Empresa de Warren Buffett dobra o seu investimento e tem agora 2,5% da Apple

Em 2011, Warren Buffett disse que tinha poucas ações da Apple — e que muito provavelmente não investiria muito na empresa — por um motivo simples: segundo ele, o futuro da empresa era bastante difícil de prever. Mas algo mudou na visão do investidor e, de lá para cá, sua empresa foi comprando ações da Apple em doses cavalares.

Em maio de 2016 a Berkshire Hathaway desembolsou US$1 bilhão em papéis da Maçã (o que na época representou cerca de 9,8 milhões de ações); em agosto passado, foram mais 5,4 milhões de ações; há alguns dias descobrimos que o número de papéis da $AAPL já estava em 57,4 milhões.

Parecia muito, mas de acordo com a CNBC, a Berkshire Hathaway dobrou o seu investimento na Apple e passou agora a deter 133 milhões de papéis, avaliados em US$17 bilhões! Com esse investimento, a empresa tem em suas mãos 2,5% das ações da Maçã em circulação, fazendo da empresa comandada por Tim Cook o segundo maior investimento de Buffett (perdendo apenas para a Coca-Cola).

O motivo para isso, segundo o lendário investidor, seria o poder de retenção de consumidores da Apple (entra ano e sai ano, o sucesso do iPhone parece ser incontestável, mesmo para Buffett que não usa o aparelho).

·   ·   ·

Numa nota relacionada, Al Gore (ex-vice-presidente dos Estados Unidos e conselheiro da Apple) vendeu 215.437 ações da empresa — em múltiplas transações com valores entre US$136,40 e US$137,12 —, embolsando US$29,5 milhões.

Há quatro anos, Gore exerceu o seu direito de comprar 59.000 ações da Apple a um preço reduzido de US$7,48 cada (na época elas valiam US$502,68 — antes da split), totalizando US$441,3 mil.

Com a venda, Gore agora possui 230.137 ações da Apple que equivalem hoje a aproximadamente US$31,5 milhões.

[via 9to5Mac, AppleInsider]

Posts relacionados

Comentários