não estou dizendo que não houve uma queda nas vendas, já imaginava isso).

  64. Não há nada de errado com o produto, é isso que importa. Em um período de crise é normal a queda nas vendas dos produtos (que afeta à todos) e em especial produtos mais caros (o que explica a queda maior da Apple se comprada à da Samsung, uma comparação justa seria comprar as vendas de iPhone aos smartphones topo de linha da Samsung, suspeito que as retração de vendas do iPhone seria menor quando comparada à deles). Logo tudo volta ao normal. As pessoas amam o iPhone é isso que importa. Vejo um mercado super ativo na venda de usados e um dinamismo em todo ecossistema, muito maior do que em outras plataformas, como Android, Windows Mobile e Blackberry.

  65. Eu já acredito que sim. Com aparelhos com características semelhantes, na mesma faixa de preço, eu penso que a concorrência seria mais acirrada. O problema é pagar um Galaxy S7 e levar um iPhone SE na minha opinião.

  66. Eu poderia chegar aqui e dizer: “É só baixar os preços que melhora”, mas não é bem assim. Nossa sociedade tem uma necessidade visível de separar os pobres dos ricos, em outras palavras, se o preço dos iPhones caíssem, e eles ficassem abaixo, digamos, dos Samsung ou Motorola, as pessoas iam comprar mais Motorolas e mais Samsung e iam acabar “esquecendo” da Apple.

    Infelizmente, isso é algo socio-cultural, encrustrado nas raízes do inconsciente do povo brasileiro. Fomos educados a pensar que o que é caro, é melhor; que o que vem de fora é mais interessante, que o que é mais difícil de se ter, diferencia a “qualidade” das pessoas. É triste, eu sei, mas é a realidade.

    Mas sim, a redução de preços poderia ajudar. 😛

  67. No artigo original mostra o crescimento absurdo nas vendas de aparelhos acima de 3 mil reais… o problema não é o preço, e sim, a “falta de inovação”.

  68. Com ctz tem que levar em conta isso que vc falou. Aqui onde eu moro por exemplo (Floripa), poucas pessoas compram na loja, tem muita gente revendendo o aparelho, muita gente mesmo, e isso com ctz em qqr lugar do Brasil deve acontecer, não vejo mt gente vendendo outras marcas. Mas enfim, em tempos de crise, é óbvio a queda, mas esse fato tem que levar em conta!

  69. Baixar o preço não vai ajudar muito nessa hora… quando diversas outras fabricantes estão oferecendo aparelhos com recursos muito mais interessantes do que o iPhone já traz. Sei não, pra mim, precisam mesmo é “abrir as portas” desse sistema tão fechado, eu sei que isso poderia acarretar um certo “canibalismo” de alguns serviços, mas é isso ou continuar em queda livre.

  70. Na minha cidade, de 100 pessoas, acho que 10 devem comprar na loja. Tem MUITA gente revendendo aparelho. Isso com ctz deve afetar a pesquisa!

  71. A queda nas vendas da Apple nem deve ter sido apenas pelos preços elevados. Os produtos também se tornaram muito frágeis. Os iphones 5/5s/6/6s começam a arranhar espontaneamente assim que tiramos da caixa e , não adianta usar capinha. Depois de um tempo ele vai parecer um lixo, independente do cuidado que vc tenha. Essa onda de pagar muito caro por um produto super frágil não dá mais. Melhor ter logo um bebê. Pelo menos ele cuidará de vc na velhice.

  72. Concordo com vc. O problema é que hoje, um smartphone “muito bom” está muito caro. É surreal pensar que pagamos R$ 4 mil ou mais por um aparelho para fazer chamadas, e em sua maioria, acessar internet, facebook, instagram e whatsApp.

    O “bom” desta crise atual é que as pessoas estão refletindo a necessidade de comprar coisas. Se antes, se pagava, em suaves 10x um iPhone de R$ 4 mil, hoje, na crise, o sujeito, mesmo que possa pagar, prefere continuar com o seu atual, pois o novo, além de nao entregar nada de relevante comparado ao seu atual aparelho, custa muito caro para continuar fazendo as mesmas coisas.

    Tinha um iphone 5 que precisei trocar no começo do ano pois a bateria estava deplorável rs… peguei um 6 de 64gb, e pela minha necessidade, casarei com ele por pelo menos mais 3 anos no mínimo, igual ao meu iphone 5.

    Ser brasileiro não tá facil!

  73. Desculpe, mas o 5S foi descontinuado, não estando à venda na Apple Store, então não podemos colocar ele nesse comparativo. Quem o vende ainda são outros canais que ainda possuem estoques.
    Como não chegamos no consenso de definição de aparelho low end, vamos mudar o termo para “telefone de entrada”. Você concordaria com a afirmação que o iPhone SE é o telefone de entrada da Apple? A forma mais barata de usar um iPhone? Se você concordar com isso, podemos partir para a comparação seguinte: por 3k dá pra comprar um modelo topo de linha da Samsung ou um modelo de entrada da Apple. Acho que esse é o definidor para o usuário comum: pelo mesmo valor dá pra levar um aparelho com design mais moderno, tela maior, com maior resolução, melhor tecnologia, resistente à água, etc, etc, etc.

  74. Entendo seu ponto, mas não deixa de ser o modelo de entrada da Apple, a forma mais barata de usar um iPhone, com características de low end como tela pequena, design antigo (apesar de bonito), não é resistente à água, etc, etc, etc.

  75. Com certeza… Mas, quem anda de Bugatti Veyron não pensa no preço do litro da gasolina nem no valor do minuto da ligação pra outra operadora.

  76. Não dá pra ter certeza dos dados. Mas posso dizer que uns 80% dos meus amigos tem iPhone. Acho que não dá 20% deles que comprou aqui. Talvez menos…….
    Não tenho idéia de quanto isso impacta nesses números mas sem dúvida de todos os celulares listados aí o iPhone é o que tem maior porcentagem de modelos comprados fora do Brasil…..

  77. R$4400 (valor de um iPhone decente) é um valor ridículo pra qualquer Smartphone. Acho que tudo isso é reflexo de má precificação em conjunto com a crise que o país vive.

  78. Eu também fico balançado pelo Note, aliás o último modelo naquela cor prateada, cromada, espelhada, ou sei lá como chamam, acho infinitamente mais bonito que o Iphone 6 Plus.
    Com os preços da Apple no Brasil tá ficando difícil. Eu preciso de um Iphone maior pra trabalhar, meu 5s não me atende muito bem (apenas neste aspecto), mas me recuso a gastar 4000 reais em um novo aparelho e não devo viajar para fora do Brasil tão cedo. A saída é Android, faz o mesmo e custa menos.

  79. Nada, troquei com pontos em um plano de fidelidade. Mas o preço de tabela dele na época era de cerca de 2.699.

  80. Parei em “80% dos meus amigos”. Vc realmente acha que vc pode tomar seus amigos como base para generalizar a venda de iPhones no Brasil? Cara…

  81. Em nenhum momento eu disse que da pra tomar como base. Apenas disse que mostra que os números não são esses. Mostra que o número de usuários de iPhone que compra o aparelho fora não pode ser desprezado. Pede pro Macmagazine fazer uma pesquisa de quem comprou seu aparelho no Brasil e quem trouxe de fora. Acho que teremos uma surpresa nesses números.

  82. São assim… sempre cegos…. defendem a marca por aqui até na raiz dos dentes….
    Por isso que eu não gosto de fanboy… além de serem tendenciosos nas análises, não tem seriedade com quem busca notícias significantes…

  83. Tela pequena, “baixa” resolução, sem 3D Touch, Touch ID de primeira geração, design antigo, “menor” preço entre os iPhones. São características de um low end. O que as pessoas não entendem é que o low end da Apple não precisa ser parecido com o low end da Samsung, assim como um VW Gol Trendline 1.0 não se parece em nada com um BMW 120i Sport ActiveFlex, apesar do segundo ser o automóvel low end da montadora da Bavaria.

  84. Assim como também deve haver pessoas que trazem os Galaxy S7 de fora do país e pela participação maior de mercado o número de pessoas que fazem isso tende a ser muito maior que o de pessoas que trazem iPhones de fora. A tendência que vale para um lado também vale para o outro.

  85. Na vdd, nossa sociedade não gosta do padrão de qualidade dos mais ricos, pois existe ostentação, dvisão de classes, justamente por eles serem a classe dominadora.
    Estou longe de abrir uma discussão marxista por aqui, mas é o que acontece atualmente. Os ricos, poderosos, no governo e grandes empresas, dominando completamente os pobres que mal tem dinheiro para comer.

  86. Estou com o 5s no 8.4.1 e o meu está rodando lisinho…… perfeito
    Não caio mais nessa balela de atualização.

  87. cada dia eu peço a Deus pra gostar de um aparelho android e nao me iludir com o proximo i7, ja tive o s7 edge..ble..odiei

  88. Nem seus amigos nem os leitores do MacMagazine representam a totalidade da população que usa iPhone no Brasil. Se fosse fazer uma amostragem série, precisaria ser feita com pessoas das diferentes regiões, diferentes estilos de vida, diferentes faixas etárias, etc etc etc.

  89. Sempre comprei usado, mesmo no exterior. Porém não acredito que boa parte dos brasileiros ainda abraçou essa cultura ainda não… Seria a solução pra muitos. Enquanto meus primos pagaram uma fortuna pelo 4s deles (novinho), eu gastei muito menos no 5 usado na época e usei bem mais intensamente que eles.

  90. Apesar dos preços absurdos também influenciarem e eu não apoiar esses valores que não fecham a conta cada vez que o dólar sobe, pra mim nunca teve muita crise: sempre (mesmo quando morava no Canadá) comprei usado. Quando quero comprar, fico umas duas semanas nos sites procurando as melhores ofertas daqueles caras que tem um iPhone bem conservado e estão com pressa de vender (colocando preço baixo), ou algum que tiver um probleminha que não é tão ruim assim, mas que influencia no preço (tipo um quebradinho na lateral…), ou aquela pessoa que ganhou um aparelho novo no Natal e tá vendendo barato só pra ganhar uma graninha…. Sempre compro bons aparelhos por excelentes preços, e nunca paguei mais que 1300 num iPhone ou iPad, ou mais que 2500 num Mac. Funciona do mesmo jeito e estou feliz.

    Dá trabalho pesquisar umas duas semanas? Da demais. Um saco, às vezes. Mas dá menos trabalho do que pagar 3 mil pilas num aparelho que faz a mesma coisa (que no fim, acaba mais sendo pra pagar a garantia, né…)

  91. Meu iPad mini 2 e o do meu primo também estão ótimos no 9. Só fica lento se tiver umas 1000 notificações (eu uso muitos lembretes, e o 9 tem uma função de mostrar os não cumpridos), e é isso. Nem me lembro de lentidão no dia a dia.

  92. Eu não conheço ninguém que se deu ao trabalho de trazer Samsung lá de fora. Ainda mais porque deu alguns meses e eles começam a desovar os Galaxys nas operadoras. . Mas deve ter alguns…..

  93. Nossa. Quanta gente cheia de pormenores. Não me interessa saber valores exatos, estratificação por faixa etária, sexo, renda, escolaridade, bla, bla bla….. só quis mostrar um ponto de vista de que tem MUITO mais iPhones no Brasil do que o que é vendido aqui oficialmente …. Só isso….. eu hein…..

  94. Só não entendo o motivo pelo qual a Equipe do Macmagazine não notícia o Jailbreak para iOS 9.3.3 que foi liberado dia 24/07???

  95. Não custa menos não oO. O note é na faixa dos 3000/4000 reais. Todos os tops de linha são. A diferença é que a Apple só vende tops de linha…

    (aliás, acho todos muito acima do valor q deveriam custar).

  96. Não consigo achar 1 coisa que os outros cels façam e o iphone não oO, além do Samsung Pay. “Passar música por bluetooth”, “customizar = botar teclado colorido” zzzz.

  97. As pessoas estão deixando de ser imbecis. Vc vai pagar 3k em um smartphone de 4 polegadas com design de 3 anos que custa 400 sólares lá fora. Ou vai pagar 3k em um top da samsung com as ultimas tecnologiase todo o design? Resposta óbvia pra qualquer um que não se importe com marca. A resposta está nesses números. Eu adoro a Apple, mas pra mim ela tem que se ferrar muito mesmo, porque a desculpa “ain o dólar”, “ain os impostos” não cola mais, uma vez que todas as fabricantes tem as mesmas dificuldades. Só ela que usa essa desculpinha? Bem feito.

  98. não… o meu ficou péssimo… até pra abrir o site fica recarregando dizendo que houve um erro na página. Ver vídeos então, nem se fala… Quando estava com o iOS 7.1.2, rodava suave… fiz a cagada de atualizar…

  99. É este tipo de cegueira, que infelizmente, mais atrapalha do que ajuda aqui no Brasil.

    Adoro a Apple, curto ou uso produtos dela desde a época onde só havia clones de Apple II no mercado brasileiro (por causa da reserva de mercado) mas sei claramente as baboseiras que a empresa comente.
    Há coisa que não tem como defender a empresa.

  100. Nem é preço. É o diferencial do iphone que tá se perdendo. Adoro o hardware, adoro o sistema. Mas o Android tá perto e não há mais a diferenciação que existia. Por isso que a cada lançamento o povo quer algo revolucionário. Porque sem o pulo por parte da Apple tá ficando tudo igual.

  101. A pesquisa considera o mesmo período do ano anterior, aonde já tinha uma espera para o iphone 6S, isso pq esse ano essa queda “entre modelos” devia ser menor por causa do SE.

  102. É muito simples: basta terem um pouco mais de vergonha e comercializarem produtos a preços mais justos. A Apple sempre teve produtos diferenciados e relativamente mais caros que os demais, mas os constantes e inexplicáveis aumentos afastaram muitos potenciais consumidores.

  103. É lamentável saber que muitos usam produtos da Apple apenas por ostentação ou status em vez de se preocuparem com a real qualidade e funcionalidade. E é verdade, acaba causando separação e distinção entre as pessoas só por causa de uma marca. Já vi gente sofrer bullying só porque tem iPhone. Daí eu pergunto: Vale a pena tudo isso? Se a pessoa tem condições de comprar um iPhone ou o que seja, vou criticá-la e julgá-la por isso?

  104. Concordo com você: “Na vdd, nossa sociedade não gosta do padrão de qualidade dos mais ricos,…”

    Infelizmente, parece que as pessoas preferem ignorar o progresso e parece que ficam apenas acomodadas, reclamando de sua própria situação em vez de buscar por elas mesmas algo melhor. Muitos não concordam, mas eu também acho que o brasileiro tem o chamado complexo de vira-lata. Isso atrapalha demais o progresso da nossa sociedade.

  105. Migo, menos tá? Aqui vão algumas coisas: Baixar Torrent sem precisar de jailbreak, utilizar dois apps ao mesmo tempo com tela dividida (algo que na Apple só os iPads mais recentes podem fazer), possibilidade de comprar apps em lojas alternativas sem ser na própria Play Store (Amazon Store, por exemplo, onde sempre tem promoção), maior liberdade em termos de escolha de software (posso definir meu navegador padrão no Android, por exemplo, algo que não tem como no iOS), dentre várias outras coisitas.

  106. Show!! Algumas eu já sabia (bem poucas rs). O incrível é que sempre tem mais “algumas coisas” que você ainda não sabe sobre ele 🙂

  107. Preços menos altos, eu diria.
    Over, excelente relíquia! E, sabendo que a Vivo historicamente tem o iPhone mais caro de todas as operadores, inclusive mais caro que o preço sugerido da Apple, eu penso que o preço hoje é muita ganância mesmo. Por isso não comprei mais iPhones.

  108. foi um bom preco hein !! isso e verdade msm a apple ta nem ai pro brasil samsung ja lancou o Samsung pay aki e a apple ? …

  109. Entendo, mas o seu espaço amostral não é suficiente para você extrair uma tendência, apenas uma observação pessoal.
    Seria necessária uma pesquisa que revelasse qual smartphone as pessoas trazem em suas bagagens quando viajam e cruzar essa pesquisa com a que estamos discutindo nesse post.

  110. O cara está julgando um software em versão beta e ainda diz que atualização não traz nada de novo. É um desserviço.
    O cara é vendedor de solução para problemas que não existem né? Só dica patética.

  111. Houve uma época em que eu pensava que tudo era mais caro por causa de impostos. Quando na verdade não é necessariamente isso. Infelizmente as pessoas pagam o preço alto, e todo mundo sofre. E de fato, o iPhone é caro brothers, mas o iMac é impossível de comprar pelos preços atuais.

  112. Eu conheço algumas.
    Trazem desde Mac, Iphone, Samsung, Sony, etc.
    Se você tem condição de dispor do dinheiro e comprar lá fora vale a pena.

  113. Nao sei se é justamente pelo fato de muitos tamb procurarem um melhor padrao de vida e nao conseguirem depois de muita luta, que as tornam assim. Pegue por exemplo uma familia que ja tenha boas condicoes de vida, e outra que so tenha a basica. A que tem as boas, so precisa continuar mantendo o status, a outra precisa lutar para sobreviver. E ficar so nisso, cansa, desanima. Voce ve que nao tem solucao. Vai sempre continuar assim. Acho que tambem tem acomodacao, mas nao acredito que seja 100%

  114. Falei com base na minha experiência pessoal. Nenhum amigo meu (e praticamente todos usam iphone) compraram o aparelho no país. Claro que isso não vale como dado estatístico, mas com certeza é uma variável a ser ponderada nessa pesquisa.

  115. Apesar de achar os valores atuais de todos os Smarts um roubo, se eu fosse trocar meu 4s hoje seria por um S6.
    Se for pra pegar um SE prefiro procurar um 5s, esses dias estava por R$1530,00 a vista no cartão submarino, Space gray 32gb.
    Meu 4s veio do Japão em junho de 2012, e espero trocar só no ano que vem.

  116. O espaço amostral dele não serve para extrair uma tendência, mas o seu serve, né? Vc afirmou que a tendência que vale para um lado também vale para o outro com base em que então?

  117. Iphone vale a pena trazer de fora independentemente da época do ano. Samsung só vale a pena nos meses próximos ao lançamento, pq logo depois as promoções começam e o valor cai muito. É só olhar a trajetória de valor do iphone 6s e do galaxy s7. O iphone custa hoje mais caro que no seu lançamento, já o galaxy…

  118. É verdade, até porque lá fora não muda tanto o preço, só quando sai um lançamento novo mesmo.

    Aqui a diferença é maior, compensa esperar pra comprar depois.

    A maioria das pessoas que tem iphone que eu conheço, não são modelos com selo Anatel, logo creio que vieram de fora por meio de importação, “oficial ou não”.

  119. Isso representa de uma forma simples que Iphone no Brasil é muito caro. Não que seja um produto popular, mas muitas pessoas tem condições de comprar lá fora e não comprariam aqui no Brasil.
    Se a Apple alinhasse os preços, considerando que aqui seria mais caro pelos impostos, muita gente compraria aqui.

  120. Numa boa…não sinto falta de nada que você citou. Não em smartphone, no desktop sim a coisa muda. Acho que vai do perfil de cada usuário, por isso existem várias opções no mercado!

  121. Estamos achando barato hoje pois estamos se acostumando a pagar 3 mil num aparelho. Mas na época quando era normal pagar 400, 500, 600 num smartphone, o iPhone era igualmente mais caro como é hoje e a sensação dele ser muito mais caro que os outros era a mesma. É que nos esquecemos e acabamos nos acostumando a pagar caro como hoje.

    Igual carro e casa. 2010 um zerokm era bem menos que os 40 mil pedidos hoje.

  122. Eu conheço. Um amigo trouxe 2 Android em viagens distintas nos últimos 3 anos porque não gosta de iPhone. Nem todo mundo gosta de Apple. Esse ano ele trouxe um S7 edge

  123. Tenho 6s, além do preço ir para as nuvens, estou pensando em trocar no próximo, pois vi que os Samsung estão deixando poeira para o iPhone , em imagem, tela e fotografia.

  124. Eu vou te dizer… nessa época quando morava no Brasil, por ser cliente vivo e ter comprado os iPhone 3G, e o iPhone 3GS, meu iPhone 4 saiu de graça. Peguei ele no dia do lançamento em um MEGA cocktail feito lá na loja da Vivo no BarraShopping. Ainda comi e bebi de “graça”.

    O Tim e a Apple Brasil só sabem fazer “graça” com a gente…

  125. Acho que você não entendeu dois comentários distintos, porém relacionados e acabou somando os dois de forma equivocada. Vou explicar melhor:

    Quando o Alexandre afirma que os números da pesquisa seriam inválidos porque existe a tendência de pessoas trazerem iPhones de fora do país, eu apenas comentei que a mesma tendência também ocorre com os outros aparelhos e que dada a maior participação de mercado dos outros aparelhos que esse número de pessoas que trazem Galaxys, por exemplo, poderia até ser maior. Observe que não afirmei que é maior, apenas disse que poderia. A tendência (trazer aparelhos de fora) vale para todos os modelos de aparelho, não só iPhones. Enquanto ele observava o espaço amostral “pessoas que ele conhece” eu não defini nenhum, apenas extrapolei uma hipótese sobre a hipótese dele, abrindo uma nova frente de discussão.

    No momento em que ele afirma não conhecer ninguém que trouxe aparelhos da Samsung de fora do país, eu comentei que entendo o que ele estava falando, mas que o espaço amostral dele (pessoas que ele conhece) não seria suficiente para definir se a tendência que ele defende (pesquisa inválida por causa da importação de iPhones) seria válida sobre o espaço amostral “pesquisa divulgada no artigo aqui postado”. Para definir de forma melhor, seria necessária outra pesquisa para saber se a tendência que ele levanta, na forma de hipótese, é verdadeiramente uma tendência, ou seja, uma tese. Só isso.

    Eu, em momento algum, levantei nenhum espaço amostral, como pode ser observado. Apenas provoquei o debate colocando uma outra hipótese que ele porventura pudesse ter esquecido. Foram duas ações distintas, porém relacionadas. Acho que por isso você não entendeu o que eu e ele estávamos conversando.

    Em resumo: eu apenas defendi que se existe a tendência de importar iPhones, também existe a tendência de importar Galaxys. Também defendi que para levar essas tendências em consideração seria necessária outra pesquisa que observasse esses dados que pudessem validar essas hipóteses.

  126. Fernando, você está esquecendo da proporcionalidade. Naquela época eu comprei o iPhone 4 16 GB no lançamento por R$ 850,00 o que equivalia a 1,7 salários mínimos da época. Hoje, se eu for comprar um iPhone 6S de 16 GB vou ter que desembolsar o equivalente a 4,5 salários mínimos atuais.

    Em 2010 o iPhone era caro sim, mas bem mais barato que hoje. E os smartphones de R$ 600 não chegavam nem perto da qualidade construtiva, do belo acabamento e da qualidade do software de um iPhone. Hoje, para ter um iPhone de entrada (SE) é necessário desembolsar o valor de um Galaxy S7 que é muito superior em todos os quesitos (menos no SO, mas divago).

  127. Acho que você não entendeu dois comentários distintos, porém relacionados e acabou somando os dois de forma equivocada. Vou explicar melhor:

    Quando o Alexandre afirma que os números da pesquisa seriam inválidos porque existe a tendência de pessoas trazerem iPhones de fora do país, eu apenas comentei que a mesma tendência também ocorre com os outros aparelhos e que dada a maior participação de mercado dos outros aparelhos que esse número de pessoas que trazem Galaxys, por exemplo, poderia até ser maior. Observe que não afirmei que é maior, apenas disse que poderia. A tendência (trazer aparelhos de fora) vale para todos os modelos de aparelho, não só iPhones. Enquanto ele observava o espaço amostral “pessoas que ele conhece” eu não defini nenhum, apenas extrapolei uma hipótese sobre a hipótese dele, abrindo uma nova frente de discussão.

    No momento em que ele afirma não conhecer ninguém que trouxe aparelhos da Samsung de fora do país, eu comentei que entendo o que ele estava falando, mas que o espaço amostral dele (pessoas que ele conhece) não seria suficiente para definir se a tendência que ele defende (pesquisa inválida por causa da importação de iPhones) seria válida sobre o espaço amostral “pesquisa divulgada no artigo aqui postado”. Para definir de forma melhor, seria necessária outra pesquisa para saber se a tendência que ele levanta, na forma de hipótese, é verdadeiramente uma tendência, ou seja, uma tese. Só isso.

    Eu, em momento algum, levantei nenhum espaço amostral, como pode ser observado. Apenas provoquei o debate colocando uma outra hipótese que ele porventura pudesse ter esquecido. Foram duas ações distintas, porém relacionadas. Acho que por isso você não entendeu o que eu e ele estávamos conversando.

    Em resumo: eu apenas defendi que se existe a tendência de importar iPhones, também existe a tendência de importar Galaxys. Também defendi que para levar essas tendências em consideração seria necessária outra pesquisa que observasse esses dados que pudessem validar essas hipóteses.

  128. Realmente ta aí uma grande desvantagem cara, mas não tem jeito, vc paga caro mesmo pra ter um lançamento top nas mãos logo que lançam no mercado.

  129. Cara, seu argumento é muito fraco!

    Vc afirmou que “Assim como também deve haver pessoas que trazem os Galaxy S7 de fora do país e pela participação maior de mercado o número de pessoas que fazem isso tende a ser muito maior que o de pessoas que trazem iPhones de fora.”

    Mas a participação do mercado não me parece ser a variável que mais influi na decisão de alguém trazer um aparelho do exterior.

    Para mim, influi muito mais a diferença de valor entre o aparelho aqui e no exterior. E nesse aspecto, os aparelhos da Samsung e da Apple são muito diferentes. Como já falei num comentário aqui em baixo, o valor dos aparelhos da Samsung geralmente despenca com o tempo, enquanto os de iphone se mantem estáveis ou até sobem.

    Por isso, geralmente é mais vantajoso trazer um iphone de fora, mas nem sempre é vantajoso trazer um Galaxy, por exemplo.

  130. Ou seja, hoje esta muito mais caro. E acredito que por 3 motivos:
    Alta do dolar, alta de impostos e maior margem de lucros.

    No caso deste ultimo item, tenho certeza que as empresas identificaram que o brasileiro com uma qualidade de vida um pouquinho melhor que os demais aceita pagar um valor agregado para ter algo, neste caso, produtos Apple. Com isso, é explorado ao limite.

    Naquela epoca que o Iphone estava chegando no Brasil, e a apple poucos aqui conheciam, vulgo alguns designers, graficas e etc que usavam mac e outras pessoas que tinham um ipod, a grande população sequer dava a minima para a empresa. Por isso custava barato.

    Após a chegada do iphone, as revitalizações de macbook, imac etc a apple ao meu ver deu um grande salto de qualidade de 2007 pra cá. Eu mesmo, me incluo neste grupo de pessoas, que comecei a acompanhar mais a empresa por causa do iphone. Os mac, nem ligava muito. Já hoje…

    Enfim, somos explorados de todos os lados. É a dura verdade.
    Somos porque pagamos. Pois se nao vendesse o desejado, o preço iria cair ou a empresa iria embora do Brasil. Mas num país, onde, eu já li aqui nestes comentários, que pessoas viram outras comprarem mac pro de R$ 30 mil numa iPlace, fica dificil ser levado à serio, nao acha?

    Dinheiro cada um faz o que quer, mas rasgar assim, acho ignorancia. Por isso, nada aqui funciona, pois cada um olha para o proprio umbigo, e nao pensa como sociedade, para o bem de todos. Pensam como: Se posso pagar, vou e compro, diferente do americano.

    Por isso eles evoluiem, e nós, ficamos pra trás!

  131. Concordo com você. Pode até parecer egoísmo nosso, mas realmente nada do que ele citou faz falta no fundo. Na verdade, eu sequer acho relevante, mas respeito a opinião dele.

  132. Sim , mas os iPhones ficam com o msm preço até o lançamento do novo iPhone. Exceto , quando tem promoções relâmpago, mas depois volta o preço.

  133. Rapaz, acho que novamente você não entendeu o que foi escrito ou não quer entender.

    Não é questão de argumentos fortes ou fracos. Como disse, são hipóteses, coisas que não tem comprovação alguma, que precisam de teste para validação ou não. Ou seja, não trazem força alguma porque nem podem ser usadas para definir nada já que são apenas hipóteses e que seria necessária uma outra pesquisa para testar essas hipóteses.

    Olha como se faz uma hipótese: Como a participação de mercado do produto A é maior que a do produto B e se existe a possibilidade de importar ambos os produtos para pagar mais barato, existe a possiblidade de que os compradores de ambos os produtos A e B os importem. Dado que a participação do produto A é maior que a do produto B podemos afirmar que as vendas de A são maiores do que de B, então seria justo extrapolar que a importação de A também pode ser maior que a de B.
    Essa hipótese é verdadeira? Não sei, só testando. Foi isso que escrevi desde o começo.

    Já no quesito diferença de valor, sim, os aparelhos da Samsung desvalorizam mais, porém também não é um fator que determine se alguém vai importar ou não o aparelho. Aqui dá para começarmos outra hipótese: há mais pessoas que importam aparelhos aproveitando uma viagem ao exterior do que pessoas que arrumam um meio de trazer o aparelho de fora. Nesse caso, pouco importa a diferença de preço, o aparelho provavelmente vai ser mais barato, então pode-se trazer o que desejar. Avaliando-se que o produto que tem maior participação de mercado é o que vende mais, podemos pensar que há maior chance de vir um Galaxy nas malas e não um iPhone. É válida essa hipótese? Novamente não sei, precisaria de testes como uma pesquisa. O que eu ou você achamos pouco importa.

    Novamente coloco que não estamos avaliando o que é mais vantajoso ou não porque a pesquisa divulgada no artigo não traz dados de aparelhos importados. Só quero deixar registrado que, se há a possibilidade de importar iPhones, também há a possiblidade de se importar Galaxys. Levar em consideração a importação de apenas um aparelho, seja ele qual for, para afirmar que a pesquisa não tem validade é um ato de visão muito restrita. A proporção pode não ser igual, mas existe para os dois lados a hipótese.

    Ficou claro agora?

  134. Não tenho dados suficientes para avaliar se a Apple era ou não muito conhecida antes de 2007. Eu já usava Macs desde muito antes disso então eu conheço muita gente que já usava então minha amostra é contaminada.

    Quero apenas chamar a atenção para uma coisa importante que as pessoas não levam em consideração: Retorno sobre investimento (ROI).

    Hoje, por causa de muitos anos de trabalho com Apple, meu workflow é todo baseado no sistema da Maçã. Trocar meu workflow para outra plataforma é algo bastante caro. No momento de uma troca de máquina, eu tenho que avaliar o custo da máquina versus o custo de uma outra máquina rodando outro sistema + custo dos softwares + custo dos cursos de aprendizado no workflow novo + valor “perdido” enquanto está se adaptando ao novo workflow. Quando fiz meu último upgrade, saiu mais barato pagar o preço de um novo computador Apple, mesmo com os preços exorbitantes, do que recomprar os softwares e fazer os cursos necessários de adaptação para a nova plataforma, sem considerar uma eventual queda de receita no período de adaptação. O melhor ROI foi sem dúvida alguma comprar a máquina Apple. Acredite: desde que os preços ficaram absurdos eu venho pensando em migrar meu workflow para outra plataforma, mas os custos disso seriam muito mais altos que somente comprar a máquina Apple, trocar e seguir trabalhando em algumas horas.

    Não dá para julgar a pessoa que comprou o Mac Pro de R$ 30K porque essa pessoa poderia estar numa situação parecida com a minha, onde era “mais barato” (entenda como menos caro) pagar essa extorsão.

    Extrapolando isso para os smartphones, há de se observar que pode existir pessoas que, de tantos softwares já comprados no iPhone que são usados diariamente, a migração para outra plataforma implicando na compra dos mesmos softwares novamente ou na compra de equivalentes, seria “mais barato” (novamente entenda como menos caro) comprar um iPhone. O ROI seria vantajoso para o aparelho da Apple.

    E, nesses casos, nada teria haver com evolução. Seria necessidade.

    Enfim, acho que levei a conversa em outra direção, mas foi pertinente. É só para colocar outro ponto de vista sobre a discussão.

  135. Ok, a unica coisa q sinto falta eh a tela dividida, mas da pra ficar sem. N eh nem um pouco meu perfil fazer esse tipo de gambiarra como torrent, lojas alternativas. Sequer o jailbreak me interessa. Fora q todos os navegadores sao iguais no ios (tds tem q ser baseados no safari – n sei explicar os termos mas a ideia eh essa).

  136. Entendo seu ponto de vista, mas para um “ser comum” como é a maioria das pessoas, entusiastas, não compensa nada disto que voce justificou.

    Pra mim, dinheiro bom, é dinheiro aplicado e me rendendo dividendos no final do mês. O trabalho que exerço (webdesigner/design) eu fiz por 7 anos usando Windows. Fazem 3 anos que faço usando Mac. A qualidade dos mesmos não mudou por causa de usar um mac, mudou para melhor porque eu me aperfeiçoei, não porque o mac tem uma varinha mágica que faz o meu cérebro funcionar magicamente melhor. Esse papo que tudo da apple é melhor, cantado aos 4 cantos no Brasil é balela.

    Daqui 2 anos irei trocar meu mac. Se nao comprar nos EUA como fiz com este aqui, montarei um novo pc com windows 10 parrudo (tenho um ultrabook Vaio para reuniões e o acho muito bom) e continuarei a exercer minhas funções dignamente, sem mac, sem Apple.

    A apple não paga minhas contas, nunca pagou, nunca pagará.
    🙂

  137. Agora ficou claro pq vc mudou o que vc tinha dito.

    A sua afirmação foi mto clara. Vc disse que: “Assim como também deve haver pessoas que trazem os Galaxy S7 de fora do país e pela participação maior de mercado o número de pessoas que fazem isso tende a ser muito maior que o de pessoas que trazem iPhones de fora”.

    Vc disse que haveria tendência MAIOR de importação de galaxys com base em uma variável que eu considero fraca (participação de mercado).

    Mas enfim, concordo com você que para se afirmar qualquer coisa nesse sentido seria necessário pesquisas, mas de qualquer forma quis deixar a minha opinião.

  138. Ai meu Deus… Não mudei nada.

    Verbo intransitivo tender = propender, inclinar-se, ter vocação.

    Não é uma afirmação, é uma hipótese.

    De posse da definição, releia a frase.

  139. O S7 não passou 3 meses e já teve promoção na fastshop aonde vc pegava 2 por R$4000… isso ganhando o Gear VR (R$600+) de brinde e agora um power bank da samsung de 5400mah (R$200+) registrando cartão com samsung pay.
    É só esperar um pouquinho e pegar um note sem ser lancamento q vc já pega com o preço bem menor que um iphone que vale pelo aparelho que ta vindo melhor com vantagens de varios brindes q a samsung ta dando para os top dela.
    Ainda vai desvalorizar mais? Sim. Mas vc a diferença se vc já pegar com esse pequeno tempo em alguma promoção já fica tão pequena q eh equivalente a de comprar o iphone novo e vender usado, isso pq vc teve q investir bem menos no novo inicial.

  140. Não digo mais esperto, mas as pessoas aqui pensam duas vezes quando vão gastar o dinheiro, tem um cuidado maior.

    Elas procuram, comparam, se informam sobre o que muda de um pro outro… coisa que dificilmente o usuário ‘padrão’ americano faz (te garanto isso, tenho vários conhecidos e familiares ‘leigos’ morando la).

    Nos EUA o povo paga praticamente o mesmo preço em todos os aparelhos top de linha, fora aqueles que tem contratos de 2 anos, que ganham o aparelho de graça muitas vezes.

    O iPhone 6 liderou o mercado de vendas de celular no exterior, aqui no Brasil a participação pode até ter sido boa, mas não pense que ela chega nem perto do que, por exemplo, a América do Norte consumiu, pq lá sim, o valor é ‘justo’, eles tem várias lojas com pós-venda digno (do contrário do BR onde ficamos na mão de autorizadas despreparadas) e ainda contam com atendimento premium, que muitas vezes, resolve seu problema em apenas alguns minutos.

    Aqui uma pessoa se lasca de trabalhar pra pagar 2,900 em um iPhone (comprado em promoção, pq esse preço pela Apple por um mais recente é impossível) e se possível, ainda parcela em 12 vezes.

    Tu acha mesmo que o Brasileiro não considera muito mais do que o americano, europeu ou até mesmo os asiáticos pra fazer um upgrade de modelo? Claro que sim! Aqui a tendência é passar cada vez mais tempo com o mesmo modelo (até vir o ladrão e roubar).

    Dificilmente alguém troca de smartphone todo ano, arrisco dizer que o usuário médio brasileiro passa cerca de 2 a 3 anos com o mesmo iPhone antes de comprar um novo.

Deixe uma resposta