Graças à briga judicial entre Apple e Qualcomm, próximos iPhones deverão vir sem suporte às novas redes LTE super-rápidas

Arrisco dizer que a novela Apple vs. Qualcomm ainda não chegou nem ao seu segundo ato, mas já temos o prospecto da primeira morte de um personagem importante.

Publicidade

De acordo com informações da Bloomberg, os próximos iPhones virão sem suporte às novas redes LTE de 1Gbps — que toda a concorrência já está oferecendo em seus novos carros-chefe, é bom notar — justamente por conta da briga judicial com a gigante dos processadores.

Explica-se: três das principais operadoras dos EUA — AT&T, Sprint e Verizon —, além de várias outras de uma série de países ao redor do mundo, já se comprometeram a disponibilizar para o público até o fim do ano uma nova geração do LTE, até 50x mais rápida que a atual(!) e capaz de chegar a taxas de transferência de até 1 gigabit por segundo (teoricamente, algo em torno de 125MB/s).

A Qualcomm, até o momento, é a única fabricante do mundo a oferecer chips receptores de sinal LTE com suporte às novas redes super-rápidas, e várias das principais fabricantes de smartphones do mundo já trataram de incluir o pequeno modem nos seus aparelhos — ainda que, por enquanto, o suporte não signifique basicamente nada na prática, já que a tecnologia ainda está em fases finais de implementação. Ainda assim, gigantes do mundo da telefonia, como o Galaxy S8, o HTC U11 e o LG G6 já vangloriam-se de estarem prontos para o futuro da internet móvel (quando ela estiver a fim de chegar, isto é).

Publicidade

O “iPhone X”/”iPhone 8”, bem como os prováveis “iPhones 7s/7s Plus”, entretanto, não terão esta valiosa carta de marketing na manga. Isso porque a Apple, em meio à tensa briga judicial com a Qualcomm, quer reduzir sua dependência à fabricante de chips e, por isso, vai empregar nos seus próximos smartphones uma mistura; alguns virão com os chips da sua atual inimiga, enquanto outros serão equipados com rádios da Intel, que não suportam o LTE Gigabit. Para que não haja diferença entre os dois tipos de iPhone, a Maçã irá limitar a velocidade máxima dos mais rápidos.

O único cenário em que a Apple liberaria o LTE super-rápido para os usuários dos próximos iPhones, segue a Bloomberg, seria um em que a Intel conseguisse desenvolver um chip também capaz de suportar a nova tecnologia; a empresa, entretanto, parece estar atrasada no seu cronograma e provavelmente não será capaz de lançar a nova peça a tempo do lançamento dos próximos smartphones da Maçã. Então, ao que tudo indica, nada feito.

Claro que, na prática, esta perda é basicamente desprezível ao longo de pelo menos mais um ano, já que o LTE Gigabit ainda mal está dando seus primeiros passos. E, vejam bem, estou me referindo aqui a usuários do mundo todo, inclusive os países onde a tecnologia chegará primeiro — se formos considerar a experiência da internet móvel no Brasil, podem ter certeza de que a Apple pode lançar mais cinco gerações de iPhone sem suporte ao novo LTE e ninguém notará a mínima diferença.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…