Usuários comuns podem testar versões beta do iOS/macOS graças ao vexame do Mapas

Em uma empresa tão grande quanto a Apple, não há decisão tomada que não desperte amor ou fúria nas pessoas. Ainda mais no mundo da internet, onde qualquer um parece ter opinião sobre tudo, e principalmente depois do “preocupante” resultado do segundo trimestre fiscal de 2016 e das pequenas mudanças em seus produtos e sistemas, muitos acreditam piamente que a empresa está em declínio e que ela “não é mais como era” (quando Steve Jobs comandava a Maçã).

Para acalmar (ou agitar) os nossos nervos, Tim Cook (CEO1), Eddy Cue (vice-presidente sênior de softwares e serviços para internet) e Craig Federighi (vice-presidente sênior de engenharia de softwares) deram uma entrevista para a Fast Company e comentaram as diversas opiniões que surgiram pela mídia e a decisão de disponibilizar betas públicas (o Apple Beta Software Program) dos novos sistemas (iOS e OS X macOS).

“A Apple está fracassando”

Tim Cook

Quando perguntado sobre os comentários que têm surgido sobre a empresa, Cook disse que não acompanha todos os relatos, mas que “sabe qual é a verdade”.

A Apple está cometendo mais erros do que costumava? Eu não tenho como monitorar isso. Nós nunca dissemos que somos perfeitos, mas é o que procuramos ser. Contudo, às vezes, não é o que conseguimos. A coisa mais importante é se perguntar: você tem coragem de admitir que está errado? E você muda? A coisa mais importante para mim, como um CEO, é que mantenhamos a coragem.

Como lembra a matéria, nesses cinco anos em que a Apple está sob o comando de Cook, ela triplicou a sua renda, a sua mão-de-obra duplicou e o seu alcance global aumentou rapidamente. Nas palavras do autor: “Ele nunca será tão chamativo quanto Jobs, mas pode ser o CEO perfeito para comandar a gigante que a Apple se tornou.”

Já Cue foi mais taxativo sobre as constantes comparações com Jobs e a cobrança por grandes inovações: “O mundo acha que nós entregávamos [uma inovação] a cada ano enquanto Steve estava aqui, mas aqueles produtos foram desenvolvidos durante um longo período de tempo.”

Beta público e Mapas

Em setembro de 2012, quando o Mapas (app nativo que substituiu os mapas do Google) foi apresentado, ele veio com diversos problemas: pontes pareciam imersas nos rios, hospitais foram localizados em endereços que pertenciam a centros comerciais, pistas de pouso eram confundidas com estradas, entre muitos, muitos outros. A grande polêmica do erro da Maçã poderia desmotivar a equipe, mas acabou servindo para implementar ótimas mudanças dentre as quais está a disponibilização de um programa beta público para seus sistemas mais famosos (iOS e macOS), assim como relata Cue.

Gráfico

Estas coisas significam muito para nós pois trabalhamos duro; portanto, ficamos envergonhados. Nós tínhamos subestimado completamente o produto e a sua complexidade. Fizemos mudanças significativas em todos os nossos processos de desenvolvimento por causa disso. Para todos nós que vivemos em Cupertino, os mapas eram muito bons. Certo? Então, [o problema] não era óbvio para nós. Nós nunca fomos capazes de levá-lo a um grande número de usuários para obter esse feedback. Agora nós podemos. A razão pela qual você, como um cliente, é capaz de testar o iOS é por causa do Mapas.

Assim que se depararam com os problemas do Mapas, eles precisaram se reunir para decidir o que fazer com o app; se continuariam desenvolvendo melhorias e novas funções ou se o colocariam nas mãos de terceiros. No fim, Cue afirma que gostariam de criar muitas coisas que dependeriam dessa tecnologia, então não a enxergavam como algo que poderia ser terceirizado. Apesar de não dar mais detalhes, ele deu um exemplo muito animador do que gostaria de ver.

Digamos que eu estou em casa lidando com emails antes de ir para o trabalho. Eu gostaria que o Mapas me informasse “Não saia agora, o tempo de viagem diminuirá em 15 minutos se você ficar por mais alguns instantes em casa” — seria muito útil.

Apple onde quer que você vá

Em se tratando de quantidade de produtos e serviços, a Maçã tem crescido bastante e isso tem causado um certo alvoroço naqueles que acreditam que “bom era na época de Jobs, quando apenas alguns produtos eram vendidos”. A tecnologia mudou. O mundo mudou. Então, a empresa está seguindo o fluxo de mudanças.

Cue disse: “Nós queremos estar lá desde quando você acorda até quando você decidir ir dormir”; e Cook completou dizendo “Nossa estratégia é para lhe ajudar em todas as partes da sua vida que podemos. Se você está sentado na sala de estar, no ambiente de trabalho, com o seu celular, ou em seu carro.”

Tim Cook

Dentro dessas melhorias “em todas as partes”, o CEO da Apple lembrou das iniciativas de saúde que têm se expandido cada vez mais.

Nós entramos na área da saúde e começamos a olhar para o bem-estar. Isso nos levou a pensar sobre a pesquisa, depois um pouco mais além até a assistência prestada aos pacientes, o que também está nos levando a mais outras coisas.

Segundo a matéria, a área de saúde rende aproximadamente US$9 trilhões e mesmo se a empresa conseguir 1% disso (US$90 bilhões), já seria um ótimo negócio.

A matéria é bem divertida, extensa e interessante — vale muito a pena a leitura.

[via 9to5Mac]

Posts relacionados

Comentários