Pesquisa: quase metade dos donos de iPhones não se sente particularmente confortável em guardar dados pessoais no iCloud

Só nesta semana, já publicamos quatro posts falando sobre segurança digital (sim, eu fui contar), o que pode nos dar um sinal de que o tema está mais em voga do que nunca nestes tempos de Snowden, WikiLeaks e NSA (e agora CIA também, aparentemente). Nesta tônica, concentremo-nos um segundo no aparelho que provavelmente guarda a maior quantidade de informações pessoais nossas hoje em dia: o smartphone.

A pergunta de um milhão de dólares aqui: você confia nele (e nos serviços atrelados a ele) para proteger os seus dados e informações? Ou, reformulando ao considerar que estamos num site sobre o mundo Apple: você confia no seu iPhone e no iCloud?

Estas foram as perguntas que a Clutch, firma de consultoria empresarial da área da informática, fez para uma amostra de 1.001 donos do smartphone da Maçã nos Estados Unidos. E, adivinha só, as respostas não foram as mais animadoras para a Apple: aparentemente, mais da metade dos entrevistados não tem plena confiança no iPhone e no serviço de nuvem da empresa.

Pesquisa de confiabilidade do iPhone e iCloud

A primeira pergunta realizada foi mais geral, sobre o que os usuários pensam da segurança do iPhone em si. Neste caso, 41% dos entrevistados afirmaram ver o smartphone da Maçã como um dispositivo “muito seguro”, 35% declararam considerá-lo “razoavelmente seguro”, 8% foram na opção “levemente seguro” e só 2% afirmaram que não viam o iPhone como um aparelho seguro de forma alguma. Outros 14% não souberam responder à pergunta.

Pesquisa de confiabilidade do iPhone e iCloud

As coisas ficam um pouco mais complicadas para o lado de Cupertino quando o foco da conversa é o iCloud. Quando perguntados se estavam confortáveis em confiar suas informações pessoais ao serviço de nuvem da Apple, quase metade dos entrevistados mostrou pouco ou nenhum ânimo com o assunto: 24% disseram não se sentir “nem um pouco confortáveis” e 23% afirmaram que ficam “levemente confortáveis”. Outros 27% dos usuários declararam que sentem-se “razoavelmente confortáveis” em deixar seus dados no iCloud, e apenas 17% ficam “muito confortáveis” e sem preocupações no quesito. 10% não souberam responder.

Pesquisa de confiabilidade do iPhone e iCloud

A firma preocupou-se ainda em separar os usuários entrevistados que sabiam exatamente a função do iCloud (72%) e aqueles que não fazem ideia do que isso significa (28%) e, em seguida, repetir a segunda pergunta. Dentre o primeiro grupo, a confiabilidade do serviço de nuvem foi mais alta, com a maioria dos entrevistados (31%) afirmando sentir-se “razoavelmente confortável” com seus dados na nuvem da Maçã. Já na turma menos esclarecida, como era de se esperar, reinou a insegurança: a maioria (37%) deste grupo disse que não se sente “nem um pouco confortável” em confiar seus dados ao iCloud.

Pesquisa de confiabilidade do iPhone e iCloud

Por fim, duas estatísticas reveladoras: 34% dos entrevistados não soube responder exatamente quais recursos do iCloud estavam ativados nos seus iPhones, enquanto outros 15% não souberam dizer quais tipos de dados eram sincronizados automaticamente com a nuvem.

São números que mostram que a Apple — e outras companhias que têm como parte do seu ofício guardar informações pessoais dos usuários — ainda tem muito caminho pela frente caso queira conquistar a confiança plena dos seus consumidores. E olha que, no texto apresentando a pesquisa disponível site da Clutch, um executivo da área de tecnologia da informação opina que “o iOS é incrivelmente seguro” se comparado a outras plataformas móveis.

É, a coisa não tá boa…

[via Apple World Today]

Posts relacionados

Comentários