Com problemas para encontrar um Nintendo Switch para chamar de seu? A culpa pode ser (em partes) da Apple

Ok, ok, eu admito que o título faria mais sentido se a Nintendo não tivesse basicamente interrompido suas operações em terras brasileiras, como melancolicamente fez há dois anos e meio. Ainda assim, vai que você mora em outro país, ou vai que está procurando uma unidade do mais recente hit do mundo dos videogames, o Switch, no mercado paralelo online (mais conhecido como Mercado Livre), sem sucesso.

Publicidade

O fato é um só: os estoques do Switch não estão atendendo à assustadoramente alta demanda pelo novo console. A própria Nintendo admite isso e promete dar um gás na produção do híbrido para colocá-lo na mão do maior número possível de consumidores ávidos. Mas, como informa o Wall Street Journal [matéria fechada para assinantes], a gigante japonesa pode ter uma pedra no sapato deveras improvável nesta missão: a Apple.

Zelda Nintendo Switch

Aparentemente, as grandes culpadas por este imbróglio seriam algumas peças-chave de basicamente qualquer dispositivo eletrônico moderno: a memória flash NAND, as telas de LCD e os motores vibratórios — três componentes utilizados tanto nos iPhones e demais produtos da Apple quanto no Nintendo Switch. De acordo com o artigo, a Maçã (e, em menor escala, outras fabricantes de smartphones) estariam aumentando significativamente seus pedidos destas peças, o que estaria comprometendo o plano da Nintendo de fabricar 20 milhões de unidades do Switch até março de 2018.

Publicidade

Tome-se como exemplo a Toshiba, fornecedora dos componentes de memória flash NAND tanto para a Apple quanto para a Nintendo. A divisão responsável pela manufatura destas peças vai mal das pernas e está à venda, mas por enquanto, continua operando normalmente; a fábrica, entretanto, não consegue suprir a demanda exigida pela Apple e pelas outras fabricantes de dispositivos móveis. De acordo com uma porta-voz da empresa, a situação deverá permanecer assim ao longo de 2017, colocando a Nintendo numa posição desconfortável.

O grande problema aqui é que a Big N, mesmo figurando entre as maiores empresas de tecnologia do mundo, não consegue competir com a Apple em termos de volume de pedidos — e, segundo vários analistas da cadeia de fornecimento da Maçã, Tim Cook e sua turma oferecem “melhores termos” às fornecedoras do que a empresa do Super Mario. Em outras palavras, imaginem a Apple como uma bocarra aberta no fim de uma esteira de onde saem todos os componentes eletrônicos fabricados, engolindo tudo o que sai de lá sem deixar nada para a Nintendo.

A situação, entretanto, não deve afetar a improvável amizade estabelecida entre as duas empresas ao longo dos últimos anos. A Nintendo continua com planos de lançar versões dos seus jogos para os dispositivos iOS, e a Apple certamente ficará feliz em receber executivos da gigante japonesa nos palcos das suas keynotes para vangloriar-se de como o iPhone está crescendo como uma plataforma de jogos com as desenvolvedoras mais respeitadas do mundo.

Publicidade

Só espero que eles não briguem nos bastidores.

via Cult of Mac

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…