Apple estuda fabricação de iPhones nos Estados Unidos [atualizado: Trump conversa com Cook]

lá em 2012, Donald Trump — na época, apenas um grande empresário — disse que seria “ótimo” se a Apple construísse fábricas nos Estados Unidos a fim de montar iProducts em solo americano. Quatro anos depois e já candidato à presidência, Trump reiterou sua fala, afirmando que faria com que a Apple fabricasse “seus malditos computadores e outras coisas” nos EUA, em vez de em outros países.

Não sabemos até que ponto as opiniões (ou ameaças?) do novo presidente afetaram a Apple, mas segundo o The Nikkei, a gigante de Cupertino teria pedido à Foxconn e à Pegatron, suas duas grandes fornecedoras na China, para analisarem a viabilidade de produzir iPhones nos EUA. Uma das fontes anônimas relata que a Pegatron se recusou por preocupação com os custos, mas a Foxconn já está verificando essa possibilidade, mesmo que seu presidente não esteja lá tão feliz com isso.

Outra fonte sugeriu que, ao fazer isso, os preços mais do que dobrariam. Mesmo assim, como já noticiamos aqui, há um risco de que Trump (agora presidente eleito) imponha taxas de importação na China de 45%, o que acabaria até tornando os produtos mais caros; assim, faria um certo sentido produzi-los “em casa”.

Hoje em dia, a maioria dos produtos da Apple é fabricada na China, com exceção do Mac Pro, que é montado em uma fábrica americana. Essa possibilidade de levar toda a fabricação dos iProducts para os EUA pode soar estranha, principalmente depois de Tim Cook declarar ao 60 Minutes, em dezembro de 2015, que a empresa prefere a China por seu “foco em manufatura” e que faltava nos EUA talento e conhecimento profissional na força de trabalho. Por isso, ao que parece, a Apple está se preparando para qualquer eventualidade, pensando em todas as possibilidades.

Nem que seja só para ter certeza de que essa ideia, no fim das contas, é totalmente inviável.

[via 9to5Mac]

Atualização · 23/11/2016 às 12:59

Em entrevista ao The New York Times, Donald Trump relatou que o próprio Tim Cook ligou para ele. Ele então aproveitou para “dar uns conselhos” ao CEO da Apple.

Recebi um telefonema de Tim Cook e disse: “Tim, você sabe que uma das coisas que será uma verdadeira conquista para mim é quando eu conseguir que a Apple construa uma grande fábrica nos Estados Unidos, ou muitas grandes fábricas nos Estados Unidos, em vez de ir para a China, o Vietnã e qualquer dos lugares aonde você vai; você estará fazendo o seu produto aqui mesmo.” Ele disse: “Eu entendo isso.” Eu disse: Acho que vamos criar incentivos para você e acho que você vai fazer isso. Estamos querendo cortar os grandes impostos das empresas, o que lhe fará feliz.”

Trump segue explicando aos entrevistadores que, para que esses cortes sejam feitos, é preciso se livrarem da burocracia e as empresas por elas mesmas não conseguem fazer isso: “Elas não conseguem sequer começar, não conseguem expandir, elas estão sufocando.”

Segundo Trump, já houve vários encontros com startups e empresas grandes, e todas estão animadas com os cortes na regulamentação e nos impostos. Ele argumenta que há empresas deixando o país por causa dessas duas coisas. O presidente americano eleito acredita que os problemas na regulamentação são ainda piores do que os grandes impostos.

A intenção parece bastante nobre e pode ser que, pela ligação, a Apple realmente já esteja considerando a possibilidade. De qualquer maneira, vamos precisar aguardar as cenas dos próximos capítulos — afinal, um presidente sozinho não é capaz de implementar todas essas mudanças.

[via 9to5Mac]

Posts relacionados

Comentários