iFixit desmonta o MacBook Pro de 13″ com Touch Bar e… bom, não espere poder mudar alguma coisa nesta máquina

Desmonte do iFixit do novo MacBook Pro de 13" com Touch Bar

Quando noticiamos hoje mais cedo que o MacBook Pro de 13 polegadas com Touch Bar, ao contrário do seu irmão com teclas de função, vem de fábrica com SSDs não-removíveis, mal poderíamos saber que esta é apenas uma das diferenças — para pior — da versão mais cara em relação à mais acessível. Agora, a indefectível iFixit pôs as mãos na nova máquina para desmontá-la até as últimas consequências e já temos uma ideia melhor do que nos espera.

No modelo com Touch Bar, muito da engenharia interna foi mudada para acomodar a barrinha de OLED, o que gera algumas inconveniências para os usuários — além do SSD fixo, a bateria menor também é um ponto a ser considerado. Estranho notar que, no geral, a organização interna do modelo com teclas de função parece ser muito mais coesa, sem espaços livres ou roteamento complicado de cabo — o que pode inclusive nos fazer pensar que, originalmente, a Apple não estava planejando lançar um MacBook Pro de 13″ com a Touch Bar, deixando o recurso exclusivo para o modelo maior, e acabou mudando de ideia em um ponto posterior do percurso, já após a finalização do chassi.

Outro ponto curioso a ser notado é que, aqui, os alto-falantes não ficam diretamente abaixo das micro-perfurações ao lado do teclado; em vez disso, eles posicionam-se nas extremidades inferiores da máquina, perto do trackpad. Os furos em si, nota a iFixit, são na sua maior parte meramente estéticos, com algumas seções responsáveis por transmitir o som de um pequeno tweeter secundário — a maior parte do som, entretanto, sai pelas aberturas de ventilação na parte inferior.

Desmonte do iFixit do novo MacBook Pro de 13" com Touch Bar

No geral, o único ponto elogiado pela firma é o trackpad, que é facilmente substituível com apenas a retirada de alguns parafusos. Todos os outros componentes são impossíveis ou, com o perdão do termo, chatos para caramba de se mexer/trocar.

A Touch Bar, além de apresentar um cabeamento inferior que torna dificílima a tarefa de ser removida, foi quebrada pelos caras enquanto tentavam retirá-la da carcaça — e olha que estamos falando de profissionais. E, como o sensor Touch ID também é o botão de ligar/desligar, se este interruptor for quebrado, é bem provável que seja necessária a troca de todo o componente da Touch Bar (tela, chip W1, Touch ID e botão) para fazê-lo voltar ao normal.

No mais, além do SSD não-removível que já falamos, processador e RAM também são fixados à placa lógica. A bateria de cinco células é muito bem fixada à carcaça com quantidades generosas de cola e o uso de parafusos proprietários pentalobe, como afirma a iFixit, torna toda a tarefa de trabalhar no dispositivo “desnecessariamente difícil”.

A iFixit concedeu ao MacBook Pro de 13″ com Touch Bar um pífio índice de reparabilidade de 1 em 10, o menor já conquistado por um Mac (junto ao MacBook com tela Retina, no ano passado). Assim, provamos que, cada vez mais, o exercício de ter um Mac é exclusivo para pessoas deveras ricas ou leigas, que podem trocar de máquina frequentemente ou não percebem/se importam com uma queda acentuada de performance com o passar do tempo.

Do meu lado, eu vou me abraçar ao meu querido MacBook Pro 13″ de 2012 em posição fetal e providenciar uma nova bateria para ele — com os devidos upgrades de SSD e RAM, isso o fará rodar muito, muito bem por mais uns bons anos. Bons tempos que não mais recuperaremos.

Posts relacionados

Comentários