Conhecendo o AirPlay 2: o que o novo protocolo traz de novo e como sua vida mudará na prática

Ficou bem claro na keynote de segunda-feira: com o HomePod, a Apple quer redefinir a experiência de escutar música em casa. Mas o cilindro arredondado estranhamente idêntico a um novelo de algodão é apenas a parte “física” desta empreitada — do lado do software, temos um nome que desponta como o principal responsável por administrar este emaranhado musical: o AirPlay 2.

A nova versão do protocolo de streaming da Apple traz algumas diferenças básicas em relação ao AirPlay que todos nós conhecemos e amamos, e, a partir daí, surgem as dúvidas: eles são inter-compatíveis? Eu vou poder usufruir do AirPlay 2 com meus dispositivos atuais? Qual o sentido da vida e do universo?

AirPlay 2 em ação no iOS 11

Bom, ainda que nem tudo esteja totalmente claro — e assim permanecerá até o lançamento final do iOS 11 —, muitas destas questões já podem ser satisfatoriamente respondidas. E é isso que faremos a seguir.

Qual a diferença, afinal?

O que distingue o AirPlay do AirPlay 2 é, basicamente, a capacidade do segundo de administrar transmissão de áudio multi-cômodos (multi-room). Ou seja, enquanto a tecnologia original era um método direto de fazer o streaming de uma fonte de áudio a um alto-falante ou dispositivo específico de cada vez, o AirPlay 2 permite que você tenha vários dispositivos conectados na sua casa e transmita conteúdo para eles ao mesmo tempo — seja o mesmo áudio para todos ou até mesmo coisas diferentes.

O pulo do gato aqui é que o AirPlay 2 se conecta com o HomeKit, a API1 de automação doméstica da Apple, assim como todos os dispositivos compatíveis com o protocolo. Desta forma, além de lâmpadas, termostatos, eletrodomésticos de cozinha e companhia bela, os alto-falantes espalhados pela sua casa também passam a fazer parte da sua gama de aparelhos que você pode controlar diretamente pelo iPhone ou iPad.

Meus dispositivos atuais continuarão funcionando?

Bom… claro. Se você atualmente tem alto-falantes que funcionam com o protocolo AirPlay original, eles continuarão funcionando exatamente da mesma forma que sempre fizeram — o AirPlay 2 apenas adiciona recursos à tecnologia, mas não exclui as ferramentas originais dela que todos nós já conhecemos.

Agora, se a pergunta mudar para “Meu dispositivo AirPlay será atualizado para o AirPlay 2?”, a resposta já é deveras diferente. Para que o seu alto-falante funcione em conjunto a todos os outros da casa, é necessário que ele seja atualizado para o protocolo AirPlay 2, o que, segundo a Apple, é perfeitamente possível — a Maçã falou ao AppleInsider que fabricantes de dispositivos AirPlay podem atualizar o firmware dos aparelhos para suportar a nova tecnologia.

Não há nenhum indicativo, entretanto, de que as empresas realmente se darão ao trabalho de fazer isso quando é muito mais vantajoso para elas que os usuários simplesmente tirem o escorpião do bolso e comprem alto-falantes novos que já venham com o protocolo embutido. Então, quanto a isso, teremos que aguardar (e torcer).

Onde entra o HomePod nessa história?

O HomePod é, de certa forma, o “porta-bandeira” do AirPlay 2 e será o primeiro produto disponível no mercado a trazer suporte à nova tecnologia. Ele vai, entretanto, além disso: além de um alto-falante conectado, trata-se de um dispositivo de acesso à Siri e serve também como hub do HomeKit, centralizando os comandos de automação doméstica. Ou seja, tem muita coisa acontecendo dentro daquele corpo macio de tecido.

Outras fabricantes lançarão as suas próprias soluções relacionadas ao AirPlay 2 — a Apple citou Bose, Bowers & Wilkins, Libratone e outras, além, claro, da sua própria Beats —, mas os produtos destas empresas certamente não terão todas as ambições do HomePod, atuando apenas como alto-falantes conectados, mesmo.

Mas e quanto aos AirPorts?

Você provavelmente não perguntou isso, porque ninguém lembra mais dos AirPorts, mas eu hei de responder mesmo assim.

Aos pouco escolados no assunto, AirPort (não leia “AirPod”) é a linha de roteadores moribunda da Apple. O mais simples produto da linha, o AirPort Express, traz uma saída P2 para que se conecte o roteador a um alto-falante “burro”, sem conexão sem fio, via um cabo auxiliar. Desta forma, é possível transmitir áudio via AirPlay até o AirPort e o roteador, por sua vez, passa o áudio ao aparelho de som, via cabo. Alguns usuários são adeptos desta solução para transmissão de som com o mínimo de perda de qualidade (ao contrário, por exemplo, do extremamente comprimido Bluetooth).

Traseira do AirPort Express

A questão se a Apple vai atualizar o firmware do mais barato dos seus roteadores para permitir uma integração com o AirPlay 2 é uma pergunta que ainda não pode ser respondida, mas, considerando todos os indicativos de que a Maçã estaria abandonando a linha, é extremamente provável que não, o AirPort Express nunca suporte o novo protocolo. Ou seja, os adeptos da configuração descrita no parágrafo anterior terão que se contentar em continuar transmitindo áudio diretamente, sem usufruir dos recursos multi-cômodo ou da integração com o HomeKit — o que, sinceramente, é uma perda chata, mas não crucial.

·   •   ·

Enquanto o iOS 11 não toma sua forma definitiva — e o HomePod, bem como os demais dispositivos compatíveis com o protocolo, não chegam ao mercado —, estas são as respostas que temos acerca do AirPlay 2. Ficou faltando esclarecer alguma coisa? Despeje abaixo, nos comentários, as suas angústias quanto à incerteza do seu futuro sonoro-conectado e nós faremos de tudo para ajudar. 😊

Posts relacionados

Comentários