Idas e vindas de Cupertino: Apple contrata especialista em segurança do iOS, enquanto dois nomes deixam a empresa

Entrada da Apple em 1 Infinite Loop

Mais um dia, mais uma série de contratações e baixas em Cupertino que nos dão um pequeno, porém valioso olhar sobre as dinâmicas de trabalho da Apple.

A notícia mais importante do dia vem da área de segurança: a Maçã contratou Jonathan Zdziarski, um dos nomes mais celebrados no ramo de segurança do iOS. O consultor forense e pesquisador foi um dos nomes mais importantes à época da disputa da Apple contra o FBI, oferecendo ajuda valiosa à Maçã em algumas das batalhas judiciais; ele também já foi citado por nós aqui quando detectou uma falha de segurança no WhatsApp e no iMessage.

Zdziarski ocupará na Apple um cargo na área de Engenharia de Segurança e, com a contratação, suas descobertas e seus comentários relevantes para o mundo da tecnologia, publicados periodicamente, deverão cessar — até mesmo seu Twitter já foi desativado —, o que não deixa de ser ligeiramente lamentável. Ele mesmo anunciou a contratação no seu blog pessoal:

Estou feliz em anunciar que aceitei um cargo na equipe de Arquitetura e Engenharia de Segurança da Apple, e estou muito animado com a perspectiva de trabalhar com um grupo de indivíduos que pensam como eu, com base na paixão em proteger a segurança e a privacidade dos outros.

Enquanto Zdsiarski chega, outras pessoas importantes fazem as malas e deixam Cupertino. Uma delas é Joseph Huang, que chegou à Apple quatro anos atrás quando a empresa comprou a WiFiSLAM, startup dedicada à tecnologia de localização indoor fundada pelo próprio.

Em 1 Infinite Loop, Huang cooperou com as equipes de geolocalização e deu prosseguimento a seu trabalho que já era desenvolvido na WiFiSLAM, embora não esteja claro até que ponto as tecnologias desenvolvidas pela empresa foram incorporadas nos produtos da Maçã. Agora, Huang está saindo da Apple para comandar a StartX, empresa aceleradora de startups com a qual ele já mantinha relações enquanto ainda era um contratado de Cupertino, servindo como mentor e conselheiro.

Outra baixa registrada recentemente foi a de Donna Ogier, executiva que administrava as parcerias do Apple News com os veículos de mídia publicados no serviço. Ogier agora é uma contratada da Snap, Inc. (a empresa-dona do Snapchat), onde desempenhará uma função parecida com a que tinha na Apple: ela chefiará a seção Discover da plataforma, arranjando parcerias com diversas publicações do mundo digital para aumentar a oferta de conteúdo dentro do Snapchat — que já tem contratos com gigantes como a ESPN e o BuzzFeed.

·   ·   ·

Em uma nota relacionada, sete membros da mesa diretora da Apple receberam recentemente um gordo bônus em forma de um pacote de ações restritas, como parte do Plano de Ações para Diretores estabelecido originalmente em 1997.

Arthur D. Levinson, Robert Iger, James Bell, Al Gore, Andrea Jung, Ronald Sugar e Susan Wagner receberam, cada um, 1.852 unidades de ação restrita, valendo aproximadamente US$253.600 (~R$800.000). A concessão foi detectada a partir da análise dos relatórios mais recentes publicados pela Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC), e deve manter a mesa diretora colaborando com a mais perfeita ordem de Cupertino por mais algum tempo.

[via 9to5Mac, AppleInsider, TechCrunch, Recode]

Posts relacionados

Comentários