Foco em serviços, iPads gerando mais receitas… confira os destaques do 3º trimestre fiscal da Apple

A Apple divulgou ontem os resultados financeiros referentes ao seu terceiro trimestre fiscal de 2016 e, apesar de vermos queda nas vendas de diversos produtos, os números ficaram exatamente dentro das previsões da empresa — até um pouco acima do que analistas esperavam.

Recapitulando: a receita no trimestre ficou em US$42,4 bilhões (contra US$49,6 bilhões no mesmo período de 2015), com lucro de US$7,8 bilhões (contra US$10,7 bilhões) — ou US$1,42 por ação diluída (frente a US$1,85 de 2015) — e uma margem bruta de 38% (39,7% no ano passado). Já os números de vendas de iPhones, iPads e Macs ficaram respectivamente em 40,4 milhões (-15%), 10 milhões (-9%) e 4,3 milhões de unidades (-11%). Os serviços da empresa (que englobam Apple Music, Apple Pay, App Store e outros) tiveram um aumento de 19% nas receitas, totalizando US$6 bilhões; já a categoria “Outros” teve uma queda de -16%, com ganhos em US$2,2 bilhões.

Como sempre, Tim Cook (CEO1) e Luca Maestri (CFO2) participaram de uma conferência em áudio para explicar e falar um pouco mais dos detalhes desses três últimos meses financeiros da Maçã. Vamos aos destaques!

Comentários gerais

  • Cook comentou as novidades dos novos sistemas operacionais da Apple (iOS 10, macOS Sierra 10.12, watchOS 3 e tvOS 10), dando ênfase ao investimento que a Apple tem dado a inteligência artificial. Ele disse que a Siri, por exemplo, aprende palavras, a intenção por trás delas e pode, então, oferecer respostas mais inteligentes/precisas.
  • Como sempre faz, Cook disse que a Apple está preparando ótimos lançamentos para este ano e que está muito otimista sobre o futuro da empresa.
  • A Apple tem agora US$231,5 bilhões em caixa, US$1,4 bilhão a menos do que no último trimestre.
  • Foram devolvidos a acionistas US$13 bilhões no FQ3 2016.
  • A Apple continua adquirindo novas empresas num ritmo mensal (de três a quatro semanas).
  • Falando especificamente sobre o investimento na chinesa Didi Chuxing (rival do Uber), Cook disse que não é algo normal, mas que a empresa já investiu assim no passado na ARM, por exemplo. O CEO também explicou por que investiu US$1 bilhão na empresa (do ponto de vista financeiro foi um ótimo negócio para a Maçã; coisas estratégicas que as empresas podem fazer juntas ao longo dos próximos anos; e o fato de a Apple poder aprender muita coisa sobre o mercado chinês com a Didi).
  • Perguntado sobre qual seria a divisão de pesquisa e desenvolvimento para produtos já existentes e os que ainda não saíram do papel, Cook respondeu que não falaria exatamente a fatia de cada um, mas que há P&D para as duas categorias. “Você pode olhar para a taxa de crescimento e concluir que estamos fazendo muita coisa além dos produtos atuais.”

iPhone

  • Por conta da chegada do iPhone SE no trimestre, o ASP3 caiu de US$642 para US$595.
  • A demanda pelo iPhone SE, aliás, foi maior do que a oferta em praticamente todo o trimestre — o que mostra a força do aparelho e como ele realmente pôde impactar o ASP do smartphone.
  • Curiosamente, o iPhone SE está com um bom desempenho tanto em mercados desenvolvidos quanto nos emergentes; ele também tem um apelo muito grande para quem está comprando um iPhone pela primeira vez e, obviamente, para quem adora a tela de 4″ e estava descontente por a Apple não oferecer um hardware novo com esse tamanho.
  • Maestri disse não haver indícios claros de que o iPhone SE não canibaliza as vendas do 6s/6s Plus. Para a Apple, trata-se de uma oportunidade de trazer ainda mais pessoas para o seu ecossistema, atraindo novos compradores e pessoas que não querem deixar a tela de 4″ para trás.
  • Percentualmente falando, este foi o melhor trimestre na migração de outras plataformas (especialmente o Android) para o iPhone/iOS.
  • A base instalada de usuários de iPhones na China cresceu 34% no período de um ano.
  • A Índia é um dos mercados de mais rápido crescimento da Apple atualmente. As vendas do iPhone no país cresceram 51% ano a ano, nos três primeiros trimestres fiscais da Maçã. Cook confirmou planos de abrir lojas no país.
  • Maestri afirmou que o iPhone continua com força no mercado empresarial, com 75% dos potenciais compradores corporativos pretendendo comprar um aparelho no quarto trimestre fiscal de 2016.
  • Cook afirmou que as vendas de iPhones cresceram em dois dígitos nos mercados japonês, brasileiro, russo e canadense. A informação é interessante pois contrasta os dados que divulgamos nesta semana sobre a queda nas vendas de iPhones no Brasil — ainda que a pesquisa da Gartner seja relacionada ao primeiro trimestre do ano e os dados divulgados por Cook, do segundo trimestre do ano (terceiro trimestre fiscal da empresa), que já engloba o iPhone SE.

iPad

  • O iPad fez o caminho inverso do iPhone. Por conta da chegada dos modelos Pro (mais caros que os antigos iPads), o ASP do tablet subiu de US$430 para US$490.
  • Apesar da queda no número de tablets comercializados, o iPad teve o melhor desempenho financeiro dos últimos 10 trimestres, com a receita subindo 9%.
  • De acordo com as pesquisas da empresa, metade dos compradores de iPads Pro estão adquirindo o tablet para trabalho.
  • Nos EUA, entre os consumidores que estão planejando adquirir um tablet nos próximos seis meses, 63% planejam adquirir um iPad. Dentro desses 63%, o iPad Pro é a principal escolha.
  • O índice de satisfação entre usuarios corporativos é de 94%; 71% planejam adquirir um novo modelo do iPad.

Mac

  • Há um ano a Apple havia lançado novos MacBooks Pro e iMacs. Por conta disso, o comparativo das vendas dos Macs ficou prejudicado neste trimestre.
  • Entretanto, o Mac está atraindo novos compradores (que nunca tiveram um Mac antes).
  • A base instalada de usuários de Mac fechou o trimestre com um novo recorde histórico.

Serviços

  • A App Store teve um crescimento de receita de 37%, o maior já registrado.
  • Cook espera que a categoria “Serviços” atinja, no ano que vem, o tamanho de uma empresa digna do ranking Fortune 100.
  • 75% dos pagamentos móveis são feitos pelo Apple Pay. São atualmente mais de 11 milhões de locais/pontos de pagamento em todos os países que já suportam o Apple Pay — que está agora em 9 mercados, incluindo 6 dos 10 principais mercados da empresa.
  • O valor médio gasto por clientes em transações na iTunes Store foi o mais alto já visto pela Apple; o número de transações também bateu recorde.
  • Querendo mostrar que está se desprendendo da dependência do iPhone, Maestri informou que a categoria “Serviços” agora representa 11% das receitas totais da Apple — 3 pontos percentuais a mais do que há um ano.
  • Já são mais de 2 milhões de aplicativos disponíveis na App Store.
  • A Apple ainda está tentando colocar a iTunes [Movie] Store e a iBooks Store de volta ao ar na China. Do ponto de vista financeiro, porém, esse bloqueio do governo chinês não representa muita coisa já que, juntas, as lojas rendiam menos de US$1 milhão (o período desse rendimento, porém, não foi informado).
  • Cook falou também sobre o jogo Pokémon GO, dizendo que trata-se de uma prova do que pode vir com o lançamento de aplicativos inovadores. Ele também comentou o potencial da realidade aumentada e que a Apple continua investindo bastante nesta área a longo prazo pois se trata de uma grande oportunidade comercial. “A primeira coisa é ter certeza de que nossos produtos funcionam bem com esse tipo de produto, como Pokémons de outros desenvolvedores.”

Outros produtos/serviços

  • Absolutamente nada sobre as vendas do Apple Watch foi comentado; Cook apenas mencionou a pesquisa de satisfação da J.D. Power na qual o relógio da Apple ficou em primeiro lugar.
  • Questionado sobre a Apple TV, Cook informou que pensa na set-top box como uma base para o que podemos fazer. “Eu não quero ser mais preciso do que isso. Não olhe para o que está aí hoje e ache que fizemos o que queremos fazer. Nós construímos uma fundação na qual pensamos que podemos fazer algo maior.”

Futuro

  • Para o FQ4 2016 (quarto trimestre fiscal de 2016), a Apple estima uma receita entre US$45,5 e US$47,5 bilhões; comparativamente, no mesmo período de 2015, a receita foi de US$51,5 bilhões.

Gráficos

Abaixo, alguns gráficos interessantes que resumem o terceiro trimestre fiscal de 2016 da Apple:

Gráfico da Apple - FQ3 2016

·   ·   ·

Gráfico da Apple - FQ3 2016

·   ·   ·

Gráfico da Apple - FQ3 2016

·   ·   ·

Gráfico da Apple - FQ3 2016

·   ·   ·

Gráfico da Apple - FQ3 2016

·   ·   ·

Gráfico da Apple - FQ3 2016

·   ·   ·

Gráfico da Apple - FQ3 2016

·   ·   ·

Gráfico da Apple - FQ3 2016

·   ·   ·

Gráfico da Apple - FQ3 2016

[via MacRumors, AppleInsider, MacStories]

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários