Apple está trocando o emoji de revólver por uma arma d’água no iOS 10 — e tem muita gente reclamando

Se você está utilizando a quarta beta do iOS 10, deve ter notado, dentre uma série de mudanças no seu iGadget, uma novidade em particular: o sumiço do tradicional emoji de revólver, substituído pela figura de uma inofensiva arma d’água verde.

Emojis de revólver e arma d'água

A novidade, junto de uma série de outros novos emojis motivados pela paz e pela inclusão — como uma bandeira de arco-íris representativa do movimento LGBT+, novas opções de gênero e de configurações familiares —, vem num momento delicado da história dos Estados Unidos: com uma série de ataques, casos de brutalidade policial e assassinatos em massa nos últimos tempos, o debate sobre o controle de armas reacendeu com força total.

Portanto, não deveria demorar muito até que alguém se pronunciasse negativamente quanto ao fim do emoji de revólver. E não deu outra. A Second Amendment Foundation, grupo americano ativista pelo direito do armamento, declarou que a decisão da Apple é “uma combinação de infantilidade e demagogia anti-armas”. O vice-presidente executivo da fundação, Alan M. Gottlieb, liberou um comunicado criticando fortemente a atitude:

Isso não simplesmente beira o absurdo, mas ultrapassa completamente a barreira. É o tipo de intolerância que se tem quando se deixa o lobby da proibição de armas incutir a demonização e o ódio.

A radialista conservadora Dana Loesch também expressou seu descontentamento com a substituição do emoji no Twitter:

Estou muito feliz por terem feito isso e agora os crimes acabaram.

Apesar das críticas, nada indica que a Apple voltará atrás na sua decisão — que, aliás, deverá ser seguida pelas outras grandes empresas muito em breve. Lembremos-nos de que o Google é outro grande defensor de pautas progressistas/pacifistas. Adicionalmente, um proposto emoji de rifle foi vetado pelo órgão de desenvolvimento das figurinhas no início deste ano. Em outras palavras, as armas vão sumir — se não da vida real, ao menos das telas de dispositivos eletrônicos.

E, se alguém está interessado nos meus dois centavos acerca da discussão, nada aqui trata de decidir sobre um controle efetivo de armas ou não. O que o tweet de Loesch ingenuamente desconsidera é que a investida, aqui, é contra uma cultura/glorificação de armas que, essa sim, é nociva. A exclusão do emoji de revólver, de fato, pode não ser um fator preponderante na redução dos acidentes e crimes com armas de fogo, mas ao menos é um pequeno passo rumo à desfetichização delas — algo que países como os EUA (e também o Brasil, em menor escala) necessitam.

[via Apple World Today]

Posts relacionados

Comentários