Nova arquitetura de GPU anunciada por parceira da Apple pode viabilizar iPhones com telas 4K no futuro

A Imagination Technologies, parceira de longa data da Apple no fornecimento de chips gráficos para dispositivos móveis, anunciou hoje uma novidade que deverá ser deveras benéfica aos futuros iPhones e iPads. Estou falando do PowerVR Furian, nova versão da arquitetura de GPU1 que trará um apetitoso salto na capacidade gráfica dos iGadgets — e, potencialmente, abre a possibilidade de vermos em breve um iDevice com tela 4K.

Imagem simbolizando chips gráficos

A efeito de comparação, a atual arquitetura Rogue, que equipa dispositivos como os iPhones 7/7 Plus, é fabricada num processo de 28 nanômetros e traz seis núcleos rodando a 900MHz (com a possibilidade de realizar um overclock temporário caso alguma aplicação necessite).

Comparação entre arquiteturas Rogue e Furian

A nova arquitetura Furian, de apenas 7 nanômetros, é capaz de lidar com mais núcleos rodando a uma velocidade ainda maior, proporcionando um ganho de até 35% na performance gráfica em relação à sua antecessora e a capacidade de lidar com a famigerada resolução 4K, bem como um salto para renderizações a 120 quadros por segundo.

Os chips da Imagination equipam dispositivos iOS desde a introdução do processador A4, de 2010, que marcou presença no iPhone 4, no iPod touch de quarta geração, na Apple TV de segunda geração e no iPad original. De certa forma, se temos alguém além da própria Apple a agradecer pela evolução gráfica absurda nos nossos queridos dispositivos móveis ao longo dos anos — permitindo até mesmo que estes aparelhos atinjam níveis de processamento próximos aos de consoles — é ao pessoal da Imagination. Não é à toa que já houve até rumores de uma possível aquisição dela por parte da Maçã.

Em tempo: antes que alguém grite que uma tela 4K num smartphone é pura masturbação egoica-numérica e só serviria para exaurir as (cada vez mais exigidas e tecnologicamente estáticas) pobres baterias ainda mais rapidamente, sem trazer benefícios reais, permitam-me lembrar-vos que estas telas de altíssima resolução são um ponto-chave de uma das tecnologias mais promissoras do mundo hoje: a realidade virtual.

Ou seja, se a Apple tiver alguma pretensão de entrar neste jogo em algum momento — e inúmeros rumores apontam para isso —, ela terá que, em algum ponto do futuro, aumentar a resolução dos seus iPhones. Agora, ao menos, nada mais a impede disso.

[via Cult of Mac]

Posts relacionados

Comentários