Gift Cards, Personal Pickup e iPhone Upgrade Program: burocracia brasileira atrapalha planos da Apple

Segundo fontes confiáveis do MacMagazine, a Apple Brasil tem trabalhado bastante para alinhar o seu varejo com as operações de outros países, mas a boa e velha burocracia brasileira está freando os planos da Apple.

Que não são poucos. Vejam só:

Terminais de pagamento

Quem já visitou a Apple VillageMall ou a Apple Morumbi — atualmente as duas únicas lojas físicas oficiais que temos no Brasil —, deve ter reparado que elas contam com caixas ao fundo do estabelecimento. Trata-se de uma prática bastante comum no mercado varejista brasileiro, algo que não é realidade em diversos outros países — incluindo os Estados Unidos. Mas isso deverá acabar em breve.

Desde o início desta semana, a Apple Brasil substituiu os terminais de pagamentos móveis; se antes os empregados usavam um iPod touch de quarta geração, agora todos estão equipados com iPhones 6. Para termos uma ideia, apenas a China — além do Brasil — está fazendo essa troca, por enquanto; as lojas nos EUA utilizam iPhones 5s para esses fins.

iPhone 5s utilizado como terminal de pagamento pela Apple nos EUA

iPhone 5s utilizado como terminal de pagamento pela Apple nos EUA

Os pagamentos em dinheiro ainda serão feitos na parte de trás das lojas, mas isso deverá mudar também até o meio deste ano — a demora se dá pelo fato de que será necessário trocar o mobiliário, o que não deixa de ser uma pequena obra.

Gift Cards

A Apple Brasil também está trabalhando, pelo que ouvimos, em três outras importantes implementações para o mercado nacional: a primeira delas seriam os Gift Cards (cartões-presente).

Segundo nossas fontes, a Apple Brasil pretende lançar primeiro os cartões-presente da Apple Store, aqueles que servem para adquirir produtos comercializados nas lojas (tanto físicas quanto online); num segundo momento, os desejados cartões-presente do iTunes aterrissarão por aqui.

A demora para isso acontecer seria justificável: a boa e velha tributação brasileira (aparentemente o governo queria taxar esses cartões-presente duas vezes, uma para a Apple e outra quando a empresa os comercializa para o cliente).

Personal Pickup

O Personal Pickup, para quem não conhece, nada mais é do que a possibilidade de você comprar um produto online e retirá-lo em uma das lojas da empresa. Normalmente os produtos comprados (quando estão em estoque) ficam disponíveis para serem retirados uma hora após a compra e você ainda pode indicar uma outra pessoa para buscá-lo. Sem dúvida é algo que facilita as coisas para muitas pessoas, especialmente em épocas de lançamentos de produtos.

Personal Pickup - empregado da Apple entregando um iPad para um cliente

Nossas fontes relataram que esta é uma implementação desejada pela Apple, mas que ela está enfrentado “obstáculos” (aparentemente também ligados a imposto, já que vendas online são tributadas de forma diferente de vendas físicas); inicialmente era algo esperado para 2017, mas a empresa já está aceitando o fato de que não acontecerá tão cedo assim. Uma pena.

iPhone Upgrade Program

O iPhone Upgrade Program foi lançado pela Apple em 2015 com o intuito de tornar as coisas mais fáceis para usuários que trocam de iPhone todos os anos. Você paga uma taxa mensal (24 parcelas) que varia de acordo com o aparelho escolhido. No programa, o consumidor escolhe a sua operadora preferida e recebe um aparelho desbloqueado, já com o AppleCare+ incluso. No Brasil, o mais parecido com isso que temos é o Claro up (que, obviamente, é atrelado a um plano da operadora).

Caixa do iPhone 7

Ainda segundo as nossas fontes, o iPhone Upgrade Program chegou até mesmo a ser prometido pela Apple Brasil em um video interno da diretoria global divulgado em 2016, mas, assim como o Personal Pickup, não está mais tão próximo quanto o imaginado e não deverá ser lançado no ano fiscal de 2017 (que vai até setembro).

O motivo, é claro, também é burocrático: o programa, conforme explicamos acima, é diretamente ligado ao AppleCare+. Pela lei brasileira, qualquer garantia “estendida” (diferente da garantia padrão dada a todos os consumidores) deve ser feita por intermédio de uma seguradora. Esse impasse todo é o que estaria segurando a chegada do AppleCare+ no Brasil e, consequentemente, o iPhone Upgrade Program.

·   ·   ·

A Apple nunca foi uma empresa rápida, que consegue expandir os seus serviços e a sua distribuição de forma global numa velocidade incrível. E o problema se torna ainda maior quando a burocracia de determinados governos, como o nosso, não ajuda.

Aí realmente fica complicado…

Posts relacionados

Comentários