Apple acusa Qualcomm de lucrar em dobro com seus chips; quer acabar com cobrança por iPhone fabricado [atualizado: Qualcomm responde]

Mais uma semana, mais um capítulo da emocionante novela da batalha judicial entre Apple e Qualcomm. Após uma investida da gigante de chips na justiça para obrigar a Maçã a pagar o que ela atesta como devido, a empresa de Cupertino agora deu uma resposta à altura: de acordo com Tim Cook e sua turma, a Qualcomm por anos cobrou em dobro pelos direitos das suas tecnologias de chip, o que invalidaria o valor exigido pela empresa. Quem informou foi a Reuters.

A Apple acusa a Qualcomm de “double-dipping”, uma prática financeira que consiste em obter ganhos em dobro sobre a mesma propriedade. Mais especificamente, a Maçã comunicou à justiça que, há anos, vinha pagando duas vezes pela tecnologia da gigante dos microchips: uma pelos royalties da tecnologia empregada nos iPhones e mais uma pelas peças em si utilizadas nos aparelhos — que já vêm com o valor da tecnologia embutido no preço.

Para comprovar a sua tese, a Apple remete à justiça como exemplo um caso envolvendo a Lexmark, fabricante de impressoras e produtos de imagem. Em uma disputa entre esta empresa e a Qualcomm, a justiça determinou que a fabricante de chips poderia exigir apenas um pagamento relacionado às suas propriedades intelectuais e produtos; seguindo essa lógica, portanto, a Apple estaria desobrigada de pagar duas vezes pelo mesmo bem.

Com isso, o acordo de patente estabelecido entre as duas empresas, que requer que a Maçã pague uma taxa à Qualcomm por cada unidade de iPhone fabricada, seria invalidado, alega Cupertino. Este é, no fim das contas, o objetivo principal da Apple: fechar um novo acordo que a permita comprar chips da fabricante sem que precise pagar uma taxa baseada nos iPhones que fabrica.

Adicionalmente, os advogados da Apple ainda pediram à justiça que sejam cancelados os processos movidos pela Qualcomm direcionados às montadoras da Maçã na Ásia — de acordo com Cupertino, a disputa judicial deve ser somente entre as duas principais empresas no páreo e companhias adjacentes não devem ser envolvidas no imbróglio.

via Apple World Today

Atualização 26/06/2017 às 15:07

A Qualcomm respondeu às mais recentes acusações da Apple com uma nota publicada no seu próprio site. Nela, a gigante dos microchips afirma que a maior distorção produzida pela Maçã está na sua “representação das contribuições tecnológicas da Qualcomm para os seus dispositivos móveis” — ou seja, Tim Cook e sua turma supostamente estariam trabalhando para diminuir aos olhos do público a importância da fabricante para a construção do iPhone e companhia.

“As inovações da Qualcomm estão no coração de cada iPhone e habilitam as mais importantes funções e usos destes dispositivos”, diz Rosenberg [vice-presidente executivo e conselheiro geral da Qualcomm]. “É simplesmente mentira que a Qualcomm está tentando obter royalties para inovações da Apple que não têm nada a ver com a nossa tecnologia. Além disso, a taxa por dispositivo cobrada pela Qualcomm às montadoras da Apple pelo uso das nossas tecnologias licenciadas no iPhone é inferior ao que a Apple cobra por um único adaptador para conector de parede.”

A empresa termina a nota afirmando estar confiante que vai sair vitoriosa nas suas disputas legais com a Maçã. Mas isso, é claro, só o tempo poderá dizer.

via 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários