O poder da Maçã: Apple irá desenvolver seus próprios chips gráficos; ações da Imagination Technologies caem 70%

A Imagination Technologies, empresa que desenvolve os chips gráficos dos iPhones, iPads, Apple Watches e Apple TVs, anunciou hoje que a sua principal cliente, a Apple, deixará de utilizar sua tecnologia nos iDevices em um período de 15 meses até 2 anos.

Logo da Imagination Technologies

No comunicado, a empresa revela que a Maçã decidiu assim pois planeja desenvolver seus próprios chips gráficos, para “controlar seus produtos e reduzir sua dependência futura na tecnologia da Imagination”.

O anúncio veio como um balde de água fria para a desenvolvedora dos chips, por dois motivos: o primeiro é que, a cada venda de um dispositivo móvel com sua tecnologia, ela recebe os royalties — que contam por basicamente metade do rendimento da empresa britânica. Ou seja, ela dará “adeus” a metade de sua renda. O segundo motivo é que, por causa da saída da Apple da jogada, as ações da Imagination despencaram incríveis 70% em algumas horas.

Imagination Technologies ações

A empresa ainda afirma, no comunicado, que duvida que a Apple consiga criar uma estrutura de GPU1 sem infringir nenhuma de suas patentes ou propriedades intelectuais, mas espera alguma posição da Maçã para que haja futuros acordos em relação a licenças/royalties.

A Apple não apresentou nenhuma evidência para sustentar sua afirmação de que não mais exigirá a tecnologia da Imagination, sem violar as patentes da Imagination, propriedade intelectual e informações confidenciais. Essa evidência foi solicitada pela Imagination, mas a Apple se recusou a fornecê-la.

A notificação da Apple levou a Imagination a discutir com a empresa possíveis acordos comerciais alternativos para o atual contrato de licença e royalties.

Pelo prazo divulgado, ainda é incerto se a Apple utilizará a nova estrutura de GPU da Imagination, a PowerVR Furian, que possivelmente traria aos novos iDevices a possibilidade de ter telas com resolução 4K.

A relação das duas empresas se estabeleceu por volta de 2008, quando a Apple adquiriu ações da Imagination e, em 2010, os chips da empresa começaram a equipar os dispositivos móveis da Maçã.

Em 2016, surgiram rumores até de que a Apple compraria a Imagination, porém o que ocorreu foi a contratação de vários especialistas da empresa para se juntar à equipe da Maçã.

Analisando essa timeline, tudo faz sentido agora, não é?

[via Reuters]

Posts relacionados

Comentários