Tim Cook cai 45 posições no ranking de CEOs mais bem avaliados por seus empregados — mas isso não é tão ruim quanto parece

Nós adoramos criticar o trabalho de Tim Cook. Como verdadeiros especialistas em tecnologia e gestão de empresas com US$250 bilhões no caixa, opinamos a torto e a direito sobre as decisões, o direcionamento que ele dá à Apple e os produtos lançados sob a sua supervisão. Temos, claro, todo o direito disso — muito embora, na maioria das vezes, estejamos errados por simplesmente não podermos possivelmente compreender as dinâmicas de uma empresa tão grande e influente.

Por outro lado, os empregados da Apple têm muito mais condições do que nós, meros mortais, de avaliar o trabalho de Cook — aliás, isso vale para qualquer empresa, seja a Apple ou a padaria da esquina. E, se este levantamento da Glassdoor representar a realidade de alguma forma, o sinal amarelo pode acender lá na linda, brilhante e hipotética sala do CEO na gloriosa “espaçonave” do Apple Park.

Digo isso porque Cook, que no ano passado conquistou um saudável 8º lugar no ranking de CEOs mais bem avaliados por seus subordinados, com uma taxa de 96%, caiu 45 posições na lista do site de empregos — em 2017, o executivo aparece apenas na 53ª colocação.

Claro, é uma queda e tanto, mas as notícias não são tão ruins como parecem: a avaliação média de Cook garantiu a ele uma taxa de 93% de aprovação, o que, sob qualquer análise, ainda é um número bastante respeitável e uma queda de apenas 3% em relação ao ano passado. A Glassdoor afirma ainda que, independentemente da colocação no ranking, o mero fato de figurar entre as 100 figuras da lista já significa que o seu trabalho está acima da média, afinal existem muito mais que 100 empresas (e CEOs) no mundo — e, além disso, a taxa de aprovação média dos chefões executivos ficou nos 67% neste ano.

Caso você esteja se perguntando, o CEO mais bem avaliado por seus empregados ao longo do último ano é Benno Dorer, da The Clorox Company, com 99% de aprovação. Dentre outras figurinhas tecnológicas conhecidas a pintarem na lista, temos Elon Musk, da SpaceX (8º, 98%); Mark Zuckerberg, do Facebook (10º, 98%); Sundar Pichai, do Google (17º, 96%) e Satya Nadella, da Microsoft (29º, 95%) — todos à frente de Cook.

Duas figuras notáveis a não aparecerem no ranking são Jeff Bezos, da Amazon, e Travis Kalanick, do Uber — muito embora, em relação a este segundo, eu tenha algumas suspeitas acerca da razão para tal ausência.

via iClarified

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários