Na onda da concorrência, Instagram lança transmissões ao vivo e mensagens efêmeras

Em mais uma movimentação para copiar descaradamente a concorrência fortalecer a sua plataforma e trazer novidades para os usuários, o Instagram anunciou hoje dois novos recursos que devem fortalecê-lo como o segundo nome mais importante das redes sociais (o primeiro sendo, naturalmente, seu dono, o Facebook).

O primeiro e mais importante deles é o recurso de transmissão ao vivo, que será implementado na seção Stories (Histórias). Para iniciar uma transmissão, basta ir até a tela de criação de uma história e selecionar a aba Live — o círculo com seu perfil, na parte superior, indicará que você está ao vivo e seus contatos que assim o tiverem solicitado no aplicativo receberão uma notificação avisando do fato. É possível adicionar comentários e o dono da transmissão pode “fixar” um deles para que todos vejam, por exemplo. Uma curadoria das lives mais populares naquele momento será mostrada na aba Discover.

A grande diferença da transmissão ao vivo do Instagram para a de outros serviços, como o Periscope ou o próprio Facebook, é que aqui as coisas são efêmeras — o vídeo da transmissão não fica salvo após o seu término. Portanto, quem viu, viu; quem não viu, não verá nunca mais. Segundo os desenvolvedores, esta é uma forma de incentivar os usuários a se desinibirem na frente das câmeras e simplesmente serem divertidos, considerando que não haverá replay daqueles momentos — embora eu possa ver isto indo em direções deveras controversas.

A outra novidade do dia é retirada diretamente do Snapchat: a possibilidade de enviar fotos e vídeos que se apagam automaticamente após um determinado tempo para contatos no Instagram Direct. O funcionamento é bem simples: ao tirar uma foto e fazer todos os ajustes desejados, além de poder postá-la nas Stories, é possível enviá-las diretamente para um ou mais contatos.

O único fator de diferenciação aqui em relação à rede do fantasminha é que o Instagram lembra-se das pessoas para quem você mandou o último Direct e exibe este grupo primeiro na lista quando você for enviar o próximo — o que é especialmente conveniente caso você esteja enviando uma série de fotos em sequência e não esteja bem lembrado dos destinatários.

As novas mensagens auto-destrutivas começarão a ser liberadas hoje, enquanto o recurso de transmissão de vídeo ao vivo será liberado em doses homeopáticas, começando hoje com um número pequeno de usuários — entretanto, todos nós poderemos ver as transmissões imediatamente.

E aí, é o suficiente para manter o Instagram na crista da onda das redes sociais ou há coisas mais interessantes vindo de outros lugares? Numa época em que ideias com mais frescor e abordagens mais inovadoras atraem os jovens com muito mais sucesso que esquemas tradicionais como o Facebook ou o Instagram, algo me diz que eles precisarão de algo mais que copiar recursos da concorrência para manter-se relevantes a longo prazo.


Ícone do app Instagram

Instagram

de Instagram, Inc.

Compatível com iPhones
Versão 102.0 (180.4 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

[via The Verge]

Posts relacionados

Comentários

27 comments

  1. O instagram pra mim é o aplicativo mais comercial que existe mas daqui a pouco ta virando um facebook e a tendência disso é só piorar. O legal da rede era o compartilhamento de fotos.

  2. Gostaria, de verdade, que as únicas atualizações do Instagram fossem relacionadas ao design do app e novos filtros.
    Este monte de firulas inseridas nos últimos anos não agregou em nada ao app. Saudade do tempo em que a única opção era enviar uma foto.

  3. Era uma faca. Agora virou um canivete suíço/paraguaio. Está cheio de quinquilharias… mas só me interessa usar a faca.

  4. Adorei! Por mim copiaria ainda mais o Snap, assim eu deleto logo minha conta lá, a unica coisa que me prende ainda são os filtros!

  5. Bom, na minha opinião, falta de visão é não criar nada realmente novo e deixar o app perder sua identidade de tanto copiar recursos dos outros.

  6. É, é um ponto de vista. Agora nesse “come come” das redes sociais; vai ficar a mais poderosa e que copiar mais – não necessariamente a mais inovadora. É isso aí, um cria, outro rouba e o usuário ganha. “Bons artistas copiam, grandes artistas roubam”.

  7. Instagram, de início uma rede dedicada apenas e somente ao compartilhamento de fotos. Saudades desse tempo, pois essa era a essência! Saudades…

  8. Acredito que quando as empresas começam a colocar mais funções em seu aplicativo, é para não deixar as pessoas saírem do app. Quanto mais tempo o usuário passar no seu app, mais ele vale.

  9. a questão não é o recurso ser copiado ou não. a questão é: se vc precisa fazer algo e esse algo também tem nesse aplicativo, vc não precisará ter outros apps instalados. Seu tempo médio no app aumenta e eles tem mais oportunidades de te vender algo.

Deixe uma resposta