Acusadas de violar patentes relacionadas a tecnologias de pagamento digital, Apple e Visa são processadas

Mais um dia, mais uma batalha judicial brota do chão com a Apple no meio. Desta vez, a coisa toda está na área dos pagamentos digitais: a Maçã, junto à Visa, foi processada por uma empresa a qual alega que as duas companhias violaram patentes suas com o lançamento do Apple Pay.

A Universal Secure Registry (USR), pequena empresa baseada em Boston (Estados Unidos), iniciou o processo no último domingo numa Corte Federal do Estado de Delaware. Nos documentos entregues à justiça, o CEO da companhia, Kenneth Weiss, afirma que ela detém 13 patentes relacionadas ao núcleo do Apple Pay, como detalhes de sistemas de autenticação, confirmação por meio de impressões digitais e a utilização de tokens únicos para cada transação financeira.

De acordo com Weiss, a Apple e a Visa infringem estas patentes desde 2014, ano em que o Apple Pay foi apresentado — a gigante financeira está no bolo porque a Apple utiliza tecnologias suas, como o Visa Token Services, quando os usuários fazem pagamentos com o cartão desta bandeira.

Para piorar a situação, segundo o executivo, ele já mantinha conversas com o CEO e executivos da Visa desde 2010 com o propósito de trabalhar com as patentes. A gigante assinou um contrato de confidencialidade de dez anos para utilizar a tecnologia e, de repente, sumiu, cortando todos os contatos com a empresa de Weiss. A USR ainda tentou contato com a Apple para discutir possíveis licenças de patentes em 2013, sem sucesso.

Agora, Weiss e USR buscam compensação pelo que acreditam ser uma violação de suas propriedades intelectuais. A empresa não especifica uma quantia que ela acredite ser devida para cobrir os danos causados, mas espera que o assunto possa ser resolvido amigavelmente, num acordo extrajudicial: “Minha intenção é entrar numa sala de conferência com eles e resolver isso”, afirmou o executivo ao New York Times.

via 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários