Apple não revelará números de vendas do primeiro fim de semana do iPhone 7 porque acredita que o aparelho esgotará rapidamente

Não é só a saída de áudio ou o botão de Início (Home) físico. Mais uma tradição da Apple será quebrada com o lançamento do iPhone 7: a Maçã anunciou hoje, em comunicado para a CNBC, que não vai divulgar os números de vendas do fim de semana de lançamento do seu novo smartphone, como costumeiramente faz desde o seu advento.

iPhones 7 Plus de costas em todas as cores

As razões dada pela Apple para tal decisão têm a ver com um fator muito simples: oferta e demanda. Segundo Cupertino, o número de aparelhos vendidos será regido basicamente pela capacidade da empresa de entregar quantas unidades forem possíveis, uma vez que eles sabem “antes de o primeiro cliente fazer a sua pré-compra que nós vamos vender todos os iPhones 7”. Por isso, tais números não seriam representativos do sucesso do novo modelo.

O comunicado completo pode ser lido a seguir:

Nós acreditamos que o iPhone 7 e o iPhone 7 Plus serão extremamente populares com os consumidores e estamos muito animados em começar o período de pré-venda no dia 9 de setembro. Os clientes receberão seus novos iPhones a partir de 16 de setembro.

Em anos passados, nós anunciamos quantos iPhones foram vendidos no primeiro fim de semana após o lançamento. Conforme nós fomos expandindo nossa distribuição entre operadoras e revendedoras para centenas de milhares de localidades ao redor do mundo, entretanto, nós agora estamos num ponto em que sabemos, antes mesmo de o primeiro cliente fazer a sua pré-compra, que venderemos todos os iPhones 7.

Estas vendas iniciais serão regidas por oferta, não demanda, e nós decidimos que elas não são mais uma métrica representativa para nossos investidores e consumidores. Portanto, nós não mais divulgaremos números de lançamento. Reiteramos o guia financeiro para o terceiro trimestre que fornecemos em 26 de julho.

O anúncio foi recebido com desapontamento por analistas e investidores, que viram as justificativas como uma possível cortina de fumaça para um desempenho inferior ao de lançamentos de iPhone anteriores. A Apple já adota esta estratégia de silêncio com o Apple Watch, um dos grandes motivos para o quase consenso de que o relógio não vende tão bem quanto a Maçã gostaria.

De fato, com a notícia, as ações da Apple já caíram mais de 2%, e o analista Ming-Chi Kuo, da firma de investimento KGI Securities, alterou suas previsões de unidades de iPhone 7 vendidas no trimestre: de 30 milhões, agora ele acredita que serão entre 20 e 25 milhões de aparelhos despachados.

Desde o iPhone 4s, em 2011, os números de lançamento do smartphone da Maçã batem recordes ano a ano: foram 4 milhões de iPhones 4s, 5 milhões de iPhones 5, 9 milhões de iPhones 5s e 5c, 10 milhões de iPhones 6 e 6 Plus e 13 milhões de iPhones 6s e 6s Plus. Agora teremos um ponto de interrogação neste extremamente bem-sucedido caminho.

[via Apple World Today]

Posts relacionados

Comentários