Segue uma lista de coisas que o Apple Watch Series 2 *não* faz

Quando a Apple anunciou o Apple Watch Series 2, no início do mês, muito se celebrou sobre as novidades da nova versão do reloginho que fazem dele uma peça de hardware muito mais independente e atrativa em relação ao seu antecessor. O foco na parte de fitness, refletido principalmente na inclusão de um receptor GPS, mostra bem a nova trilha que a Apple quer seguir no ramo dos smartwatches — adeus, mercado fashion da alta costura e supercelebridades; olá, corredores, esportistas e Kléber Bambam.

Entretanto, não é porque a Apple resolveu dar mais recursos à segunda série do seu Watch que o relógio é onipotente. Quem cantou a bola primeiro foi o The Verge: existe uma série de coisas que, mesmo com o hardware atualizado, o Apple Watch Series 2 não pode fazer — coisas que, teoricamente, seriam importantes para ao menos parte do seu público-alvo. Vamos dar uma breve analisada nelas nos próximos parágrafos; desta forma, se você estiver planejando comprar um exemplar da novidade, já vai sabendo exatamente o que lhe espera.

Apple Watch Series 2 sendo usado em bicicletaEm primeiro lugar, é importante citar que o Series 2 não consegue medir variações na elevação do usuário — o sensor de GPS embutido detecta apenas a posição global plana, ou seja, sem levar em conta se você está no topo do Everest ou nos Países Baixos. Esta é uma limitação significativa para montanhistas, ciclistas de aventura e trilheiros, portanto, se é um recurso importante para você, ainda será necessário levar seu iPhone junto nas suas jornadas; este, sim, mede tranquilamente a elevação posicional e passa os dados para o Apple Watch.

Outro ponto importante é que a nova geração continua sem nenhum tipo de leitura do sono do usuário. Talvez esta seja uma medida pensada por parte da Apple, uma vez que a bateria do relógio, embora melhor que antes, ainda não chegou nem de longe ao estado da arte desejado e o bichinho ainda precisa ser recarregado praticamente toda noite. O fato é que, se você quiser registrar seus padrões na cama (digo, dormindo), vai precisar olhar para outro lado: as pulseiras inteligentes como a Fitbit já fazem este trabalho com algum sucesso há anos.

O novo relógio da Maçã também não é proativo a ponto de detectar automaticamente em qual atividade o usuário está engajado no momento — cada sessão deve ser manualmente iniciada e salva/finalizada, o que pode representar um contratempo para quem gosta de ir à academia e transitar entre as diversas modalidades, como treino aeróbico, natação e musculação.

Falando em musculação, alías, esta é uma área em que o Watch Series 2 ainda fica devendo: agora é possível selecionar uma série de exercícios dentro da atividade “treino muscular”, mas o relógio efetivamente não está monitorando nada além do tempo que você gasta naquela tarefa. Séries, descansos, peso e movimentos ficam de fora da leitura, e apenas uma média bem por cima do gasto energético da atividade é registrada.

Bloqueio de tela do Apple Watch para exercícios
Imagem: Aloisio Kreischer

Por fim, importante falar também do campo da natação, um dos grandes atrativos do novo modelo resistente à água. A Apple implementou um truque engenhoso para expulsar os fluidos do alto-falante, o que significa que os sons do relógio serão audíveis no momento em que o usuário sair da piscina ou mar. Entretanto, os engenheiros de Cupertino ainda não descobriram a mágica: a tela do Apple Watch Series 2, como qualquer touchscreen capacitiva, é inoperante em contato com líquidos.

Para contornar o problema, a Apple adicionou um segundo tipo de modo de bloqueio, acessível na Central de Controle através do ícone da gota d’água, dedicado a essas situações molhadas: o modo trava a tela, mostra as informações de leitura de atividade e exige que a Digital Crown seja girada para desbloquear o relógio (quando isso acontece, ele emite também os sons para expulsar líquidos do alto-falante).

Este é apenas um pequeno resumo de coisas que você deve estar ciente se estiver pensando em gastar seu rico dinheirinho com um Apple Watch Series 2. Não ficaremos, naturalmente, por aqui — em breve publicaremos um review completo com as nossas impressões da nova geração. De qualquer forma, é como diz o ditado: the more you know

Posts relacionados

Comentários