Testamos o recurso Remote Play, que promete espelhar a tela do PlayStation 4 no seu Mac/PC

Lembra dos bons velhos tempos em que a TV era o centro de toda interação familiar e todos os dispositivos eletrônicos mais desejados do mercado eram destinados a ser conectados nela? Bom, os tempos mudaram. Hoje em dia a televisão não é mais o hub do lar, e em vários sentidos ela está deveras escanteada, embora algumas empresas queiram mudar isso.

Publicidade

Uma coisa não mudou, entretanto: os estresses que acontecem quando duas pessoas querem ver coisas diferentes na TV — e se você, como eu, tem só uma televisão em casa, este problema é elevado à décima potência.

Bom, se o seu interesse é jogar, um recurso da Sony tem o potencial de salvar a sua sanidade mental e o bom relacionamento com seus familiares ou companheiros de casa. Estou falando, é claro, do Remote Play, funcionalidade que estreou há alguns anos exclusivamente para o malfadado PS Vita, depois expandiu-se para os smartphones e tablets da companhia japonesa e, finalmente, no primeiro semestre deste ano, chegou a Macs e PCs.

Eu passei as últimas semanas com um PlayStation 4 com o intuito principal de testar o Remote Play, e a seguir responderei a pergunta que não quer calar: dá pra dispensar de vez a TV e passar a jogar somente pela tela do seu computador?

Publicidade

Configuração inicial

A Sony já ganha pontos inicialmente por criar um esquema de configuração bem simples, que pode ser feito por qualquer pessoa sem o mínimo de conhecimento técnico. O primeiro passo é, naturalmente, baixar o utilitário do Remote Play no seu computador — no caso dos Macs, ele é compatível com os OS X Yosemite/El Capitan e o macOS Sierra; a lista completa de requisitos do sistema pode ser lida aqui.

Com o PS4 ligado e conectado à mesma rede Wi-Fi do computador, basta ativar a opção “Habilitar Uso Remoto” dentro do menu “Configurações de conexão para o Uso Remoto”, nas configurações do console. Depois, é só abrir o programa, conectar o DualShock 4 ao Mac/PC por meio do cabo USB usado para recarregá-lo e pressionar a tecla “Options” no controle para que o aplicativo comece a procurar consoles próximos. Uma vez detectado, a conexão é feita automaticamente e a tela do videogame aparecerá como num passe de mágica no seu computador.

No meu caso, esta busca sempre funcionou muito bem e o PlayStation foi detectado em poucos segundos; caso o programa teime em não achar o seu console ou você esteja em uma rede Wi-Fi diferente, é possível gerar um código na tela do videogame (na opção “Adicionar dispositivo”, também dentro do menu “Configurações de conexão para o Uso Remoto”) — então basta clicar na opção “Registrar manualmente”, no aplicativo, para digitar o código e estabelecer a conexão sem maiores problemas.

As preferências do aplicativo não oferecem muitas opções, mas o essencial está presente: além do básico de conectar/desconectar a sua conta do PlayStation Network e escolher se será possível utilizar o teclado do computador nos jogos, é possível escolher a resolução da transmissão (360p, 540p, 720p e 1080p) e a taxa de quadros (padrão ou alta — neste segundo caso, o recurso de gravação de partida fica desativado durante o uso remoto, por algum motivo).

Publicidade

Estas configurações de qualidade são importantíssimas para tentar estabelecer uma transmissão minimamente utilizável. O que nos leva ao ponto mais importante…

Desempenho

Obviamente, nenhum tipo de configuração inicial simples ou opção de configuração efetiva adianta em alguma coisa se o desempenho do recurso deixa a desejar. E, infelizmente, as notícias que eu tenho neste sentido não são das mais animadoras: nos meus testes, pelo menos, o Remote Play não apresentou performance satisfatória o suficiente para ser considerado minimamente utilizável.

GIF mostrando o desempenho do Remote Play

Antes de entrar nos pormenores do desempenho do Remote Play, permitam-me um adendo: eu tenho um Wii U (e eu gosto muito dele, não precisam rir de mim). Portanto, sou acostumado a desligar a TV e jogar videogame diretamente de uma outra tela (no caso, a do controle). Claro, estamos falando de coisas diferentes — a conexão do Wii U com o gamepad é diferente da do Remote Play e se eu me distanciar mais que 5 metros do console, a transmissão falha e cai. O fato é: eu me acostumei a uma transmissão absolutamente estável e à prova de falhas, e qualquer coisa diferente disso, eu sei, afeta profundamente a experiência de uso de qualquer um.

Publicidade

Estou falando tudo isso para ilustrar a necessidade, durante uma sessão de jogatina, de se obter uma transmissão que seja, acima de tudo, estável — a estabilidade é ainda mais importante que a resolução nesta tarefa, por exemplo. E neste ponto o Remote Play peca, e muito: todas as vezes que eu tentei jogar pelo Mac converteram-se num exercício de frustração, com uma transmissão absolutamente instável, de baixa resolução e que invariavelmente caía depois de, no máximo, alguns minutos.

Você pode sugerir que este problema é causado pela minha rede doméstica, mas não é o caso: quando o computador e o PlayStation estão no mesmo recinto, conectados à mesma rede Wi-Fi, o Remote Play não depende das velocidades de upload e download do plano de internet — o próprio roteador encarrega-se de estabelecer uma conexão própria entre os dois dispositivos, no caso.

De qualquer forma, eu tentei levar o Mac a outro ambiente e conectá-lo a outra rede Wi-Fi para ver se as coisas melhoraram, mas nada feito: inicialmente a qualidade do streaming até pareceu melhorar, mas logo tudo degringolou novamente, a imagem começou a apresentar congelamentos e em seguida a conexão caiu como um todo. No geral, em nenhum momento da minha experiência com o Remote Play foi possível jogar alguma coisa com a TV desligada por mais de um minuto — o que é bastante desanimador.

Conclusão

Serei curto e grosso: o Remote Play, ao menos comigo, simplesmente *não* funcionou a contento. Se você está querendo comprar um console e está na dúvida entre um PlayStation 4 e um Xbox One, por exemplo, não deixe que este recurso torne-se preponderante na sua escolha (obviamente não estou querendo dizer aqui que o PS4 é inferior ao seu principal concorrente — de fato, em termos gerais, eu penso justamente o contrário), pois ele simplesmente não é algo confiável.

Remote Play do PS4 rodando no Mac

Por outro lado, se você já é dono de um PS4, testar o Remote Play com suas próprias mãos não vai tirar pedaço: não custa absolutamente nada, o utilitário é leve, não ocupa espaço no computador e a configuração é muito simples. Quem sabe você não acaba tendo resultados melhores do que os meus…

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…