Pesquisa: período das festas de fim de ano marcou mais um declínio na fatia de mercado da Apple TV; iPhone manteve-se estável

Mais um dia, mais um dado preocupante acerca de uma das linhas da Apple. Hoje, a eMarketer divulgou seu mais novo relatório de levantamento de dados envolvendo alguns dos segmentos mais importantes do mundo da tecnologia, e um produto em especial viu seus números (que já não eram lá tão animadores) caírem ainda mais nos últimos meses: a Apple TV.

Apple TV com diversos apps, incluindo o PlayKids

A set-top box da Maçã está, segundo palavras do próprio relatório, “no fundo do mercado de TVs conectadas dos Estados Unidos”, atrás de concorrentes como o Chromecast e o Roku. Pior: sua participação no mercado caiu para apenas 11,9% no início deste ano (contra 19,9% do competidor do Google e 18,2% do Roku). Comparativamente, este número era de 12,5% em setembro, 12,6% em setembro do ano passado e 13,5% em 2014 — ou seja, praticamente uma queda lenta e contínua ao longo dos anos.

Segundo a eMarketer, parte do problema está no fato de que a Apple TV ainda não oferece um serviço de assinatura de TV online (algo que aparentemente já foi ensaiado várias vezes pela Apple, sem sucesso), bem como sua tentativa não muito bem-sucedida em portar-se como um console de jogos no modelo mais recente — talvez isso melhore um pouco com a recente mudança na limitação no tamanho dos aplicativos. Apesar de tudo, a empresa palpita que a Apple deve estar fazendo mais dinheiro com a sua caixinha conectada do que os concorrentes, simplesmente pelo fato de a Apple TV custar bem mais que um Chromecast ou os modelos do Roku.

Enquanto isso, o iPad continua sua jornada sem grandes ondulações ou abalos: segundo o relatório, a linha de tablets da Apple deverá continuar perdendo participação no mercado (de 47,8% em 2016 para 46,7% neste ano, e descendo ainda mais até 2021), mas o número total de usuários vai crescer — ou seja, talvez o mercado de tablets não esteja indo tão mal assim.

O iPhone, por sua vez, é quem menos tem que se preocupar — ao menos de acordo com este levantamento, claro. Segundo a eMarketer, sua participação no mercado de smartphones deverá permanecer basicamente estável em 2017, fixando-se em 43,7% de share. O Android, por sua vez, também deverá manter-se na casa dos 52% ao longo deste ano.

Tudo isso, claro, é considerando que a Apple vá manter a linha atual e a tradição recente de atualizações pontuais e nada revolucionárias. Certos rumores apontam para algo diferente, o que pode, naturalmente, causar uma reviravolta em vários destes segmentos. Vamos aguardar para ver.

[via Apple World Today]

Posts relacionados

Comentários