Apple divulga receita de US$46,9 bilhões e lucro de US$9 bilhões no seu quarto trimestre fiscal de 2016 [atualizado 3x]

Conforme agendado, a Apple acaba de revelar seus resultados financeiros referentes ao quarto trimestre fiscal de 2016, finalizado no último dia 24 de setembro.

A companhia divulgou uma receita de US$46,9 bilhões e um lucro líquido de US$9 bilhões, ou US$1,67 por ação diluída. Os números comparam-se a US$51,5 bilhões, US$11,1 bilhões e US$1,96, respectivamente, no mesmo período de 2015. A margem bruta do trimestre foi de 38%, contra 39,9% há um ano; vendas internacionais compreenderam 62% de todo o faturamento do período.

Eis os números por linhas de produtos:

  • iPhone: 45,5 milhões de unidades vendidas (-5% ano a ano), faturamento de US$28,2 bilhões (-13% ano a ano)
  • iPad: 9,3 milhões de unidades (-6%), faturamento de US$4,3 bilhões (estável)
  • Mac: 4,9 milhões de unidades (-14%), faturamento de US$5,7 bilhões (-17%)
  • Serviços: faturamento de US$6,3 bilhões (+24%)
  • Outros: faturamento de US$2,4 bilhões (-22%)

Como dá para ver, o grande destaque positivo foram os serviços da Apple — que incluem iCloud, iTunes/App/iBooks Stores, Apple Music, etc. Todos os outros segmentos registraram quedas anuais neste quarto trimestre fiscal.

Declaração do diretor executivo (CEO), Tim Cook:

Nossos fortes resultados do trimestre de setembro fecham um ano fiscal de 2016 muito bem-sucedido para a Apple. Estamos contentes com a resposta de consumidores ao iPhone 7, ao iPhone 7 Plus e ao Apple Watch Series 2, além do momento incrível do nosso negócio de Serviços, cuja receita cresceu 24% e registrou outro recorde histórico.

E a do diretor de finanças (CFO), Luca Maestri:

Estamos satisfeitos por ter gerado US$16,1 bilhões em fluxo de caixa operacional, um novo recorde para o trimestre de setembro. Também devolvemos US$9,3 bilhões a investidores através de dividendos e recompra de ações durante o trimestre e concluímos agora mais de US$186 bilhões do nosso programa de retorno de capital.

Olhando à frente para o primeiro trimestre fiscal de 2017 (sempre o maior do ano, compreendendo as vendas de fim de ano), a Apple prevê uma receita entre US$76 e US$78 bilhões, margem bruta entre 38% e 38,5%, gastos operacionais entre US$6,9 e US$7 bilhões, outras receitas/(despesas) de US$400 milhões e uma taxa de impostos de 26%.

O conselho da Apple declarou hoje um dividendo em dinheiro de US$0,57 por ação comum da companhia, pagável em 10 de novembro de 2016 a todos os acionistas registrados ao término dos negócios em 7 de novembro de 2016.

A partir das 19 horas (pelo horário de verão de Brasília), quem quiser poderá acompanhar uma conferência em áudio ao vivo na qual a Apple divulgará e comentará todos esses números. Posteriormente teremos cobertura de todos os destaques do que rolar por lá aqui no MacMagazine, é claro, como sempre.

Atualização · 25/10/2016 às 18:58

Wall Street não se animou, é claro, com os números da Apple. Nas negociações pós-fechamento dos pregões da NASDAQ, a AAPL está operando agora em queda de 2%, cotada a US$115,75.

Atualização II · 25/10/2016 às 19:01

Não é à toa que o mercado reagiu negativamente: pela primeira vez desde 2001(!), a Apple finalizou o seu ano fiscal com uma queda de faturamento. Foram US$233,7 bilhões em 2015 contra US$215,6 bilhões em 2016, uma redução de 7,7%.

Atualização III · 25/10/2016 às 19:12

Algo interessante a se destacar com relação à previsão dela própria para o primeiro trimestre de 2017 é que, mesmo na mais conservadora (US$76 bilhões), ela já registraria um crescimento anual em relação aos números do primeiro trimestre fiscal de 2016 (faturamento de US$75,9 bilhões). Ou seja, a empresa voltará a crescer após alguns trimestres de queda.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários