Adeus, Intel? Núcleo do macOS conta com referências a processadores ARM

Antes de entrarmos na notícia em si, aqui vai uma breve explicação: a Apple vem utilizando um chip criado por seus próprios engenheiros desde o iPhone 4 (que veio equipado com o A4). A partir daí, a cada novo lançamento de iPhone e iPad nós vimos uma nova geração de processadores da Apple sendo lançada: A5, A5X, A6, A6X, A7, A8, A8X, A9, A9X e, agora, o A10 Fusion que equipa os iPhones 7/7 Plus.

O desempenho desses processadores foi crescendo num nível tão impressionante que, atualmente, o A10 Fusion tem uma performance capaz de bater MacBooks Air e até mesmo o MacBook Pro (lançado em 2013 e ainda comercializado pela Apple).

Lembram da história de que a Apple poderia abandonar os processadores da Intel e começar a utilizar os seus próprios também em Macs? No passado isso era algo ainda muito distante mas, com esse performance do A10 Fusion, as coisas começam a se tornar um pouco mais críveis. E só para pontuar, não estamos falando daquelas previsões furadas de analistas que não entendem patavinas de como as coisas funcionam na Apple. Nomes de peso, como Jean-Louis Gassée (que já trabalhou como chefe de desenvolvimento de produtos na Maçã) é um que vem falando sobre isso há um tempo.

Agora, o pessoal da TechTastic encontrou [Google Tradutor] a seguinte referência no núcleo (kernel) do macOS Sierra: CPUFAMILY_ARM_HURRICANE.

Kernel do macOS com referência a processadores ARM

O codinome Hurricane (Furacão) não aparece em nenhuma documentação da ARM. Só que, veja você: a partir do A7, a Apple passou a nomear os seus processadores internamente. O A7, por exemplo, se chamou Cyclone (Ciclone); o A8, Typhoon (Tufão); o A9, Twister (Tornado). Não precisa ser nenhum gênio para fazer a correlação, certo?

Ah, mas a Apple não tem como colocar um A10 Fusion num MacBook Pro topo-de-linha. Que dirá em um iMac. No Mac Pro, então, nem se fala!

Meus amigos, se a Apple consegue colocar esse tipo de performance que desbanca MacBooks Air em um processador 100% otimizado para dispositivos móveis, eu não tenho dúvidas de que se ela quiser criar algo totalmente otimizado para desktops (sem se preocupar tanto com eficiência energética, dissipação de calor, etc.), por exemplo, pode atingir performances de deixar a Intel de cabelo em pé!

Talvez de fato não seja a hora, ainda, de vermos Macs com processadores ARM, mas é inegável que essa troca, para a Apple, faz muito sentido por diversas questões como não depender do calendário de lançamento da Intel para lançar novos Macs, integrar ainda mais o software com o hardware (como faz desde sempre com a dupla iOS/iGadgets), entre outras coisas. Independentemente do timing, é fato que se um dia — não muito distante — essa transição acontecer, os testes/preparativos para a troca já estão a todo vapor em Cupertino.

[via iDownloadBlog]

Posts relacionados

Comentários